Filmes por gênero

DE REPENTE, NO ÚLTIMO VERÃO (1959)

Suddenly, last summer
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Bruscamente no verão passado (Portugal)
Soudain l'été dernier (França)
Improvvisamente l'estate scorsa (Itália)
De repente, el último verano (Espanha)
De repente en el verano (Argentina, México)
Plötzlich im letzten Sommer (Alemanha, Austria)
Plötsligt i somras (Suécia)
Yнeзапно, прошлым летом (Rússia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Suspense, Mistério
Direção: Joseph L. Mankiewicz
Roteiro: Gore Vidal, Tennessee Williams
Produção: Sam Spiegel
Design Produção: Oliver Messel
Música Original: Malcolm Arnold, Buxton Orr
Direção Musical: Buxton Orr
Fotografia: Jack Hildyard
Edição: William Hornbeck, Thomas Stanford
Direção de Arte: William Kellner
Figurino: Oliver Messel
Guarda-Roupa: Joan Ellacott
Maquiagem: David Aylott
Efeitos Sonoros: John Cox, Buster Ambler, Peter Thornton
Efeitos Visuais: Tom Howard
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1961

Elenco

Elizabeth Taylor Catherine Holly
Katharine Hepburn Sra. Violet Venable
Montgomery Clift Dr. John Cukrowicz
Albert Dekker Dr. Lawrence Hockstader
Mercedes McCambridge Sra. Grace Holly
Gary Raymond George Holly
Mavis Villiers Srta. Foxhill
Patricia Marmont Enfermeira Benson
Joan Young Irmã Felicity
Maria Britneva Lucy
Sheila Robbins Secretária do Dr. Hockstader
Julián Ugarte Sebastian Venable
Ian Wilson Paciente
Florence Stark Paciente
Roberta Woolley Paciente
Rita Webb Interna no Asilo
Beatrice Shaw Senhora idosa
David Cameron Jovem louro interno
Eddie Fisher Sem-teto

Prêmios

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Elizabeth Taylor)

Prêmios David di Donatello, Itália

Prêmio Golden Plate por sua brilhante atuação (Elizabeth Taylor)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Atriz em um Drama (Elizabeth Taylor)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Elizabeth Taylor)

Oscar de Melhor Atriz (Katharine Hepburn)

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Oliver Messel, William Kellner, Scott Slimon)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Katharine Hepburn)

Prêmios Bambi, Alemanha

Prêmio Bambi de Melhor Atriz Internacional (Elizabeth Taylor)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Atriz em um Drama (Katharine Hepburn)

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Trilha Sonora (Buxton Orr, Malcolm Arnold)

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Trilha Sonora (Buxton Orr, Malcolm Arnold)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

New Orleans, 1937 - Dr. John Cukrowicz realiza uma lobotomia num hospital mal aparelhado para esse tipo de cirurgia.  Ele é um jovem neurocirurgião que vem fazendo seu nome pelo país afora, ao usar essa nova técnica no tratamento de pessoas esquizofrênicas.

Desgostoso com as precárias condições do hospital, ele ameaça ir embora se alguma coisa não for feita.  É quando surge uma rica viúva, a Sra. Violet Venable, propondo uma doação de US$ 1 milhão em troca de uma lobotomia a ser feita em sua jovem sobrinha, Catherine Holly, supostamente acometida de graves problemas neurológicos e mentais, desde que voltou de suas férias na Europa no último verão, quando testemunhou o bárbaro assassinato do primo que a acompanhava.

Dr. Cukrowicz concorda em receber as duas mulheres para uma entrevista preliminar.  A Sra. Venable mostra-se uma pessoa arrogante, inteligente e altamente obcecada pelo filho morto.  Ela só fala sobre o seu brilhante filho, Sebastián, sobre quão arrasada ela se acha desde sua morte e sobre a necessidade de sua sobrinha ser lobotomizada.  Entretanto, ao conversar com a jovem Catherine, que se mostra vulnerável, amargurada, mas confiante, ele conclui que ela tem sérios problemas a serem tratados sem a necessidade de ser submetida à cirurgia.

Quando Catherine é internada em seu hospital, fica mais claro para o Dr. Cukrowicz que a Sra. Venable não está interessada na saúde da sobrinha e, sim, tentando usá-lo para fazer com que a memória da jovem venha a ser afetada, de tal forma que ela não possa revelar as circunstâncias em que o filho foi morto.

Traumatizada com o ocorrido, Catherine bloqueou suas lembranças, mas o Dr. Cukrowicz está determinado a desenterrá-las, mesmo que isso custe sua carreira.  Assim, depois de um longo tratamento, ele consegue devolver a saúde mental da jovem, quando ela lhe fala sobre o terrível incidente ocorrido durante suas últimas férias na Europa.

Num extenso monólogo, ela descreve o bizarro assassinato do primo homossexual quando viajavam pela Espanha.  Segundo ela, Sebastián a usava para atrair os jovens que se tornariam seus parceiros e, numa das ocasiões, eles partiram para cima do primo, assassinando-o e canibalizando seu corpo.

Na cena final, referindo-se a si própria na terceira pessoa, Catherine diz ao Dr. Cukrowicz que ela voltou a um presente menos doloroso:  "Ela está aqui, Doutor.  A srta. Catherine está aqui !"

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado numa peça de Tennessee Williams, "De Repente, no Último Verão" é um excelente filme sobre a frustrada tentativa de uma mulher de submeter sua sobrinha a uma lobotomia, com o fim de evitar que ela viesse a revelar alguns segredos sobre o passado do seu filho assassinado.

Realizado pelo veterano cineasta Joseph L. Mankiewicz, o filme trata de temas sérios e difíceis como  doenças mentais, assassinato, canibalismo, homossexualismo.

Além do bom trabalho de Mankiewicz, "De Repente, no Último Verão" conta com uma ótima trilha sonora, com a bela fotografia de Jack Hilgyard, com uma boa direção de arte e com as magníficas interpretações de Elizabeth Taylor e Katharine Hepburn, seguidas pelo bom trabalho desenvolvido por Montgomery Clift.

Indicadas ao Oscar de Melhor Atriz, Elizabeth Taylor e Katharine Hepburn perderam a estatueta para a francesa Simone Signoret, por sua atuação em "Almas em Leilão", de Jack Clayton.

CAA