Filmes por gênero

VENENO DE COBRA (1955)

We're no angels
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: La cuisine des anges (França, Bélgica)
Non siamo angeli (Itália)
No somos ángeles (Espanha, Argentina, México))
Wir sind keine Engel (Austria, Alemanha)
Trasiga änglar (Suécia)
Nem vagyunk angyalok (Hungria)
Enkelten keittiö (Finlândia)
Vi er ikke engle (Dinamarca)
Мы не ангелы (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia, Crime, Romance
Direção: Michael Curtiz
Roteiro: Ranald MacDougall
Produção: Pat Duggan
Música Original: Friedrich Hollaender
Fotografia: Loyal Griggs
Edição: Arthur P. Schmidt
Direção de Arte: Hal Pereira, Roland Anderson
Figurino: Mary Grant
Maquiagem: Wally Westmore
Efeitos Sonoros: Hugo Grenzbach, John Cope, Norman Stuart
Efeitos Visuais: John P. Fulton
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1957

Elenco

Humphrey Bogart Joseph
Aldo Ray Albert
Joan Bennett Amelie Ducotel
Peter Ustinov Jules
Basil Rathbone Andre Trochard
Leo G. Carroll Felix Ducotel
John Baer Paul Trochard
Gloria Talbott Isabelle Ducotel
John Smith Oficial médico Arnaud
Lea Penman Mme. Parole
Louis Mercier Celeste
Joe Ploski Agente da Alfândega
Jack del Rio Policial
Victor Romito Policial

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Na véspera do Natal de 1895, na Ilha do Diabo, controlada pela França, três prisioneiros, o vigarista Joseph e os assassinos Albert e Jules, fogem e procuram abordar um navio ancorado ao largo. Sem um tostão e ainda vestindo seus trajes de prisioneiros, eles são abordados por Arnaud, um jovem oficial médico do navio. Na ocasião, Jules, um antigo arrombador de cofres, consegue roubar uma carta dirigida a Felix Ducotel, responsável por um armazém local. Os três decidem, então, entregar a carta e roubar o armazém, e ficam surpresos quando o distraído Felix os contrata para consertarem o telhado gotejante do imóvel.

Uma vez no telhado, os condenados espionam Felix e sua esposa Amelie, quando eles discutem com o primo de Felix, Andre Trochard, proprietário do armazém. Amelie despreza Andre por usar sua riqueza para controlar seu marido, chegando a ameaçá-lo com demissão se o armazém não vier a dar lucro. Ela também lamenta o fato de sua filha de dezoito anos, Isabelle, ser apaixonada por Paul, sobrinho e herdeiro de Andre, que vive em Paris com seu tio, por saber que Andre nunca aprovará a união. Quando Isabelle lembra ao pai a carta ainda fechada, Felix percebe que é de Andre e entra em pânico. Ao ler a carta, ele toma conhecimento que Andre se acha em quarentena no navio e corre para as docas a fim de libertá-lo.

Em seguida, Isabelle lê a carta e desmaia. Ao vê-la prostrada, os condenados pulam do telhado e também lêem a carta, explicando em seguida à Amelie, que Isabelle desmaiou ao tomar conhecimento de que Paul vai se casar com a filha de um conhecido e rico homem de negócios. Enquanto o jovem Albert leva a inconsciente Isabelle para o quarto dela, Joseph conversa com um homem careca, a quem diz que deseja comprar um conjunto de escova e pente, aproveitando o momento para dar uma olhadela nos livros de contabilidade de Felix. Embora Jules e Albert comecem a questionar seu plano para roubar e matar os Ducotels, Joseph insiste que eles precisam do dinheiro para fugir. Nesse sentido, quando ele procura vender um casaco caro para Felix, este e Amelie, comovidos com a aparente preocupação dos três homens, os convidam para o jantar do Natal.

Joseph sai por alguns momentos e rouba um peru e outros itens para a refeição, enquanto Albert, que foi preso por matar seu tio por causa de dinheiro, incentiva Isabelle a não desistir de Paul. Incentivada pela bajulação de Albert, a jovem conta aos condenados que eles são como três anjos na decoração de sua árvore de Natal. Naquela noite, depois do jantar, um agradecido Felix dá aos homens algum dinheiro, fazendo com que Albert e Jules novamente perguntem se eles devem ou não continuar com seu plano. Só então, Andre e Paul aparecerem depois de serem liberados do navio. Na ocasião, Andre declara que veio inspecionar os livros de Felix e verificar o inventário do armazém. Ele diz ainda que Isabelle, que ele acredita estar atrás de seu dinheiro, não pode se casar com Paul.

Depois de mentir para Andre, ao dizer que o armazém está dando lucro, Joseph pede a Felix que lhe permita fazer com que os livros contábeis passem a mostrar algum lucro. Felix está prestes a concordar quando Andre reaparece, exigindo verificar os livros naquela noite. Embora Joseph e Jules se mostrem decididos a irem embora, Albert os convence a ficarem para poderem ajudar Isabelle com Paul. Assim, Joseph forja um bilhete de Paul para Isabelle, implorando-lhe para encontrá-lo no jardim e, juntamente com Jules, faz com que Paul se sinta lisonjeado e disposto a ouvir a jovem. Isabelle tenta convencê-lo a desafiar seu tio e a casar com ela, mas Andre aparece e ordena que o sobrinho vá examinar os livros do armazém.

Enfurecidos com as acusações de Andre, os condenados conduzem um julgamento simulado, e Joseph o condena à morte. Logo em seguida, ele muda de ideia, mas então, Andre entra gritando por não ter encontrado o inventário do armazém e, em seguida, agarra uma caixa decorativa que acredita ter sido roubada por Albert, e se retira para seu quarto sem considerar seu aviso de que a caixa contém sua venenosa víbora de estimação, Adolphe. Sentindo que o destino interveio, os condenados aguardam até a manhã seguinte, quando ao entrar no quarto de Andre, Joseph o encontra morto de uma mordida de cobra. Em seguida, ele forja um testamento deixando metade de seus bens para Felix e tenta fazer com que os membros da família encontrem casualmente o corpo. Ao mesmo tempo, Albert e Jules procuram por Adolphe, que se acha desaparecida.

Paul finalmente encontra o corpo de seu tio e, mal escondendo sua alegria, queima o testamento forjado por Joseph, assumindo ser o único herdeiro a herdar tudo. Em seguida, ele retorna ao quarto do tio e é mordido por Adolphe, que se achava escondida no bolso de Andre. Os condenados levam Paul para a casa de verão, onde ele mais tarde é encontrado por Isabelle. Naquele momento, Arnaud, o jovem oficial médico, representando o Conselho de Saúde, chega após ter sido convocado por Amelie e Felix. Depois de certificarem-se de que Isabelle e Arnaud se conheceram, os condenados roubam alguns ternos e se despedem da família. Ao chegarem às docas, eles percebem que se tornaram pessoas mais humanas e, concluindo que em breve seriam de alguma forma apanhados, decidem voltar para a prisão.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Michael Curtiz, a partir de um roteiro escrito por Ranald MacDougall, “Veneno de Cobra” é um filme produzido pela Paramount Pictures em 1955. Sua trama foi baseada numa peça teatral francesa, “La Cuisine des Anges”, escrita por Albert Husson, a qual fez bastante sucesso na Broadway nos anos de 1953 e 1954. Aliás, este filme de Curtiz lembra um pouco uma peça filmada, já que se desenvolve quase que exclusivamente num cenário constituído pela casa da família Ducotel.

Na direção, Curtiz, demonstrando mais uma vez seu completo domínio da câmera, nos brinda com mais um belo trabalho. Na área técnica, merece ainda ser destacada a bela fotografia em VistaVision assinada por Loyal Griggs. No elenco, Humphrey Bogart brilha no papel do condenado Joseph. Com atuações bastante convincentes, destacam-se Aldo Ray, Joan Bennett, Basil Rathbone, Leo Carroll e Gloria Talbott.

CAA