Filmes por gênero

CONFIDÊNCIAS MUITO ÍNTIMAS (2004)

Confidences trop intimes
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Confidências demasiado íntimas (Portugal)
Confidencias muy íntimas (Espanha)
Confidenze troppo intime (Itália)
Intime Fremde (Alemanha)
Pais: França
Gênero: Drama, Suspense, Romance
Direção: Patrice Leconte
Roteiro: Jérôme Tonnerre, Patrice Leconte
Produção: Alain Sarde
Design Produção: Ivan Maussion
Música Original: Pascal Estève
Fotografia: Eduardo Serra
Edição: Joëlle Hache
Figurino: Annie Périer
Guarda-Roupa: Sandrine Kerner, Sandrine Bernard
Maquiagem: Isabelle de Araujo, Claire Vivet, Michèle Constantinides
Efeitos Sonoros: Paul Lainé, Christophe Vinghtrinier, Alexis Leverve e outros
Efeitos Especiais: Gary Pieri, Michel Vialla
Efeitos Visuais: Matthias Weber, Stephane Bidault, Christophe Chanvin
Nota: 7.8
Filme Assistido em: 2005

Elenco

Sandrine Bonnaire Anna Delambre
Fabrice Luchini William Faber
Michel Duchaussoy Dr. Monnier
Anne Brochet Jeanne
Gilbert Melki Marc, marido de Anna
Laurent Gamelon Luc
Isabelle Petit-Jacques Secretária de Dr. Monnier
Hélène Surgère Sra. Mulon
Urbain Cancelier Chatel
Albert Simono Sr. Michel
Benoît Pétré Mensageiro
Aurore Auteuil Estudante de dança
Sabrina Brezzo Assistente de dança

Indicações

Academia do Cinema Europeu

Prêmio do Júri Popular (Patrice Leconte)

Festival Internacional de Berlim, Alemanha

Prêmio Urso de Ouro (Patrice Leconte)

Videoclipes

70 anos de cinema 70 anos de cinema

Sinopse

Anna é uma bela mulher de cerca de 40 anos, casada, com problemas de relacionamento com o marido.  Depois de marcar uma consulta com um psicanalista, Dr. Monnier, na hora acordada entra, por engano, no escritório de William Faber, um consultor jurídico na área tributária.

Nervosa, fumando muito, mal se senta e já começa a despejar seus problemas para Faber, dizendo-lhe que chegou a um estado de emergência pessoal e, antes dele poder protestar, ela começa a expor os mais íntimos detalhes de seu casamento e de sua vida sexual.

Atônito e, ao mesmo tempo fascinado, Faber não tem coragem de revelar sua verdadeira identidade.  Ao terminar de falar, Anna se levanta e lhe pergunta se poderá voltar dois dias depois, ao que ele responde que sim.

Na segunda sessão, Faber tenta desfazer o mal-entendido, mas não consegue.  Desesperado, bate à porta do Dr. Monnier, a quem conta o ocorrido e pede o telefone dela, mas acaba tornando-se um novo cliente do psicanalista.  

Depois de uma semana sem aparecer, Anna se torna uma verdadeira obsessão para ele.  Quando o procura pela terceira vez, agora já tendo descoberto sua verdadeira identidade, ela o acusa de ser desonesto, afirmando que se sente como se tivesse sido por ele estuprada.

Os dias se passam até que ela volta a procurá-lo, retomando seus encontros semanais a despeito de tudo.  Como sempre, ele a ouve pacientemente.  Anna percebe, então, que nunca encontrara um homem que se dispusesse a ouvi-la dessa forma.

À medida que as confidências se aprofundam e, a partir de uma colocação do Dr. Monnier, Faber começa a fazer alguns questionamentos, tais como:  Será ela realmente casada?  Ela entrou em sua sala por engano ou propositalmente?  Será ela uma mulher perigosa?  Por outro lado, suas próprias motivações são igualmente questionadas:  Será que ele poderá realmente curá-la?  Estará ele sendo apenas um voyeur de seus sentimentos?  Estará ele a ponto de se apaixonar por ela?

Assim, num verdadeiro jogo de gato-e-rato, os dois vão construindo laços de confiança, encontro após encontro, que os tornarão novas e melhores pessoas.

imagem imagem imagem

Comentários

"Confidências Muito Íntimas" é um ótimo filme francês.  Dirigido pelo cineasta Patrice Leconte, trata-se de um filme intimista, como o próprio título sugere.  Rodado, na maior parte do tempo, em ambientes fechados, tal fato delimita as ações dos personagens principais e representa suas vocações para a solidão.

O excelente trabalho conjunto de Leconte e do Diretor de Fotografia, Eduardo Serra, dando ao escritório de Faber um ar de penumbra, reforça a idéia de tristeza e solidão em que vive o consultor jurídico.

Com uma ótima e sensível atuação, Sandrine Bonnaire torna sua personagem, Anna, inteiramente convincente, mostrando, mais uma vez, ser uma das grandes atrizes do cinema francês.  Fabrice Luchini, por sua vez, está perfeito na pele do complicado Faber.

CAA