Filmes por gênero

MARES VIOLENTOS (1955)

The sea chase
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A raposa dos mares (Portugal)
Le renard des océans (França)
Poursuite en mer (Bélgica)
Gli amanti dei 5 mari (Itália)
El Zorro de los océanos (Espanha)
La cacería (Argentina)
Der See-Fuchs (Austria, Alemanha)
Jakten över havet (Suécia)
Jagten over havet (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Ação, Drama, 2ª Guerra Mundial
Direção: John Farrow
Roteiro: John Twist, James Warner Bellah
Produção: John Farrow
Música Original: Roy Webb
Fotografia: William H. Clothier
Edição: William H. Ziegler
Direção de Arte: Franz Bachelin
Guarda-Roupa: Moss Mabry
Maquiagem: Gordon Bau
Efeitos Sonoros: Francis J. Scheid, Robert J. Miller, William Thompson
Efeitos Especiais: Hans F. Koenekamp, Horace L. Hulburd
Nota: 7.3
Filme Assistido em: 1991

Elenco

John Wayne Capitão Karl Ehrlich
Lana Turner Elsa Keller
David Farrar Comandante Jeff Napier
Lyle Bettger Oficial Chefe Kirchner
Tab Hunter Cadete Wesser
James Arness Schlieter
Richard Davalos Cadete Walter Stemme
John Qualen Engenheiro Chefe Schmitt
Paul Fix Max Heinz
Lowell Gilmore Capitão Evans
Luis Van Rooten Matz
Alan Hale Jr. Wentz
Wilton Graff General Hepke
Peter Whitney Bachman
Claude Akins Winkler
Alan Lee Brounck
Victor Bartell Fotógrafo
Kenneth Brischof Marinheiro britânico
Edward Coch Repórter chileno
Jean De Briac Governador francês
John Dodsworth Oficial britânico
Anthony Eustrel Vice-Almirante britânico
Adam Williams Kruger
James O'Hara Sub-Tenente
Joey Ray Sub-Tenente
Charles Shrouder Cantor
William Reeves Cantor

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

O Capitão Karl Ehrlich é o comandante de um velho navio cargueiro alemão, o Ergenstrasse, que se acha atracado no porto de Sydney, Austrália, às vésperas da 2ª Guerra Mundial. Conhecido como um patriota, ele deixou seu alto posto na Marinha ao cair em desgraça por se recusar a apoiar o Partido Nazista alemão. Quando seu navio se prepara para zarpar, ele encontra um velho amigo, o comandante britânico Jeff Napier, que se acha em companhia de sua noiva, Elsa Keller.

Logo em seguida, a Alemanha invade a Polônia e a guerra é iminente. O Cônsul-Geral da Alemanha, na Austrália, vai até o Ergenstrasse, onde pede a Ehrlich que transporte em seu navio um espião, a fim de impedir sua captura. Ele atende ao pedido do Cônsul, mas só depois de deixar o porto de Sydney, descobre que o tal espião é, na realidade, Keller.

Velho, lento e com pouco carvão, o Ergenstrasse é visto como uma presa fácil pela Marinha australiana e por Napier, em particular. Este segue Ehrlich até Auckland, na Nova Zelândia, onde é feita uma pausa para abastecimento. Durante a estada em Auckland, o Oficial Chefe Kirchner, pró nazistas, assassina três marinheiros abandonados na ilha e esconde esse fato de seu comandante. Napier descobre os corpos e acredita que seu velho amigo é o responsável por tais mortes. Decepcionado, promete a si mesmo levar o alemão à justiça como um criminoso de guerra.

Depois de queimar os botes salva-vidas do navio para transformá-los em combustível, Ehrlich prossegue sua viagem até um atol no meio do Pacífico, onde pretende encontrar mais madeira. Uma vez lá, descobre que Kirchner havia assassinado os três homens e o obriga a assinar um relato sobre suas ações no Diário de Bordo do Ergenstrasse. Dias depois, ao chegar a Valparaiso, no Chile, Ehrlich encontra-se com Napier e descobre que o amigo o vinha seguindo desde a Nova Zelândia.

Depois de reabastecido, o Ergenstrasse parte em plena escuridão. As forças britânicas que esperavam por ele foram repentinamente desviadas para a região de Montevidéu, a fim de darem apoio aos cruzadores que pretendiam enfrentar o encouraçado alemão Graf Spee. Paralelamente, Napier pede sua transferência para participar das patrulhas da Marinha britânica no Mar do Norte, acreditando que Ehrlich deverá tentar chegar à cidade de Kiel, na Alemanha.

Por razões políticas, a rádio alemã transmite uma mensagem dando a posição do Ergenstrasse quando este passa ao largo da Noruega. Ao ouvir tal mensagem, Napier rastreia o navio e o afunda. Ehrlich e Elsa Keller não sobrevivem ao naufrágio. No entanto, quando os sobreviventes entregam o Diário de Bordo do Ergenstrasse a Napier, este verifica que seu velho amigo nada teve a ver com os assassinatos ocorridos em Auckland.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta John Farrow, a partir de um roteiro escrito por John Twist e James Warner Bellah, “Mares Violentos” é um razoavelmente bom filme do cinema americano. Embora se passe no início da 2ª Guerra Mundial, não se trata de um filme histórico. Sua trama, baseada num livro de Andrew Geer, aborda uma história inteiramente fictícia.

Na direção, o trabalho realizado por Farrow apresenta altos e baixos. No elenco, ocorre mais ou menos o mesmo. Embora encabeçado por duas grandes estrelas do cinema hollywoodiano, John Wayne e Lana Turner, os mesmos não nos brindam com uma boa química entre eles, não se acham, enfim, em seu melhores momentos. Com certeza, John Wayne não era o ator ideal para interpretar um alemão.

CAA