Filmes por gênero

DISQUE M PARA MATAR (1954)

Dial M for murder
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Chamada para a morte (Portugal)
Le crime était presque parfait (França, Bélgica, Canadá)
Il delitto perfetto (Itália)
Bei Anruf Mord (Austria, Alemanha)
Crimen perfecto (Espanha)
La llamada fatal (Argentina)
Con M de Muerte (México, Venezuela)
Slå nollan till polisen (Suécia)
U spreekt met uw moordenaar (Holanda)
В случае убийства набирайте 'М' (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Suspense
Direção: Alfred Hitchcock
Roteiro: Frederick Knott
Produção: Alfred Hitchcock
Música Original: Dimitri Tiomkin
Direção Musical: Dimitri Tiomkin
Fotografia: Robert Burks
Edição: Rudi Fehr
Direção de Arte: Edward Carrere
Guarda-Roupa: Moss Mabry
Maquiagem: Gordon Bau
Efeitos Sonoros: Oliver S. Garretson
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1955

Elenco

Ray Milland Tony Wendice
Grace Kelly Margot Mary Wendice
Robert Cummings Mark Halliday
John Williams Inspetor Chefe Hubbard
Anthony Dawson Capitão Lesgate
Patrick Allen Detetive Pearson
George Leigh Detetive Williams
Robin Hughes Sargento da Polícia
George Alderson Detetive
Guy Doleman Detetive
Sanders Clark Detetive
Thayer Roberts Detetive
Forbes Murray Juiz
Jack Cunningham Bobby
Martin Milner Policial do lado de fora do apartamento de Wendice
Robert Dobson Fotógrafo policial
Bess Flowers Mulher na saída do navio

Prêmios

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Atriz (Grace Kelly)

Indicações

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz Estrangeira (Grace Kelly)

Prêmios Bambi, Alemanha

Prêmio Bambi de Melhor Atriz Internacional (Grace Kelly)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Alfred Hitchcock)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em seu apartamento de Londres, a rica Margot Wendice discute com seu ex-amante americano, Mark Halliday, os motivos que fizeram com que ela mudasse de idéia em relação a deixar seu marido Tony. Alguns meses antes, ela explica, Tony tornou-se subitamente mais afetuoso e agora, convencida de que ele realmente se preocupa com ela, ela pretende permanecer leal, a despeito de seu amor por Mark.

Desejando ser feliz em seu casamento, ela se preocupa com um chantagista anônimo que roubou uma carta que Mark lhe escrevera, mas que nunca pegou o dinheiro que ela pagou nem devolveu a carta. Quando Tony, um antigo profissional do tênis, volta pra casa, informa que assuntos de negócios mudaram seus planos para aquela noite, mas encoraja Mark e Margot a saírem sem ele. Tony convida ainda Mark para participar de um banquete que será realizado em seu Clube na noite seguinte.

Depois que os dois saem, Tony telefona para o Capt. Lesgate, fingindo interesse num carro que este colocou à venda. Após manipulá-lo para que venha ao apartamento a fim de negociarem, Tony surpreende Lesgate ao revelar que eles são antigos colegas da Universidade de Oxford, e que está a par de várias atividades ilegais em que Lesgate estivera envolvido. Insinuando que se casou por dinheiro, Tony diz a Lesgate que roubou uma carta de Margot e a chantageou para confirmar o envolvimento dela com Mark.

Antecipando que a esposa deverá deixá-lo, Tony quer que Lesgate a mate antes que ela saia de casa com sua fortuna. Depois que Lesgate concorda em cooperar, Tony revela seu elaborado plano: Na noite seguinte, enquanto ele e Mark estiverem no banquete, Lesgate ficará observando o apartamento e, quando Margot apagar as luzes para se deitar, ele deverá pegar uma cópia da chave, que será deixada em baixo de um tapete. Na hora combinada, Tony telefonará e, quando Margot se levantar para atender, Lesgate, que estará escondido por trás das cortinas próximas ao telefone, a estrangulará e, em seguida, atenderá ao telefonema. Antes de sair, ele deverá abrir a janela do jardim e recolocar a chave no local onde a encontrara.

Os planos correm como combinado até a hora em que Tony telefona para casa. Quando Margot se levanta para atender ao telefonema, Lesgate tenta estrangulá-la com uma meia, mas ela luta e consegue apunhalá-lo com uma tesoura. Na luta, ele cai por sobre a tesoura e morre. Em seguida, ao atender ao telefone, Margot conta para o marido o que acabara de ocorrer. Este lhe diz que vai chamar a polícia e corre imediatamente para casa. Uma vez lá, ele fecha a janela do jardim e manobra para que a polícia conclua que Margot planejou o crime, abrindo a porta para Lesgate e o assassinando em seguida para recuperar a carta que estaria com o chantagista.

Embora o Inspetor Hubbard estranhe o fato de não encontrar nenhuma chave nos bolsos de Lesgate, Margot é presa, julgada e condenada à morte. Enquanto espera herdar a fortuna da mulher, Tony começa a pagar suas contas com o dinheiro que seria dado a Lesgate.

Na véspera da execução de Margot, Mark tenta convencer Tony a inventar uma história para salvá-la. Ele sugere, por exemplo, que Tony confesse que havia contratado Lesgate para assassinar Margot e que ela agira em legítima defesa. Continuando, Mark lhe diz que ele não poderia ser acusado de um crime que não cometera. Tony recusa a idéia, dizendo que a polícia jamais acreditaria em tal história.

Quando Hubbard de repente aparece, Mark esconde-se no quarto. Lá, ele descobre a pasta com o dinheiro supostamente destinado a pagar Lesgate. Com a pasta na mão, Mark confronta Tony na frente de Hubbard. Tony descarta os questionamentos de Mark e Hubbard, ao dizer que ocultara a pasta para tentar evitar que sua esposa fosse condenada. Antes de sair, Hubbard pede a Tony para entregar todos os pertences de Margot na Delegacia Policial e, sem ser notado, troca sua capa de chuva pela de Tony.

Mais tarde, quando o apartamento se acha vazio, Hubbard entra com a chave de Tony, seguido de Mark. Policiais à paisana trazem Margot ao apartamento, ocasião em que ela não consegue abrir a porta com a chave que se encontrava em sua bolsa. Enquanto esperam, Hubbard, insinuando que precisa de evidências que comprovem suas suspeitas em relação a Tony, pede aos policiais que levem a bolsa de Margot de volta à Delegacia.

Depois de uma boa espera, Tony chega, mas não tem chave para entrar. Ao descobrir que não se encontra com sua capa, ele vai à Delegacia e, em seguida, retorna com a bolsa da esposa. Ao não conseguir, mais uma vez, abrir a porta, ele deduz que a chave que tirara do bolso de Lesgate na noite do assassinato, não era de Margot e sim do morto. Assim, ele a procura e a encontra debaixo do tapete, abrindo finalmente a porta de seu apartamento. Ao encontrar Hubbard, Mark e Margot à sua espera, ele admite que seu plano falhou e parabeniza o Inspetor por ter resolvido corretamente o caso.

imagem

Comentários

"Disque M para Matar" é mais um excelente filme do mestre do suspense, Alfred Hitchcock.  Seu roteiro foi adaptado para o cinema pelo escritor Frederick Knott, a partir da peça por ele escrita para o teatro.

Como de costume, Hitchcock realiza um magnífico trabalho, tanto na direção, como na escolha dos atores certos para os personagens principais.  Ray Milland e Grace Kelly estão perfeitos em seus respectivos papéis, seguidos pelo bons desempenhos de John Williams e Robert Cummings.

"Disque M para Matar" consegue prender a atenção do espectador do início ao fim.  Repleto de reviravoltas, o filme apresenta uma série de bons momentos como, por exemplo, a maravilhosa seqüência do julgamento de Margot, na qual ouve-se tudo que é falado, mas só se vê a reação dela.

CAA