Filmes por gênero

PAIXÕES EM FÚRIA (1948)

Key Largo
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: L'isola di corallo (Itália)
Cayo Largo (Espanha)
Huracán de pasiones (México, Venezuela)
Gangster von Key Largo (Alemanha)
Stormvarning utfärdad (Suécia)
Uvejrsøen Key Largo (Dinamarca)
Myrskyvaroitus (Finlândia)
Риф Ларго (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Filme Noir, Suspense
Direção: John Huston
Roteiro: Richard Brooks, John Huston
Produção: Jerry Wald
Música Original: Max Steiner
Fotografia: Karl Freund
Edição: Rudi Fehr
Direção de Arte: Leo K. Kuter
Guarda-Roupa: Leah Rhodes
Maquiagem: Perc Westmore
Efeitos Sonoros: Dolph Thomas
Efeitos Especiais: William C. McGann, Robert Burks
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1950

Elenco

Humphrey Bogart Frank McCloud
Edward G. Robinson Johnny Rocco
Lauren Bacall Nora Temple
Lionel Barrymore James Temple
Claire Trevor Gaye Dawn
Thomas Gomez Richard 'Curly' Hoff
Harry Lewis Edward 'Toots' Bass
John Rodney Policial Clyde Sawyer
Monte Blue Xerife Ben Wade
Rodd Redwing John Osceola
Jay Silverheels Tom Osceola
Marc Lawrence Ziggy
Dan Seymour Angel Garcia
William Haade Ralph Feeney
John Litel Despachante
Jerry Jerome Capanga de Ziggy
John Phillips Capanga de Ziggy
Luther Crockett Capanga de Ziggy
Pat Flaherty O viajante
Felipa Gómez Velha índia
Joe P. Smith Motorista do ônibus

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Claire Trevor)

Indicações

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Drama Americano (Richard Brooks, John Huston)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

O desiludido veterano Frank McCloud chega à ilha de Key Largo, Florida, para visitar a família de George Temple, que morreu sob seu comando na Itália durante a 2ª guerra mundial. A viúva dele, Nora, e o pai de George, James Temple, um senhor que vive numa cadeira de rodas, dirigem um hotel na ilha. Ao vê-lo, os dois o recebem com muita alegria e o convidam para passar a noite com a família.

Pouco tempo depois, no entanto, os três se tornam reféns de um grupo de criminosos liderados por Johnny Rocco, um gângster que havia sido deportado. Este entrara ilegalmente no país, vindo de Cuba, a fim de fazer uma entrega de dinheiro falso, mas seus contatos haviam se atrasado por conta de um furacão que assolara a ilha poucas horas antes.

Logo em seguida, os criminosos capturam e espancam o policial Clyde Sawyer, que estava à procura dos irmãos Osceola, fugitivos da prisão. Por outro lado, quando Rocco se dirige em direção à Nora, ela cospe em sua cara e Frank o impede de matá-la. Com a intenção de provocá-lo, o gângster joga uma arma para Frank, mas este se nega a usá-la. No entanto, Sawyer consegue alcançar a arma e, ao tentar fugir, é morto por Rocco, que revela que a tal arma não se achava carregada.

Em seguida, Rocco exige que Gaye Dawn, sua antiga amante alcoólatra, cante uma canção antes que ela beba qualquer coisa. Nervosa, ela não faz uma boa apresentação e o criminoso se nega a dar-lhe uma bebida. Ao demonstrar pena de Gaye, Frank leva uma tapa no rosto e, mais uma vez, não reage.

Depois que o furacão passa, ao descobrir que seu barco desapareceu, Rocco exige que Frank pegue o barco dos Temples e o transporte até Cuba. Antes que eles partam, um segundo policial chega à procura de Sawyer e encontra seu corpo na praia.

Quando os bandidos preparam-se para partir, Gaye implora a Rocco para levá-la e joga-se em seus braços. Sem que ele perceba, ela pega sua arma e a passa para Frank. Após dar a partida e depois de fixar o curso rumo à Cuba, Frank faz uma brusca manobra que leva um dos homens a cair no mar e, em seguida, mata os demais, inclusive Rocco. Embora ferido, ele passa um rádio para as autoridades e chama o hotel para avisar Nora e seu pai que está voltando para casa.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta John Huston, a partir de um roteiro por ele escrito ao lado de Richard Brooks, “Paixões em Fúria” é um excelente filme produzido por Jerry Wald para a Warner Brothers em 1948. Sua trama, baseada numa peça de Maxwell Anderson, consegue prender a atenção do espectador do início ao fim. Sem dúvida, trata-se de mais um clássico da Idade de Ouro de Hollywood.

Na direção, Huston, demonstrando mais uma vez seu completo domínio da câmera, nos brinda com um excelente trabalho. Por outro lado, embora não tenha sido premiada, a fotografia em preto-e-branco, assinada por Karl Freund, é outro quesito que merece ser mencionado.

No elenco, destacam-se as atuações de Humphrey Bogart e Edward G. Robinson, nos papéis principais, seguidas pelas de Claire Trevor, indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante, Lauren Bacall e Lionel Barrymore.

CAA