Filmes por gênero

ASCENSOR PARA O CADAFALSO (1958)

Ascenseur pour l'échafaud
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Fim-de-Semana no Ascensor (Portugal)
Elevator to the Gallows (Estados Unidos)
Lift to the Scaffold (Reino Unido)
Ascensore per il patibolo (Itália)
Ascensor para el cadalso (Espanha, México, Argentina)
Fahrstuhl zum schafott (Alemanha, Austria)
Hiss till galgen (Suécia)
De lift naar het schavot (Holanda)
Лифт на эшафот (União Soviética)
Pais: França
Gênero: Policial, Suspense
Direção: Louis Malle
Roteiro: Louis Malle, Roger Nimier
Produção: Jean Thuillier
Música Original: Miles Davis
Fotografia: Henri Decaë
Edição: Léonide Azar
Direção de Arte: Jean Mandaroux, Rino Mondellini
Maquiagem: Boris de Fast
Efeitos Sonoros: Raymond Gauguier
Efeitos Especiais: Pierre Lax
Nota: 8.8
Filme Assistido em: 1959

Elenco

Jeanne Moreau Florence Carala
Maurice Ronet Julien Tavernier
Georges Poujouly Louis
Yori Bertin Véronique
Jean Wall Simon Carala
Iván Petrovich Horst Bencker
Elga Andersen Frieda Bencker
Sylviane Aisenstein Yvonne
Micheline Bona Geneviève
Gisèle Grandpré Jacqueline Mauclair
Jacqueline Staup Anna
Marcel Cuvelier Recepcionista do Motel
Jean-Claude Brialy Jovem do motel
Gérard Darrieu Maurice
Marcel Journet Presidente do Conselho Administrativo
Lino Ventura Comissário Cherrier
Charles Denner Assistente do Comissário Cherrier
François Joux Comissário de Polícia
Jacques Hilling Garagista
Roger Jacquet Gaston
Alice Reichen Florista

Prêmios

Prêmios Louis Delluc, França

Prêmio Louis Delluc (Louis Malle)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Florence Carala e Julien Tavernier são amantes que planejam matar o marido de Florence, Simon Carala, um rico industrial que também é chefe de Julien. Este, um ex-oficial paraquedista da Legião Estrangeira, tendo servido na Indochina e na Argélia, utiliza-se de uma corda para subir até um local de onde atira em Simon, que se acha em seu escritório. Sem ser visto, Julien organiza a cena do crime para fazê-la parecer um suicídio.

No final da tarde, já dentro de seu carro, ao olhar para a janela da sala de Simon, Julien vê a corda por ele utilizada e que poderá ser considerada por peritos como uma evidência do crime praticado. Preocupado, na correria, ele deixa seu carro aberto e retorna ao edifício para removê-la. No entanto, logo depois que Julien entra num dos elevadores, o responsável pela segurança do prédio desliga a energia que o alimenta, fazendo com que ele fique preso por todo o final da semana.

Pouco depois, seu carro é roubado por um jovem casal, Louis e Véronique. Florence, que se achava num Café aguardando Julien, vê quando o automóvel passa com Véronique e assume que seu amante fugiu com outra mulher e, abatida, vagueia por toda a noite pelas ruas de Paris.

Louis e Véronique passam a noite em um motel, onde se apresentam com os nomes de Sr. e Sra. Julien Tavernier. Lá, eles conhecem Horst e
Frieda Bencker, um casal de turistas alemães. Na ocasião, Frieda tira fotos de seu marido com Louis, utilizando uma pequena câmera deste último. Depois que os Benckers se recolhem, Louis tenta roubar o carro de luxo deles, mas é surpreendido por Horst, que o ameaça com uma “arma”, na realidade um simples charuto. Com o revólver de Julien, Louis atira e mata o casal, retornando em seguida à Paris, onde se esconde no apartamento de Véronique. Convencida de que o crime será descoberto, a jovem convence Louis a se juntar a ela num pacto de suicídio. Assim, os dois tomam uma overdose de pílulas e desmaiam. Os corpos de Horst e Frieda Bencker são encontrados, juntamente com o carro, o revólver e a capa de Julien, que se torna o principal suspeito de suas mortes e tem uma fotografia sua estampada nos jornais da manhã.

Pouco antes de a polícia ir procurá-lo no escritório, a luz do edifício é restabelecida e ele finalmente consegue escapar do elevador sem ser visto, mas logo depois é reconhecido e preso em um Café.

Por outro lado, a polícia descobre o corpo de Simon em seu escritório, acreditando que o mesmo se suicidou. Julien é, então, formalmente acusado de assassinar Horst e Frieda Bencker, já que os policiais se recusam a acreditar em seu álibi de ter estado preso no elevador durante o final de semana.

No entanto, acreditando na história de Julien, Florence sai à procura de Véronique. Esta, depois de sua tentativa fracassada de suicídio, encontra-se sonolenta ao lado de Louis. Ao serem acusados por Florence, inicialmente Louis acredita que não haja qualquer evidência que o ligue ao crime, mas em seguida lembra-se da câmera que contém uma foto sua ao lado de Horst Bencker. Por ter deixado a mesma no motel, ele volta lá na esperança de recuperá-la antes que alguém revele as imagens. Florence o segue, determinada a não deixá-lo escapar.

Ao chegarem ao motel, as fotos já haviam sido reveladas e Louis é formalmente acusado de ser o verdadeiro assassino do casal alemão. No entanto, como a câmera também continha fotos comprometedoras de Julien e Florence, a polícia conclui que os dois eram amantes e que, juntos, haviam planejado a morte de Simon Carala. Assim, ambos tornam-se acusados e irão a julgamento.

imagem

Comentários

 “Ascensor para o Cadafalso”, antes de mais nada, marca o nascimento de um dos maiores cineastas de todos os tempos, o francês Louis Malle. Nesse seu primeiro longa-metragem realizado para o cinema, Malle nos brinda com uma magistral direção.

Adicionalmente, o filme conta com um roteiro muito bem escrito, do qual Malle é um dos responsáveis, com a bela e cuidadosa fotografia de Henri Decaë e com a excepcional música de Miles Davis.

No elenco, Jeanne Moreau e Maurice Ronet se mostram perfeitos em seus respectivos papéis.

Enfim, “Ascensor para o Cadafalso” é um filme imperdível e se acha entre os 300 melhores filmes que assisti em mais de 70 anos.

CAA