Filmes por gênero

MELODIA IMORTAL (1956)

The Eddy Duchin story
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Melodia fascinante (Portugal)
Tu seras un homme, mon fils (França)
Souviens-toi, mon amour (Bélgica)
Incantesimo (Itália)
Eddy Duchin (Espanha)
Melodía inmortal (Chile)
Geliebt in alle Ewigkeit (Alemanha, Austria)
Musik under stjärnorna (Suécia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Biográfico, Drama, Música, Romance
Direção: George Sidney
Roteiro: Samuel Taylor
Produção: Jerry Wald
Música Original: George Duning
Música Não Original: Ary Barroso, S. K. Russell
Direção Musical: Morris Stoloff
Fotografia: Harry Stradling Sr.
Edição: Viola Lawrence, Jack Ogilvie
Direção de Arte: Walter Holscher
Figurino: Jean Louis
Maquiagem: Clay Campbell, Robert J. Schiffer
Efeitos Sonoros: George Cooper, John P. Livadary
Nota: 8.1
Filme Assistido em: 1958

Elenco

Tyrone Power Eddy Duchin
Kim Novak Marjorie Oelrichs Duchin
Victoria Shaw Chiquita
James Whitmore Lou Sherwood
Rex Thompson Peter Duchin, aos 12 anos
Mickey Maga Peter Duchin, aos 5 anos
Shepperd Strudwick Sherman Wadsworth
Frieda Inescort Sra. Edith Wadsworth
Gloria Holden Sra. Duchin
John Mylong Sr. Duchin
Larry Keating Leo Reisman
Gregory Gaye Philip
Richard H. Cutting George, capitão do destróier
Carlyle Mitchell Médico de Marjorie
Lois Kimbrell Enfermeira
Butler Hixon Charles, o mordomo
Ralph Gamble Jimmy Walker, prefeito de Nova York
Gloria Ann Simpson Sra. Rutledge
Peter Norman Walter
William H. O'Brien Garçom
Xavier Cugat Ele próprio
Bess Flowers Convidada da festa no Cassino

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Fotografia

Oscar de Melhor Trilha Sonora de um Musical

Oscar de Melhor Gravação de Som

Oscar de Melhor Roteiro

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (George Sidney)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Musical Americano (Samuel A. Taylor)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Embora tenha-se preparado para ser farmacêutico, Eddy Duchin chega à Nova York disposto a fazer carreira como pianista.  Nesse sentido, em 1928, consegue uma vaga na Orquestra de Leo Reisman que se apresenta no Cassino do Central Park, o mais elegante 'point' noturno da sociedade nova-iorquina.  Com seu estilo diferenciado, rapidamente torna-se o mais popular membro do grupo e, em 1931, assume o lugar de Reisman.

No Cassino, ele conhece Marjorie Oelrichs, uma bela jovem, filha de uma abastada família da alta sociedade local.  Os dois terminam se apaixonando e se casando.  A felicidade do casal, entretanto, não dura muito pois, em 1937, Marjorie morre aos 23 anos de peritonite e complicações pós-parto, quando do nascimento de seu filho Peter.

Inconformado, Duchin nega-se a cuidar do filho recém-nascido, culpando-o pela morte de sua mulher.  A criança é então entregue aos tios de Marjorie, que assumem sua criação.  Duchin embarca para o exterior com seu amigo e agente, Lou Sherwood, em uma longa turnê.

Durante a 2ª Guerra Mundial, ele se alista na Marinha, servindo como tenente-músico no Pacífico.  Nesse período, ele se dá conta do erro que cometera com o filho e tenta uma reconciliação com o mesmo, mas não tem êxito face ao ressentimento demonstrado pelo garoto.

Ao retornar à Nova York, Duchin descobre que ele é apenas um estranho para seu filho.  Embora profissionalmente continue a fazer sucesso, os anos que se seguem são bastante difíceis, pois está determinado a lutar até o fim na esperança de conseguir o perdão e a confiança de Peter, agora muito ligado à Chiquita, a jovem que fora contratada para ser sua babá.

Ao procurar Chiquita, como uma forma de se aproximar do filho, os dois iniciam um relacionamento nada amistoso, por terem visões diferentes em relação à forma como Peter deva ser educado.  Com o tempo, entretanto, esse relacionamento vai-se tornando respeitoso e termina em casamento.

Duchin consegue, finalmente, aproximar-se do filho e introduzi-lo no mundo da música.  Os dois passam a tocar juntos.  Pouco tempo depois, Duchin começa a sentir dores nas mãos e a ter dificuldades para tocar piano.  O diagnóstico dos médicos é de que ele é portador de leucemia e de que tem poucos meses de vida.

Quando pai e filho tocam juntos "To Love Again", música baseada num Noturno de Chopin, Duchin sofre um novo ataque nas mãos.  Este deixa o piano, permitindo que Peter dê continuidade à sua obra.

imagem imagem imagem

Comentários

"Melodia Imortal" é um ótimo filme sobre a vida de um dos maiores pianistas americanos das décadas de 30 e 40, Eddy Duchin.  Realizado pelo cineasta George Sidney, o filme cativa a quem o assiste, tendo sido um dos maiores sucessos de bilheteria quando de seu lançamento.

Sidney apresenta um belo trabalho, com uma direção segura, enquanto Tyrone Power brilha no papel do grande músico.  Os números musicais, um dos pontos altos do filme, foram executados por Carmen Cavallaro, um dos grandes pianistas da época.

São inúmeros os ótimos momentos musicais, entre os quais se encontram o "Noturno Opus 9, nº 2", de Chopin, e "Aquarela do Brasil", de Ary Barroso.  Há, ainda, várias seqüências marcantes como, por exemplo, aquela em que Duchin fala para Chiquita sobre seu amor por Marjorie, ou as cenas finais quando ele toca em dueto com o filho.

No elenco, além de Tyrone, já citado acima, Kim Novak, a australiana Victoria Shaw e James Whitmore apresentam atuações que merecem destaque.

CAA