Filmes por gênero

AMAR É SOFRER (1954)

The Country Girl
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Para sempre (Portugal)
Une fille de la province (França, Bélgica)
La ragazza di campagna (Itália)
La angustia de vivir (Espanha)
La que volvió por su amor (Chile)
Ein Mädchen vom Lande (Alemanha, Austria)
Mannen du gav mig (Suécia)
Bak kulissene (Noruega)
Деревенская девушка (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Música
Direção: George Seaton
Roteiro: George Seaton
Produção: William Perlberg
Música Original: Victor Young
Fotografia: John F. Warren
Edição: Ellsworth Hoagland
Direção de Arte: Hal Pereira, Roland Anderson
Figurino: Edith Head
Maquiagem: Wally Westmore
Efeitos Sonoros: John Cope, Gene Merritt
Efeitos Especiais: John P. Fulton
Nota: 8.8
Filme Assistido em: 1955

Elenco

Bing Crosby Frank Elgin
Grace Kelly Georgie Elgin
William Holden Bernie Dodd
Anthony Ross Philip Cook
Gene Reynolds Larry
Jacqueline Fontaine Cantora
Eddie Ryder Ed
Robert Kent Paul Unger
John W. Reynolds Henry Johnson
George Chakiris Dançarino
Jon Provost Johnnie Elgin
Chester Jones Ralph
John Florio Fotógrafo
Charles Tannen Fotógrafo
Victor Young Regente
Richard Keene Ator
Howard Joslin Ator
Hal K. Dawson Ator

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Grace Kelly)

Oscar de Melhor História e Roteiro (George Seaton)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Atriz (Grace Kelly)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Grace Kelly)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção (George Seaton)

Oscar de Melhor Ator (Bing Crosby)

Oscar de Melhor Fotografia em Preto e Branco (John F. Warren)

Oscar de Melhor Filme (William Perlberg)

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Hal Pereira, R. Anderson, Sam Comer, Grace Gregory)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz Estrangeira (Grace Kelly)

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio Palma de Ouro (George Seaton)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (George Seaton)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Direção (George Seaton)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Drama Americano (George Seaton)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em um teatro de Nova York, o diretor de palco Bernie Dodd discute, com o produtor Philip Cook, a contratação de Frank Elgin para substituir o ator principal de seu novo musical, demitido uma semana antes do início dos ensaios. Bernie admira o trabalho de Frank, mas Philip se mostra relutante pelo fato dele ultimamente ter tido sua reputação arranhada ao se tornar um alcoólatra. Bernie, no entanto, consegue finalmente convencer Philip a recebê-lo para um teste de palco, insistindo que ele se acha limpo e sóbrio. Embora não se mostre particularmente impressionado com o desempenho de Frank, Philip concorda em assinar um contrato provisório de apenas duas semanas. Como Frank havia deixado o teatro inesperadamente, Bernie vai ao seu apartamento para dar a boa notícia e, ao chegar lá, encontra Georgie, a esposa de Frank.

Frank se mostra hesitante em relação à oferta de Bernie e pede tempo para discutir o assunto com Georgie. Depois que Bernie vai embora, Georgie aconselha Frank a aceitar o papel e fazer o melhor de si. Embora preocupado com o pouco tempo que dispõe para decorar suas falas, ele finalmente concorda, acreditando que poderá sair do show se as coisas correrem mal. Durante um ensaio, ele tem dificuldade de concentração e depois, quando perguntado por Bernie sobre seu casamento, ele confessa que é inteiramente dominado por Georgie. Frank revela ainda que, depois que seu filho morreu inesperadamente, ela começou a beber, tentou o suicídio e ateou fogo em um quarto de hotel. Mais tarde, ele comenta, numa tentativa de dar um novo sentido à sua vida, que permitiu que Georgie se envolvesse em seu trabalho a ponto dela se tornar tão controladora, que ele foi levado à bebida. Bernie se compadece de Frank, lembrando que sua ex-mulher tentou igualmente assumir sua carreira. De repente, Georgie chega e os três decidem ir a um Café. Uma vez sozinho com ela, Bernie a critica por não incentivar Frank, uma acusação que ela rapidamente nega.

Ao voltar para casa, enquanto escuta o rádio, Frank ouve uma gravação antiga dele cantando "The Search is Through” e começa a relembrar: em um estúdio de gravação, após terminar de gravar a tal canção, ele insistiu em levar seu filho Johnny ao zoológico, mas fora do estúdio, ao parar para uma fotografia, ele soltou a mão do garoto por um instante, o que foi suficiente para este ser atropelado e morto.

De volta ao presente, Georgie entra no apartamento e calmamente desliga o rádio. Em seguida, ela encontra duas garrafas de bebida vazias e questiona Frank. Ele admite que se acha receioso e que está pensando em desistir do show, mas Georgie insiste para que ele não desista dessa oportunidade que lhe foi oferecida. Uma vez em Boston, onde os ensaios têm lugar, Frank se mostra nervoso e reclama de Georgie por ter insistido para que ele aceitasse a proposta recebida. Ela passa as queixas do marido para Bernie, mas este a acusa de inventar problemas e interferir na carreira do marido. Quando questionado por Bernie, Frank, que se mostra sempre agradável com os outros, nega que se encontre infeliz, fazendo com que Georgie chore, humilhada.

Depois da estreia, Frank recusa-se a dormir antes de ler as notícias sobre o musical, ficando perturbado quando elas são desfavoráveis. Com Bernie, no entanto, ele finge estar perplexo. Durante um ensaio, ele começa a consumir um xarope para tosse misturado com álcool, desconsiderando os apelos de Georgie para que não o faça. Bernie procura Georgie no camarim de Frank e novamente a acusa de intromissão. Quando ela chama o marido de beberrão inveterado, Bernie irritadamente lhe diz que Philip está pensando em substituir Frank e que o melhor para seu marido seria que ela fosse embora de Boston. Frustrada, Georgie dá um tapa em Bernie e afirma que o marido está à beira de um colapso nervoso. Depois de dizer à Georgie que o melhor é ela pegar um trem para Nova York, Bernie encontra Frank a beber o xarope para a tosse. Frank lhe diz que foi Georgie quem o comprou e, agora convencido de que ela está tentando destrui-lo, Bernie revela que Georgie está deixando a cidade.

Uma vez sozinho com Georgie, Frank lhe pede desculpas por ter mentido e lhe implora para que ela não viaje, mas a acusa de ter um namorado em Nova York. Aborrecida, ela se mostra furiosa e Frank segue para o bar mais próximo. Lá, ele bebe sem parar e, ao ouvir alguém cantando "The Search is Through”, ele lança seu copo contra um grande espelho, quebrando-o. Na manhã seguinte, depois que Georgie paga uma fiança para tirá-lo da cadeia, ainda de ressaca, ele continua a inventar desculpas para Bernie. Quando este confronta Georgie com a história ouvida de Frank sobre o passado dela como viciada em bebidas alcoólicas, ela revela que foi ele quem tentou o suicídio e lhe mostra as cicatrizes nos pulsos de Frank como prova. Depois que este segue atordoado para o teatro, Georgie fala para Bernie sobre a morte do filho e como Frank se tornou receioso de assumir a menor responsabilidade.

Bernie pede desculpas à Georgie e lhe pede para ficar em Boston, mas ela amargamente responde que não quer outra coisa que não seja sair da vida de Frank. Inesperadamente, ele a beija e admite que sua implicância nada mais era do que um disfarce pela atração que sentia por ela. Movida pela paixão de Bernie, ela finalmente concorda em permanecer em Boston. Mais tarde, ao se encontrar com Frank, Bernie lhe diz que ele está usando a morte do filho como desculpa para beber e que bebe para ocultar seu medo de não ser um vencedor.

Frank concorda com a avaliação de Bernie e escuta, resignado, quando Philip comenta que conseguiu um ator para substitui-lo. Bernie, no entanto, continua a defender a permanência Frank, agora sóbrio, quando da estreia na Broadway. Frank e o show se revelam um sucesso, mas durante uma festa promovida por Philip, ele se surpreende ao ver Georgie e Bernie juntos. Ao ser confrontada pelo marido, Georgie admite que está pensando em deixá-lo, mas também reconhece que está promovendo sua independência. Quando Frank retorna ao salão da festa, o pianista começa a tocar "The Search is Through”. Preocupada, Georgie corre para pedir ao pianista que não toque essa música. Para sua surpresa, no entanto, ela encontra Frank, ao lado do piano, a ouvir tranquilamente a canção. Radiante com o que presenciara, ela dá um beijo de adeus em Bernie e corre para o lado do marido.

imagem

Comentários

Escrito e dirigido pelo cineasta George Seaton, “Amar é Sofrer” é um fascinante filme norte-americano produzido pela Perlberg-Seaton Productions em 1954. Sua trama, baseada numa peça de Clifford Odets, é extremamente bem desenvolvida, o que prende a atenção do espectador ao longo de toda a projeção.

Na direção, Seaton, demonstrando mais uma vez seu completo domínio da câmera, nos brinda com um ótimo trabalho, no que ajudado pela excelente fotografia em preto e branco a cargo de John F. Warren. Na área técnica, merece ainda ser destacada a bela música assinada por Victor Young, com canções de Harold Arlen, Ira Gershwin e Richard A. Whiting.  No elenco, Grace Kelly brilha no papel de Georgie Elgin, ao lado de Bing Crosby e William Holden.

Enfim, “Amar é Sofrer” é um filme imperdível.

CAA