Filmes por gênero

MEDITERRÂNEO (1991)

Mediterraneo
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Jag älskar soldater! (Suécia)
Mediteran (Sérvia)
Sródziemnomorska sielanka (Polônia)
Jeg elsker soldater (Dinamarca)
Средиземное море (União Soviética)
Pais: Itália
Gênero: Drama, Comédia, 2ª Guerra Mundial
Direção: Gabriele Salvatores
Roteiro: Enzo Monteleone
Produção: Silvio Berlusconi, Mario C. Gori, Vittorio C. Gori, Gianni Minervini
Design Produção: Thalia Istikopoulou
Música Original: Giancarlo Bigazzi, Marco Falagiani
Direção Musical: Marco Falagiani
Fotografia: Italo Petriccione
Edição: Nino Baragli
Figurino: Francesco Panni
Guarda-Roupa: Ruggero Peruzzi
Maquiagem: Luigi Rocchetti
Efeitos Sonoros: Tiziano Crotti, Romano Checcacci, Massimo Anzellotti
Efeitos Especiais: Giovanni Corridori
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1992

Elenco

Diego Abatantuono Sargento Nicola Lo Russo
Claudio Bigagli Tenente Raffaele Montini
Giuseppe Cederna Soldado Antonio Farina
Claudio Bisio Soldado Corrado Noventa
Luigi Alberti Soldado Eliseo Strazzabosco
Ugo Conti Soldado Luciano Colasanti
Memo Dini Soldado Libero Munaron
Vasco Mirandola Soldado Felice Munaron
Antonio Catania Tenente Carmelo LaRosa
Vanna Barba Vassilissa
Luigi Montini Papa
Irene Grazioli Pastora
Alessandro Vivarelli Nonzo - marinheiro turco
Luigi Rocchetti Soldado grego

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Filme

David de Melhor Edição (Nino Baragli )

David de Melhores Efeitos Sonoros (Tiziano Crotti)

Prêmios Globo D'Oro, Itália

Globo d'Oro de Melhor Música Original (Giancarlo Bigazzi, Marco Falagiani )

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Direção (Gabriele Salvatores)

Festival Internacional do Cinema de Palm Springs, California

Prêmio do Público (Gabriele Salvatores)

Indicações

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Direção (Gabriele Salvatore)

David de Melhor Ator (Diego Abatantuono)

David de Melhor Ator Coadjuvante (Giuseppe Cederna)

David de Melhor Atriz Coadjuvante (Vanna Barba)

David de Melhor Roteiro (Enzo Monteleone )

David de Melhor Produção (Mario Cecchi Gori, Vittorio Cecchi Gori, Gianni Minervini)

David de Melhor Fotografia (Italo Petriccione)

David de Melhor Música (Giancarlo Bigazzi, Marco Falagiani)

David de Melhor Figurino (Francesco Panni)

Prêmios Globo D'Oro, Itália

Globo d'Oro de Melhor Filme (Gabriele Salvatores)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Ator (Diego Abatantuono)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Ator Coadjuvante (Giuseppe Cederna)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Produção (Gianni Minervini, Mario Cecchi Gori, Vittorio Cecchi Gori)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Estória Original (Enzo Monteleone)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Roteiro (Enzo Monteleone)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em junho de 1941, um grupo de soldados italianos, liderado pelo tenente Raffaele Montini, chega a uma pequena ilha grega, no Mar Egeu, onde montam um Posto de Observação.  A pequena vila da ilha parece abandonada, não havendo o menor sinal do inimigo nem de seus habitantes.

Logo, o rádio por eles trazido se quebra.  Algumas tentativas são feitas para recuperá-lo, sem sucesso, ficando o grupo sem qualquer contato com o resto do mundo.

A população civil local, basicamente composta de idosos, mulheres e crianças, já que os homens mais jovens haviam partido por conta da guerra, sentindo o espírito pacífico dos italianos, deixa seus esconderijos e desce a montanha.  A princípio, os soldados se preocupam por acreditarem na possibilidade de uma emboscada, mas depois relaxam.

O líder religioso informa ao tenente Montini que, antes deles chegarem, havia um grupo de alemães, os quais destruíram várias casas e afundaram seus barcos.  Assim, ao avistarem o navio que os trouxera, os moradores da vila se refugiaram nas montanhas, acreditando que os alemães estavam de volta.

Uma bela jovem, de nome Vassilissa, procura o tenente Montini, em busca de trabalho.  Na sua ausência, o Sgt. Lorusso se faz passar por ele.  Perguntada sobre suas habilidades profissionais, ela responde que é puta.  A princípio, o sargento lhe diz que vai ter que consultar o regulamento.  Depois de conversar com seus colegas de farda, é elaborada uma programação de atendimento de Vassilissa aos interessados.

O soldado Farina, que nunca havia tido relação sexual com uma mulher, logo se apaixona pela bela jovem e, ameaçando seus colegas com um fuzil, avisa que ninguém mais vai ficar com ela.  Alguns dias depois, o padre da comunidade celebra o casamento dos dois.

O tempo passa.  Três anos depois da chegada do grupo à pequena ilha, um monomotor, pilotado pelo tenente Carmelo, sofre pane e o obriga a fazer um pouso de emergência na praia onde o grupo jogava futebol.  Ao verificar que seus colegas italianos não estavam sabendo do andamento da guerra, ele os informa que Mussolini caíu e que a Itália acha-se dividida em duas.  No sul, estão os ingleses e os americanos, enquanto no norte acham-se os alemães e os fascistas.  Depois de reparar o avião, o Ten. Carmelo se despede dizendo que vai falar com seu comandante, na ilha de Creta, para que eles sejam resgatados.

Um navio inglês chega à pequena ilha, trazendo um grupo de gregos que lá moram.  Os italianos partem no mesmo, exceção de Farina que, casado, prefere desertar, refugiando-se com Vassilissa nas montanhas.

Anos depois, agora um senhor grisalho, o antigo tenente Montini retorna à ilha.  Lá, reencontra o ex-sargento Lorusso, que não se readaptando à Itália, resolvera voltar pra ilha, bem como, Farina e sua mulher, agora proprietários do Restaurante Vassilissa.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta napolitano, Gabriele Salvatore, "Mediterrâneo" é um ótimo filme, ganhador do Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira, muito embora, no meu entender, tal prêmio não tenha sido merecido, num ano em que teve, como concorrentes, filmes como, por exemplo, "Lanternas Vermelhas", do diretor chinês Yimou Zhang.

De qualquer forma, embora não tenha nada de extraordinário, o filme é uma ode à vida e à beleza, além de trazer uma mensagem anti-guerra.

Contando com a direção segura de Salvatore, a trama se desenvolve de forma sutil, ao mesmo tempo em que a fotografia de Italo Petriccione capta as belezas da ilha, principalmente o azul do mar que a cerca.  O elenco apresenta atuações regulares, inclusive no que tange aos "extras" que representam os nativos da ilha.  Talvez uma menção especial deva ser dada ao desempenho de Diego Abatantuono, no papel do Sgt. Nicola Lorusso.

 

CAA