Filmes por gênero

MALAIA (1949)

Malaya
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: East of the rising sun (Reino Unido)
Malesia (Itália)
Malaca (Espanha)
Malasia (Venezuela)
Malaesia (Romênia)
Hemligt uppdrag i Malaya (Suécia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Aventura, Drama
Direção: Richard Thorpe
Roteiro: Frank Fenton
Produção: Edwin H. Knopf
Música Original: Bronislau Kaper
Direção de Arte: Cedric Gibbons, Malcolm Brown
Guarda-Roupa: Irene, Valles
Maquiagem: Jack Dawn
Efeitos Sonoros: Douglas Shearer
Efeitos Especiais: Warren Newcombe, A. Arnold Gillespie
Nota: 8.0
Filme Assistido em: 1952

Elenco

Spencer Tracy Carnaghan
James Stewart John Royer
Valentina Cortese Luana
Sydney Greenstreet O Holandês
John Hodiak Kellar
Lionel Barrymore John Manchester
Gilbert Roland Romano
Roland Winters Bruno Gruber
Richard Loo Coronel Genichi Tomura
Ian MacDonald Carlos Tassuma
Tom Helmore Matisson
Joel Allen Agente Federal
Silan Chan Jovem malaia
Spencer Chan Comandante chinês
Luther Crockett Oficial da Marinha
DeForest Kelley Ten. Glenson
Carli Elinor Garçom
Herbert Heywood Barman
Matt Moore George
Anna Q. Nilsson Secretária
James Todd Carson
Leon Stewart Pianista

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em 1942, logo após o bombardeio de Pearl Harbor, John Royer, um ex-correspondente de um jornal, é chamado por seu editor, John Manchester, após trabalhar quatro anos no Extremo Oriente. Quando Manchester pede a Royer para ajudar num esforço para salvar a borracha, o repórter zomba e propõe um ousado esquema para contrabandear grandes quantidades de borracha da Malásia ocupada pelos japoneses. Depois de voltar para seu quarto de hotel, Royer é contactado por um agente federal chamado Kellar, que revela que investigou cuidadosamente seu passado e descobriu que sua ligação com o contrabando levou à prisão de seu amigo Carnaghan.

Mais tarde, Kellar acompanha Royer até um local onde Manchester está à espera com um grupo de homens que pretendem questioná-lo sobre seus planos. Royer explica que necessita de ouro para comprar a borracha e de um navio camuflado da Marinha para transportá-la a partir da Malásia. Royer também insiste que Carnaghan precisa ser libertado de Alcatraz para trabalhar na missão. Ele ainda se mostra zangado com Royer por ter sido responsável por sua prisão, mas concorda em cooperar em troca de sua liberdade. Quando Royer e Carnaghan seguem para a Malásia, Royer explica que ele está arriscando sua própria vida, porque seu irmão foi morto pelos japoneses. Carnaghan, por outro lado, responde que seu único interesse é o ouro.

Ao chegarem à Penang, na Malásia, Carnaghan e Royer se passam por marinheiros irlandeses e visitam um clube noturno pertencente ao Holandês, um velho amigo de Carnaghan. Lá, este é calorosamente abraçado por sua antiga amante, a cantora oportunista Luana. Holandês os apresenta ao Coronel Genichi Tomura, comandante japonês corrupto e viciado em jogo. Depois de ouvir seus planos, Holandês concorda em recrutar doze homens para a operação. Mais tarde, naquela noite, Luana relembra com Carnaghan seu relacionamento passado e pede-lhe para tirá-la de Malásia.

Na manhã seguinte, Holandês coloca Carnaghan e Royer em contato com três dos maiores plantadores do Distrito. Embora todos eles concordem em cooperar, Carnaghan e Royer mostram-se cautelosos em relação ao terceiro, Bruno Gruber, um colono alemão. Naquela noite, enquanto Carnaghan distrai o japonês, deixando-se ser preso, Royer, auxiliado por Romano e por outros guerrilheiros, consegue transportar a borracha das duas primeiras plantações para um navio americano camuflado como uma pequena ilha. Em seguida, Holandês convence o Coronel Tomura a liberar Carnaghan sob sua custódia. Receoso em confiar no alemão, Carnaghan recusa-se a participar na última remessa, mas Royer, como vingança pela morte de seu irmão, insiste em completar a missão. No entanto, pouco depois, Carnaghan cede e se junta à Royer, obrigando Gruber a confessar que os japoneses estão preparando uma emboscada para prendê-los. Royer continua sozinho e é brutalmente morto pelos homens de Tomura. Ao ouvir os tiros que sinalizaram a morte de seu amigo, Carnaghan atira em Gruber e solicita a Holandês para observar que, pelo menos, Royer morreu por suas crenças. No dia seguinte, Tomura visita Holandês a quem diz que permitirá o embarque do restante da borracha por um determinado preço. Embora suspeite de uma eventual armadilha, Carnaghan resolve completar a missão de Royer.

Enquanto Romano e seus homens entregam a borracha, Luana insiste em se juntar a Carnaghan. Quando este se aproxima do navio americano, Tomura o prende e sinaliza a flotilha japonesa para atacar o navio. No entanto, dois barcos-PT americanos surgem e afundam a flotilha com seus torpedos. No tumulto, Carnaghan é ferido, mas consegue matar Tomura. Algum tempo depois do fim da guerra, Kellar volta à Malásia para conceder uma medalha à Carnaghan, que agora vive em uma ilha com Luana. Recusando a medalha, o cínico Carnaghan sugere que ele a entregue ao Holandês.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Richard Thorpe, a partir de um roteiro escrito por Frank Fenton, “Malaia” é um interessante filme produzido pela Metro-Goldwyn-Mayer (MGM) em 1949. Sua trama, baseada numa história de Manchester Boddy, apresenta pouca violência para um filme de guerra, mas é repleta de aventuras e reviravoltas.

A direção de Thorpe é consistentemente boa, apresentando um bom ritmo do início ao fim. Os diálogos são inteligentes, dentro de um roteiro muito bem estruturado. Merece ainda ser destacada a bela fotografia a cargo de George J. Folsey.

No elenco, o maior destaque é Spencer Tracy, que nos brinda com uma excelente atuação, seguido por James Stewart, ótimo no papel de John Royer.

CAA