Filmes por gênero

A CONFISSÃO DE THELMA (1950)

The file on Thelma Jordon
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Duas confissões (Portugal)
La femme à l'écharpe pailletée (França)
Il romanzo di Thelma Jordon (Itália)
Strafsache Thelma Jordan (Alemanha, Austria)
X - filmen om en farlig kvinna (Suécia)
Tie lakia pakoon (Finlândia)
Et skud i natten (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Filme Noir, Crime, Drama, Mistério
Direção: Robert Siodmak
Roteiro: Ketti Frings
Produção: Hal B. Wallis
Música Original: Victor Young
Direção Musical: Victor Young
Fotografia: George Barnes
Direção de Arte: Hans Dreier, A. Earl Hedrick
Guarda-Roupa: Edith Head
Maquiagem: Wally Westmore
Efeitos Sonoros: Harry Lindgren, Walter Oberst
Efeitos Visuais: Farciot Edouart, Gordon Jennings
Nota: 8.0
Filme Assistido em: 1962

Elenco

Barbara Stanwyck Thelma Jordon
Wendell Corey Cleve Marshall
Paul Kelly Miles Scott
Joan Tetzel Pamela Marshall
Stanley Ridges Kingsley Willis
Richard Rober Tony Laredo
Minor Watson Juiz Calvin Blackwell
Barry Kelley Promotor Pierce
Kasey Rogers Dolly, secretária de Cleve
Basil Ruysdael Juiz Jonathan David Hancock
Jane Novak Sra. Blackwell
Gertrude Hoffman Tia Vera Edwards
Harry Antrim Sidney
Kate Lawson Clara
Theresa Harris Esther
Byron Barr McCary
Geraldine Wall Inspetora
Jonathan Corey Timmy Marshall
Robin Corey Joan Marshall
John Cortay Xerife
Eric Alden Reporter
Nick Cravat Reporter
Howard Gardiner Reporter
Virginia Hunter Secretária de Pierce

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Cleve Marshall é um promotor assistente em uma cidade da California.  Casado e pai de dois filhos, mantém uma relação tensa com sua esposa, Pamela, principalmente pela interferência de seus sogros na vida do casal.

No dia do aniversário de seu casamento, Cleve sai mais cedo do trabalho para ir a um antiquário comprar algo que sua mulher demonstrou interesse em adquirir.  Ao chegar lá, toma conhecimento que a tal peça foi comprada, pouco tempo antes, por seu sogro para presentear a filha.  Sentindo-se mais uma vez invadido por eles, Cleve retorna ao escritório na hora dele ser fechado.  Miles Scott, um investigador seu amigo, informa-lhe que Pamela telefonou para dizer-lhe que não precisaria voltar pra casa enquanto os pais dela estivessem por lá.  Inconformado, abre uma garrafa de whisky e começa a beber.  Ao escritório, chega uma jovem mulher, Thelma Jordan, à procura de Miles, mas este já havia saído.  Ela conversa com Cleve sobre um roubo ocorrido na casa de sua milionária tia, onde ela mora, e em seguida, os dois vão a um bar onde ele continua a beber.  Antes de se despedirem, os dois se beijam.

No dia seguinte, ao voltar para casa, Cleve encontra Pamela e os meninos preparando-se para passarem as férias na casa de praia.  Como não pode deixar o trabalho, ele promete juntar-se à família durante os finais de semana.

Com a mulher na praia, a relação entre Cleve e Thelma vai-se estreitando, embora ele desconfie ser ela uma mulher misteriosa.  Suas suspeitas são confirmadas quando ela lhe confidencia ser uma mulher casada com um tal de Tony Laredo, mas que não vivem juntos desde que ela descobriu que ele a vinha traindo simultaneamente com várias mulheres.

Certa noite, após deixá-la em casa, Cleve volta para seu apartamento.  Mal chega a ele, recebe um telefonema de Thelma pedindo-lhe que vá urgentemente à casa dela.  Ao chegar lá, ela lhe conta que, após ouvir um tiro, encontrou sua velha tia assassinada na biblioteca, com uma arma ao seu lado e o cofre aberto.  Ao dar uma olhada nele, verificou que um valioso colar de esmeraldas havia desaparecido.

Miles Scott chega ao local do crime com seus homens.  Inicialmente, estranha o fato do testamento da Sra. Vera Edwards ter Thelma como sua grande beneficiária, uma vez que, até poucos dias antes, era desejo da Sra. Edwards destinar seus bens para a cidade, a fim de que fosse construído um parque em sua homenagem.  Por outro lado, indícios apontam para a tese de que o cofre não teria sido roubado.  Quando um dos detetives atende a um telefonema de Chicago, descobre que o mesmo foi dado por Tony, bem como, que ele jamais fora casado com Thelma.  Finalmente, ao ser inquirido por Miles, Sidney, o mordomo, põe por terra todos os argumentos usados por Thelma, de modo que, Miles decide levá-la presa.

Sabendo que o promotor que se encarregará de conduzir a acusação contra Thelma será o famoso Dr. Pierce, Cleve recomenda que ela contrate os serviços do advogado Kingsley Willis.  Por outro lado, manobra para que Kingsley contrate o irmão de Pierce para a equipe da defesa, o que fará com que o promotor seja desqualificado.  Tal fato faz com que Cleve, na qualidade de promotor assistente, assuma o caso e manobre para que Thelma seja inocentada.

Livre das acusações, ela se prepara para viajar com Tony, quando Cleve bate à sua porta.  Ela o recebe na biblioteca, onde confessa-lhe que realmente matou a tia, embora não soubesse nada a respeito do testamento.  Sua única intenção era pegar as jóias para Tony, mas, surpreendida pela tia que também se achava armada, não teve outra alternativa a não ser a de puxar o gatilho.  Tony chega por trás e golpeia Cleve, deixando-o desacordado.

Em seguida, de automóvel, Tony parte com Thelma, fazendo planos para passarem um bom tempo na Europa.  Tudo parece correr normalmente quando Thelma provoca deliberadamente um acidente na estrada.  Tony morre no local, enquanto ela é levada em estado grave para a emergência de um hospital.  Antes de morrer, conta toda a verdade a Miles.  Cleve chega um pouco antes e ouve suas últimas palavras, inclusive as de que o ama.

Na saída do hospital, Miles diz ao amigo que vai ser obrigado a relatar seu envolvimento no caso, principalmente no que diz respeito ao seu comportamento no tribunal, o que fatalmente levará à perda de sua licença como advogado.  Cleve responde-lhe que, antes de vir ao hospital, achava-se com o promotor, a quem já relatou toda sua participação no episódio.

imagem imagem imagem

Comentários

"Confissão de Thelma" é um ótimo filme-noir, embora não chegue aos pés de vários outros como, por exemplo, "Pacto de Sangue", de Billy Wilder, também com Barbara Stanwyck, "A Marca da Maldade", de Orson Welles, ou "A Embriaguês do Sucesso", de Alexander Mackendrick.

Realizado pelo cineasta Robert Siodmak, sua trama gira em torno de uma mulher misteriosa e sedutora que se aproxima de um promotor para dele tirar proveito ao envolvê-lo em uma atividade criminosa.  A fotografia em preto-e-branco, o tratamento das sombras, o suspense marcam o belo trabalho apresentado por Siodmak.

No elenco, Barbara Stanwyck é o grande nome desse filme, roubando a maioria das cenas das quais participa.  Merecem também destaques as atuações de Wendell Corey e de Paul Kelly.

CAA