Filmes por gênero

UM FIO DE ESPERANÇA (1954)

The high and the mighty
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Alto e poderoso (Portugal)
Écrit dans le ciel (França, Bélgica)
Prigionieri del cielo (Itália)
Escrito en el cielo (Espanha)
Prisioneros del cielo (Venezuela)
Débiles y poderosos (Chile)
Es wird immer wieder Tag (Alemanha, Austria)
Mellan himmel och hav (Suécia)
Великий и могучий (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Suspense, Ação
Direção: William A. Wellman
Roteiro: Ernest Gann
Produção: John Wayne, Robert Fellows
Música Original: Dimitri Tiomkin
Direção Musical: Dimitri Tiomkin
Fotografia: Archie Stout
Edição: Ralph Dawson
Direção de Arte: Alfred Ybarra
Figurino: Gwen Wakeling
Efeitos Sonoros: John K. Kean
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1956

Elenco

John Wayne Dan Roman
Claire Trevor May Holst
Laraine Day Lydia Rice
Robert Stack John Sullivan
Jan Sterling Sally McKee
Phil Harris Ed Joseph
Robert Newton Gustave Pardee
David Brian Ken Childs
Paul Kelly Donald Flaherty
Sidney Blackmer Humphrey Agnew
Julie Bishop Lillian Pardee
Pedro Gonzalez Gonzalez Gonzales
John Howard Howard Rice
Wally Brown Lenny Wilby
William Campbell Hobie Wheeler
Ann Doran Clara Joseph
John Qualen José Locota
Paul Fix Frank Briscoe
George Chandler Ben Sneed
Joy Kim Dorothy Chen
Michael Wellman Toby Field
Regis Toomey Tim Garfield
William Hopper Roy
Julie Mitchum Susie Wilby
Doe Avedon Srta. Spalding, aeromoça
Karen Sharpe Nell Buck
John Smith Milo Buck
Walter Reed Sr. Field
Dorothy Ford Sra. Wilson

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Trilha Sonora de uma Comédia ou Drama (Dimitri Tiomkin )

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Jan Sterling)

Prêmio de Melhor Revelação Feminina (Karen Sharpe)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção (William A. Wellman)

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Jan Sterling)

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Claire Trevor)

Oscar de Melhor Edição (Ralph Dawson)

Oscar de Melhor Canção Original (Dimitri Tiomkin, Ned Washington)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (William A. Wellman)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Dan Roman é um experiente veterano da aviação, tendo inclusive participado de várias missões durante a 2ª Guerra Mundial.  Alguns anos atrás, sua vida foi marcada pela tragédia quando, ao tentar decolar com um avião repleto de passageiros, não o conseguiu, tendo ele sido o único sobrevivente de um acidente no qual perdeu a mulher e seu único filho.  No momento, como co-piloto, prepara-se juntamente com os demais membros de uma tripulação, para iniciar um vôo comercial de Honolulu para São Francisco.

Com 21 pessoas a bordo e 115.000 litros de combustível, o avião decola para um vôo de mais de 12 horas sobre o Pacífico.  No início, a viagem é tranqüila.  Entretanto, pouco depois de ultrapassarem o ponto sem volta, ou seja, a metade do percurso, a aeronave começa a apresentar graves problemas técnicos que culminam com a perda de um dos motores, por incêndio.  Para complicar a situação, as condições atmosféricas tornam-se bastante severas, com chuvas e fortes rajadas de vento, o que fazem com que o avião passe a consumir mais combustível que o inicialmente previsto.  Os últimos cálculos do navegador dão conta de que dificilmente terão condições de chegarem a São Francisco, de modo que todos se preparam para a possibilidade de um pouso sobre o oceano.

Os passageiros são avisados sobre o que está ocorrendo.  Cada um reage de uma maneira diferente.  Os que pareciam ser pessoas fortes mostram-se inseguros, enquanto outros, que se mostravam fracos, passam a encorajar os demais.

A fim de economizarem combustível e, sob o comando de Roman, toda a carga é jogada ao mar, inclusive as bagagens dos passageiros.  A Guarda-Costeira é acionada.  Aviões e barcos partem com o fim de localizá-los e ajudá-los no caso do pouso n'água.

Embora novos cálculos do navegador admitirem maiores chances da aeronave conseguir chegar a São Francisco, o comandante John Sullivan decide iniciar a descida para o pouso no oceano.  Todos vestem coletes salva-vidas.  Um avião da Guarda-Costeira faz contato e passa a voar ao lado.  O navegador informa que conseguiram recuperar alguns minutos e que, agora, têm combustível para mais 11 minutos de vôo com possibilidades de chegarem a São Francisco em apenas 8.  Com uma margem tão pequena, Sullivan mantém sua decisão de pousarem n'água, mas Roman discorda e, tomando à força o comando, aterrissa com segurança no aeroporto.

imagem

Comentários

Baseado num livro de Ernest K. Gann e produzido em Cinemascope, "Um Fio de Esperança" é um ótimo entretenimento.  Realizado pelo cineasta William A. Wellman, o roteiro gira em torno do drama vivido por passageiros e tripulantes de um vôo entre Honolulu e São Francisco.

O trabalho de Wellman é perfeito, digno de um Oscar.  Ao contrário de usar efeitos especiais, vastamente utilizados em filmes do gênero, ele prefere desenvolver os diversos personagens, com seus medos e seus problemas pessoais.  Logo no início, ainda no aeroporto de Honolulu, uma longa cena mostra os passageiros se apresentando ao check-in, onde se identificam: um casal em lua-de-mel, outro em fase de divórcio, um cientista desgostoso com seu trabalho, um modesto pescador, etc.  Com uma duração de 2h30min, "Um Fio de Esperança" poderia parecer interminável, se não fosse a brilhante idéia de Wellman de quebrar a monotonia de uma viagem de avião, ao utilizar o recurso do flashback para dar maiores detalhes da vida de alguns dos passageiros.

A trilha sonora, assinada por Dimitri Tiomkin, é inesquecível, tendo a canção "The High and the Mighty" sido indicada ao Oscar.  Embora não tenha sido premiado, no elenco o grande nome é o de John Wayne, que rouba todas as cenas das quais participa.  Merecem ainda destaques as atuações de Jan Sterling, Claire Trevor, Robert Newton e Doe Avedon.

CAA