Filmes por gênero

VIKINGS, OS CONQUISTADORES (1958)

The Vikings
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Les Vikings (França)
I Vichinghi (Itália)
Die Wikinger (Alemanha, Austria)
Los vikingos (Espanha, México)
Vikingarna (Suécia)
Wikingowie (Polônia)
Vikingerne (Dinamarca)
Викингите (Bulgária)
Викинги (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Ação, Aventura
Direção: Richard Fleischer
Roteiro: Calder Willingham
Produção: Jerry Bresler
Design Produção: Harper Goff
Música Original: Mario Nascimbene
Direção Musical: Franco Ferrara
Fotografia: Jack Cardiff
Maquiagem: John O'Gorman, Neville Smallwood
Efeitos Sonoros: Joseph de Bretagne
Nota: 8.2
Filme Assistido em: 1960

Elenco

Kirk Douglas Einar
Tony Curtis Eric
Ernest Borgnine Ragnar
Janet Leigh Morgana
James Donald Egbert
Alexander Knox Padre Godwin
Maxine Audley Enid
Frank Thring Aella
Eileen Way Kitala
Dandy Nichols Bridget
Per Buckhøj Bjorn
Kelly Curtis Garotinha de 2 anos
Peter Douglas Garotinho de 3 anos
Georges Guéret Guerreiro Viking
Orson Welles Narrador (voz)

Prêmios

Festival Internacional de San Sebastián, Espanha

Prêmio Zulueta de Melhor Ator (Kirk Douglas)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Filme de Ação

Indicações

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Richard Fleischer)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em meados do século VIII, na Europa, tropas vikings lideradas pelo temível Ragnar, invadem o território inglês de Northumbria, matando seu rei, Edwin, e violando a rainha Enid. Dois meses depois, quando o primo do falecido rei, Aella, sobe ao trono, Enid confessa ao padre Godwin que está grávida de um filho de Ragnar e que teme pelo futuro da criança. O padre, então, lhe oferece um santuário e, depois que a criança nasce, providencia para que ela seja enviada para a Itália, onde pode crescer a salvo de Aella. Enid concorda e deixa seu filho apenas com um colar contendo uma pedra real para identificá-lo.

Vinte anos depois da morte de Enid, Aella se prepara para se casar com uma jovem princesa de Gales, Morgana, na esperança de que as forças combinadas dos dois povos acabarão com as constantes incursões vikings. Enquanto isso, Egbert, um primo de Enid que há muito tempo tem conhecimento do filho ilegítimo da prima, acreditando que Aella não tem capacidade para governar, procura secretamente Ragnar para tentar derrubar Aella. Ao ser descoberto e acusado de traição, Egbert se vê obrigado a aceitar a proteção oferecida por Ragnar, ocasião em que conhece seu impetuoso filho, Einar, que se mostra descontente com a chegada do inglês.

Algum tempo depois, ao mostrar seu falcão treinado para Egbert, Einar se irrita quando outro falcão interfere e captura sua presa. Ao descobrir que o dono do outro falcão é um escravo, Eric, Einar o acusa de ladrão e, furioso, Eric ordena que seu falcão o ataque. Como consequência, Einar termina com um de seus olhos sendo arrancado pelo tal falcão. Embora atordoado, Einar ordena que Eric seja mantido até a festa que ocorrerá à noite, quando pronunciará a sentença do escravo. Durante as festividades noturnas, no entanto, a mística Kitala prediz que o deus Viking Odin amaldiçoará quem matar Eric. Preocupados com a previsão de Kitala, Einar e Ragnar decidem que Eric será colocado numa piscina cheia de caranguejos agressivos que o morderão até que a maré alta o afogue.

Quando Eric é levado, Egbert fica assustado ao reconhecer a pedra real em seu pescoço, que o identifica como filho de Enid e meio-irmão de Einar. Mais tarde, ao se encontrar com Kitala, Egbert descobre que ele foi capturado em uma invasão viking, ainda bebê, e levado para se tornar um escravo. Enquanto Kitala reza para Odin, uma súbita mudança de vento diminui drasticamente a maré e Egbert liberta Eric, reivindicando-o como seu próprio escravo. Quando Einar protesta, Egbert ameaça de parar de desenhar seus mapas vitais para as incursões de Ragnar, a menos que ele tenha permissão para manter Eric como seu escravo.

Em seguida, Egbert fala para Ragnar sobre os planos de Aella para se casar com Morgana e sugere que, sequestrando-a, iria abalar o esquema de retaliação do rei contra os vikings. Einar concorda com as colocações de Egbert e viaja para interceptar Morgana em seu caminho para a Northumbria. Quando Kitala prediz que Eric está destinado à grandeza, com a ajuda de uma mulher, ele lamenta que provavelmente continuará a ser um escravo para sempre.

Enquanto isso, em alto mar, Einar consegue parar o navio que conduz Morgana, e tirá-la de lá juntamente com sua criada Bridget. Ele se sente atraído por suas beleza e juventude, mas seus conselheiros o lembram que a princesa deve manter sua honra para que se possa conseguir um substancial resgate de Aella. Naquela noite, Ragnar dá uma festa de boas vindas para seu filho e declara que Morgana, agora, pertence a Einar. Bastante satisfeito, este visita a jovem, mas se mostra consternado quando ela o rejeita. Pouco tempo depois, quando ele está prestes a atacá-la, Eric chega e o deixa nocauteado. Em seguida, ele se oferece para levá-la, juntamente com Bridget, em um pequeno barco onde se encontra Kitala.

No dia seguinte, Eric fala para Morgana sobre seus sentimentos por ela, mas a jovem insiste que está prometida para Aella. No entanto, quando ele se oferece para levá-la à presença de Aella para pedir-lhe sua liberação, ela concorda. Assim, de volta à Northumbria, ele se oferece para reverter a situação de Ragnar e Aella, liberando Morgana de seu compromisso. Colocada em uma cela por quebrar sua promessa, mais tarde Morgana é visitada pelo padre Godwin, que se mostra assustado ao descobrir que ela está usando o colar de pedra real que lhe foi dado por Eric.

Enquanto o padre fala para Morgana sobre o nascimento de Eric, Aella ordena que Ragnar seja jogado no poço dos lobos selvagens. Quando Ragnar pede uma espada para morrer com honra, Eric o atende, irritando Aella. Quando Ragner pula no poço, Aella ameaça matar Eric por seu desafio, até que Morgana intervém, prometendo aceitar seu pedido de casamento. Aella aceita, mas corta a mão esquerda de Eric, como castigo, e o coloca à deriva em seu pequeno barco.

Alguns dias depois, Einar tenta despertar seus homens para retomar sua busca por Eric, mas eles temem que ele seja protegido por feitiçaria. Quando um desesperado Einar reza sozinho para Odin, ele se mostra chocado com a chegada de Eric, que exige que um navio seja enviado de volta à Northumbria para salvar Morgana. Depois que Eric conta detalhes da morte honrosa de Ragnar e de seu castigo por desafiar Aella, os homens concordam em vingar a morte de Ragnar e poupar Eric até que Morgana seja resgatada.

Juntamente com Egbert, os vikings seguem para Northumbria, onde Einar e Eric lideram um agressivo ataque contra o castelo de Aella. Depois de entrarem no castelo, Eric vai em busca de Aella, enquanto Einar procura Morgana, que o padre Godwin abrigara na capela. Ao encontrar Aella, Eric o joga no poço dos lobos. Enquanto isso, na capela, Einar exige lutar por Morgana, quando ela confessa que ama Eric, apesar da revelação de que os dois são irmãos. Assim, após uma ferrenha luta, Einar termina morrendo.

Horas depois, Eric e Morgana, que planejam reunir Northumbria e Northlands em paz, oferecem um funeral tradicional viking para Einar.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Richard Fleischer, a partir de um roteiro escrito por Calder Willingham, “Vikings, os Conquistadores” é um filme norte-americano produzido em 1958 pelas empresas Bavaria Film, Brynaprod S.A. e Curtleigh Productions. Sua trama, baseada num romance de Edison Marshall, é marcada por muita ação.

Na direção, Fleischer realiza um ótimo trabalho, no que é ajudado pela magnífica fotografia a cargo de Jack Cardiff. No elenco, Kirk Douglas brilha no papel de Einar, seguido pelas ótimas atuações de Ernest Borgnine, Tony Curtis e Janet Leigh, os dois últimos casados na vida real.

CAA