Filmes por gênero

BAIONETAS CALADAS (1951)

Fixed Bayonets!
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Baïonette au canon (França)
A bayoneta calada (Espanha)
Hijos de la gloria (Venezuela)
I figli della gloria (Itália)
Der letzte Angriff (Alemanha)
Bajonett på! (Suécia)
Bagnet na bron (Polônia)
Примкнуть штыки! (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Guerra da Coréia, Drama
Direção: Samuel Fuller
Roteiro: Samuel Fuller
Produção: Jules Buck
Música Original: Roy Webb
Direção Musical: Lionel Newman
Fotografia: Lucien Ballard
Edição: Nick DeMaggio
Direção de Arte: Lyle R. Wheeler, George Patrick
Figurino: Charles Le Maire
Guarda-Roupa: Sam Benson
Maquiagem: Ben Nye
Efeitos Sonoros: Eugene Grossman
Efeitos Especiais: Fred Sersen
Nota: 8.1
Filme Assistido em: 1953

Elenco

Richard Basehart Cabo Denno
Gene Evans Sargento Rock
Michael O'Shea Sargento Lonergan
Richard Hylton Enfermeiro John Wheeler
Herbert Lytton Médico do Exército
Craig Hill Tenente Gibbs
Stuart Randall Major General
Skip Homeier Soldado Whitey
David Wolfson Soldado Bigmouth
John Pickard Soldado Vic
John Doucette Coronel no 18º da Infantaria
George Lynn Coronel no 26º da Infantaria
Glenn Corbett Tenente
James Dean Doggie
Robert Knapp Chuck
Pat Hogan Jonesy
Paul Richards Ramirez
George Conrad Zablocki
John Drexel John
Henry Kulky Vogl
Richard Monahan Walowicz

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Durante a guerra da Coreia, uma divisão do exército americano é forçada a recuar, e o general no comando decide colocar um pelotão de 48 homens em uma montanha estratégica para impedir que o inimigo tome conhecimento do movimento antes que ele seja concluído. A "ação de retaguarda" é chefiada pelo tenente Gibbs e conta com os sargentos Rock e Lonergan, que conduzem seus homens em direção a um desfiladeiro. Durante a marcha, o cabo Denno, um militar bem treinado, mas ainda temeroso, é incapaz de matar um único inimigo. Ao atingirem o desfiladeiro, os soldados planejam suas fortificações, incluindo um campo de minas e a criação de postos de observação.

Os homens lamentam a falta de meias secas e alimentos quentes, enquanto Denno dialoga com o sargento Rock, que o adverte que, apesar de seu medo de liderança, existem apenas três homens acima dele, e que ele terá que assumir o comando do pelotão, se os mesmos forem mortos. Quando o inimigo ataca, o pelotão responde rapidamente e descobre uma grande caverna, suficiente para abrigar todos os homens. Logo depois, o tenente Gibbs é morto por um atirador, e Denno fica atormentado ao verificar que, agora, há apenas dois homens entre ele e o comando. Naquela noite, Denno confessa ao sargento Rock que, durante sua formação, por duas vezes ele deu ordens inseguras que resultaram em ferimentos graves para seus homens. O sargento o tranquiliza, dizendo-lhe que ele será capaz de lidar com a situação que vier a se apresentar.

Pela manhã, os homens são despertados pelo som alto de clarins inimigos e Whitey, um soldado, batizado de "Mr. Belvedere" por seus companheiros, por causa de sua atitude de sabe-tudo, explica que os chineses estão tentando causar um desconforto psicológico aos americanos. O sargento Rock o envia, juntamente com outro soldado, para roubarem um dos clarins, e embora eles consigam, o companheiro de Whitey é ferido. Enquanto o médico cuida dos ferimentos, o sargento Lonergan procura pelo soldado Bigmouth, que não se encontra em seu posto. Ao encontrá-lo inconsciente devido ao frio, ele procura levá-lo de volta, mas é atingido por um atirador. Por outro lado, quando o médico tenta atravessar o campo minado para resgatar o sargento ferido, ele pisa em uma das minas e é morto. Desesperado para salvar Lonergan e evitar aproximar-se do comando, Denno arrisca sua vida, ao atravessar o campo, mas infelizmente o sargento Lonergan não resiste aos ferimentos e morre.

No dia seguinte, os chineses emboscam um dos postos de observação e forçam o resto dos americanos a se esconderem na caverna. A situação se complica quando o sargento Rock é atingido e morto por uma bala ricocheteada dentro da caverna, ocasião em que Denno se vê obrigado a enfrentar seus piores medos e a assumir o comando do pelotão. Inicialmente, ele ordena aos seus homens para aguardarem a hora anteriormente determinada, mas ao ouvir um tanque inimigo se aproximando, ele decide explodir o mesmo para que os chineses não possam seguir suas tropas em retirada. Os homens são bem sucedidos ao conseguirem explodir o tanque com uma bazuca, mas logo em seguida se envolvem em uma grande batalha com o inimigo.

Enquanto isso, a divisão principal é bem sucedida em sua retirada, ao conseguirem explodir uma ponte, levando-a à sua nova posição. Quando os soldados montam um novo acampamento, eles observam alguns homens nadando através do rio e os reconhecem como sendo do pelotão de Denno. Este, com sua confiança restaurada, recorda-se das palavras e conselhos de seu amigo morto, o sargento Rock.

imagem

Comentários

Escrito e dirigido pelo cineasta Samuel Fuller, “Baionetas Caladas” é um bom filme sobre a guerra da Coreia produzido pela Twentieth Century Fox Film Corporation em 1951. Sua trama, baseada num livro de John Brophy, conta a história de um pelotão da Infantaria do exército norte-americano que é deixado na retaguarda, com a missão de retardar o avanço das tropas inimigas, permitindo assim que toda uma divisão recue em relativa segurança.  

Fuller, um veterano de guerra, realiza um ótimo trabalho ao abordar temas como o enfrentamento dos medos que naturalmente ocorrem num campo de batalha. Cenas de ação e suspense são muito bem conduzidas por ele ao longo de toda a projeção.

No elenco, com atuações bastante convincentes, destacam-se Richard Basehart e Gene Evans. O filme marca, ainda, a estreia no cinema do ator James Dean, aos 20 anos de idade.

CAA