Filmes por gênero

FLECHAS DE FOGO (1950)

Broken arrow
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A flecha quebrada (Portugal)
La flèche brisée (França)
L'amante indiana (Itália)
Flecha rota (Espanha)
La flecha rota (México)
Der gebrochene pfeil (Alemanha)
Den brutna pilen (Suécia)
Den brudte pil (Dinamarca)
Zlamana strzala (Polônia)
Сломанная стрела (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Faroeste
Direção: Delmer Daves
Roteiro: Albert Maltz
Produção: Julian Blaustein
Música Original: Hugo Friedhofer
Direção Musical: Alfred Newman
Fotografia: Ernest Palmer
Edição: J. Watson Webb Jr.
Direção de Arte: Albert Hogsett
Figurino: René Hubert
Guarda-Roupa: Charles Le Maire
Maquiagem: Ben Nye
Efeitos Sonoros: Harry M. Leonard, Bernard Freericks
Efeitos Especiais: Fred Sersen
Nota: 8.3
Filme Assistido em: 1952

Elenco

James Stewart Tom Jeffords
Jeff Chandler Cochise
Debra Paget Sonseeahray
Basil Ruysdael General Oliver Howard
Will Geer Ben Slade
Arthur Hunnicutt Milt Duffield
Joyce Mackenzie Terry
J.W. Cody Pionsenay
Robert Foster Dover Machogee
Raymond Bramley Coronel Bernall
Robert Adler Lonergan, condutor da Diligência
Trevor Bardette Passageiro da Diligência
Argentina Brunetti Nalikadeya, esposa de Cochise
Jay Silverheels Geronimo
Mickey Kuhn Bob Slade
John War Eagle Nahilzay
Frank McGrath Barfly
Robert Griffin John Lowrie
John Marston Maury
Edwin Rand Sargento
Billy Wilkerson Juan
Iron Eyes Cody Teese
Harry Carter Mineiro

Prêmios

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme a Promover a Paz entre os Povos

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de um Melhor Roteiro de um Faroeste Americano (Michael Blankfort, Albert Maltz)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (Jeff Chandler)

Oscar de Melhor Roteiro (Albert Maltz)

Oscar de Melhor Fotografia a Cores (Ernest Palmer)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Fotografia a Cores (Ernest Palmer )

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio Robert Meltzer (Michael Blankfort, Albert Maltz)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em 1870, o mineiro Tom Jeffords, um ex-soldado do exército da União, é convocado para Tucson pelo Coronel Bernall. Ao atravessar a cavalo o território Apache do Arizona, ele encontra um jovem Chiricahua ferido de quatorze anos de idade. Tom facilmente se esquiva da tentativa do jovem de esfaqueá-lo e, em seguida, remove algumas balas do rapaz, que se chama Machogee. Quando o jovem sente-se bem o suficiente para viajar, ele dá a Tom um colar para evitar doenças e explica que deve retornar, porque sabe que sua mãe sente sua falta.

Tom percebe, pela primeira vez, que as mães Apache, que ele considerava "selvagens," choram por seus filhos. Em seguida, Pionsenay, pai de Machogee, acompanhado de outros guerreiros, os encontra. Os guerreiros interrogam Tom e, em seguida, o soltam como recompensa por ter ajudado Machogee. Inicialmente, Tom fica impressionado com o senso de justiça deles, mas muda de ideia quando eles o amarram a uma árvore e o amordaçam para impedi-lo de avisar um grupo de mineiros que se aproxima.

Em Tucson, Tom recusa-se a ser olheiro do Coronel Bernall. Este se mostra convencido de que pode ganhar a guerra contra o líder Apache, Cochise, em seis meses, mas, Tom acredita que Cochise, que agora comanda toda a nação Apache, prevalecerá. Depois que Ben Slade, um fazendeiro cuja mulher foi morta em um ataque promovido pelos Apaches, questiona a lealdade de Tom, este decide negociar com Cochise para permitir que o correio passe pelo território Apache sem ser molestado. Para isso, ele estuda a língua e os costumes dos Chiricahua com Juan,
um Apache amigo.

Tom viaja três dias até a fortaleza de Cochise nas montanhas. Durante sua reunião com ele, Tom admite que os americanos cometeram muitos danos contra os Apaches, mas acrescenta que talvez os dois possam viver juntos como irmãos. Cochise convida Tom para passar a noite e assistir a cerimônia do nascer do sol. Satisfeito com o respeito que Tom tem demonstrado para com seu povo, Cochise o apresenta à Sonseeahray, em cuja honra a cerimônia do nascer do sol será realizada. Tom mostra-lhe o braço, que tem um ferimento de guerra, ocasião em que a bela jovem lhe toca, dizendo que o mesmo nunca mais vai voltar a incomodá-lo. Ela, então, prevê que sua vida será longa e boa.

Na manhã seguinte, enquanto se barbeia, Tom vê Sonseeahray a observá-lo com interesse. Quando ele lhe dá seu espelho, ela lhe explica que só pode falar com os jovens em cerimônias ou danças. Mais tarde, Tom a encontra casualmente e confessa que, apesar de ter vivido sozinho, sentiu-se tocado quando ela rezou por ele. Sonseeahray foge quando Cochise se aproxima. O Apache anuncia que vai permitir que os homens do correio atravessem seu território a fim de demonstrar seu poder sobre o seu povo.

De volta à Tucson, Tom apresenta o acordo para os céticos habitantes da cidade, um dos quais aposta US$300 que cinco cavaleiros não conseguirão atravessar ilesos o território Apache. Milt Duffield, responsável pelo serviço de correio, apresenta-se como o primeiro voluntário a atravessar o território indígena. Milt retorna em segurança, assim como o segundo, o terceiro e o quarto cavaleiros. No entanto, quando o Coronel Bernall resolve escoltar um trem através do território Apache, ele secretamente arma os vagões. Apesar de suas precauções, Cochise e seus homens atacam e destroem o trem. Um sobrevivente relata o ataque, assim como o quinto cavaleiro do correio que acaba de chegar em segurança.

Alguns dos habitantes da cidade acreditam que Cochise conhecia o plano do Coronel e acusam Tom de espionagem. Uma briga tem início e o General Howard por pouco impede que Tom seja enforcado. Howard pede a Tom para ajudar a negociar um tratado justo com Cochise, que concederia igualdade aos Apaches e o direito de permanecerem livres em sua própria terra. Tom leva a proposta até o guerreiro. Enquanto o Apache se acha fora, ele se encontra com Sonseeahray junto ao rio e os dois se beijam.

Quando Cochise retorna de uma batalha contra um grupo de soldados, ele relata os nomes dos Apaches mortos, incluindo Machogee e Pionsenay. Durante uma cerimônia, Cochise percebe Tom olhando para Sonseeahray e lhe explica que ela está prometida para Nahilzay. No entanto, a jovem escolhe Tom para ser seu par. Algum tempo depois, quando Cochise os encontra sozinhos, Tom confessa que quer se casar com Sonseeahray, que insiste que recusará Nahilzay como já o fez no passado.

Cochise os lembra que, qualquer que seja o lugar que eles escolham para viver, eles terão que enfrentar preconceitos de ambos brancos e Apaches. Apesar de se mostrar contra o casamento, ele aborda o assunto junto aos pais de Sonseeahray, propondo que o evento seja realizado durante a próxima lua cheia. Cochise, então, sugere que Tom marque uma reunião entre o General Howard e representantes das tribos Apache. Naquela noite, Nahilzay se infiltra na cabana de Tom e tenta matá-lo. Os dois lutam e Cochise, despertado pelo barulho, atira em Nahilzay, um de seus guerreiros mais confiáveis. Na conferência de paz, quando Tom explica os detalhes do Tratado, um dos líderes Apaches, afirma que Cochise perdeu seu gosto pela guerra e exige um novo chefe.

Cochise estimula seu povo a aprender novas formas de convivência, dizendo que os americanos estão agora mais fortes que os Apaches. Ele propõe um julgamento com duração de três "luas" para ver se o Tratado será respeitado e quebra uma flecha como um sinal de paz. Aqueles que concordarem com ele deverão prometer seguir o caminho da paz.

No décimo segundo dia de paz, Tom e Sonseeahray finalmente se casam. Quando Cochise visita o casal, ele toma conhecimento que o filho de Ben Slade se encontra por perto, acusando os Apaches de terem roubado dois potros de seu rancho. Tom e Cochise decidem investigar e, ao chegarem ao rio, juntamente com Sonseeahray, são surpreendidos por Ben Slade e seus homens, que os aguardavam escondidos por trás de algumas rochas.

Durante o tiroteio que se segue, Tom é baleado, Sonseeahray é morta e Cochise mata Slade e seu filho. Ao descobrir que sua mulher foi morta, Tom pede uma faca para matar seu assassino, mas Cochise o lembra que a paz não virá facilmente e faz votos para que nenhum Apache venha a dar início a uma nova guerra. Pouco depois, Tom e Cochise tomam conhecimento de que os assassinos foram executados.

Finalmente, Tom vai embora sabendo que sua esposa, cuja morte selou a paz, estará sempre com ele.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Delmer Daves, a partir de um roteiro escrito por Albert Maltz, “Flechas de Fogo” é um bom faroeste produzido pela Twentieth Century Fox Film Corporation em 1950. Sua trama, baseada num romance de Elliott Arnold, fala dos esforços desenvolvidos por um branco e um índio Apache para conseguirem implantar um ambiente de paz entre os dois povos.

Na direção, Daves realiza um ótimo trabalho, no que é ajudado pela bela fotografia a cargo de Ernest Palmer, bem como, pelo roteiro muito bem estruturado por Albert Maltz.

No elenco, com atuações bastante convincentes, destacam-se as de Jeff Chandler e James Stewart.

CAA