Filmes por gênero

ALMA EM PÂNICO (1952)

Angel face
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Vidas inquietas (Portugal)
Un si doux visage (França)
Infernale beauté (Bélgica)
Seduzione mortale (Itália)
Cara de ángel (Espanha)
Seducción mortal (Venezuela)
Engelsgesicht (Alemanha, Austria)
Planerat illdåd (Suécia)
Angyalarc (Hungria)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Filme Noir, Policial
Direção: Otto Preminger
Roteiro: Frank S. Nugent, Oscar Millard
Produção: Otto Preminger
Música Original: Dimitri Tiomkin
Fotografia: Harry Stradling
Edição: Frederic Knudtson
Direção de Arte: Albert S. D'Agostino, Carroll Clark
Figurino: Michael Woulfe
Maquiagem: Mel Berns, Larry Germain
Efeitos Sonoros: Clem Portman, Earl A. Wolcott
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1954

Elenco

Robert Mitchum Frank Jessup
Jean Simmons Diane Tremayne Jessup
Mona Freeman Mary Wilton
Herbert Marshall Sr. Charles Tremayne
Leon Ames Fred Barrett
Barbara O'Neil Sra. Catherine Tremayne
Kenneth Tobey Bill Crompton
Raymond Greenleaf Arthur Vance
Griff Barnett O Juiz
Robert Gist Miller
Morgan Farley Jurado
Jim Backus Promotor
Larry J. Blake Detetive Brady
Grandon Rhodes Capelão da Prisão
Theresa Harris Enfermeira Theresa
Bess Flowers Shirley
Alex Gerry Advogado de Frank
Roy Darmour Assistente do Promotor
Herbert Lytton Médico
Charmienne Harker Srta. Preston
Morgan Brown Harry
Jim Hope Detetive
Clark Curtiss Repórter
Lucille Barkley Garçonete

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Certa noite, o motorista de ambulância de Beverly Hills, Frank Jessup, e seu parceiro Bill são chamados à propriedade de Charles e Catherine Tremayne marcada por muitos penhascos e precipícios. Quando que eles chegam, Catherine já havia sido tratada por inalação de gás, que a polícia acredita ter ocorrido acidentalmente, mas que a rica senhora suspeita ter sido algo deliberado. No momento em que está deixando a casa, Frank percebe a bela enteada inglesa de Catherine, Diane, tocando uma melancólica peça de piano e lhe assegura que sua madrasta vai ficar bem. Quando Diane se torna histérica, Frank bate em seu rosto, para acalmá-la. Confusa, ela devolve as tapas recebidas e, depois, pede desculpas. Mais tarde, depois de sair do trabalho, Frank vai a uma lanchonete nas proximidades, sem saber que Diane está a segui-lo em seu carro esporte.

Na lanchonete, Frank tenta telefonar para sua namorada, Mary Wilton, uma recepcionista de hospital, mas não consegue. Diane entra na lanchonete e tenta paquerá-lo. Quando Mary, finalmente, telefona, Frank recusa seu convite para jantar, alegando que se acha muito cansado. Em seguida, ele e Diane saem e, durante um jantar, ela comenta que seu pai é um respeitável escritor que não conseguiu terminar seu último livro desde a morte de sua mãe, durante a guerra. Por outro lado, quando ela lhe pergunta sobre Mary, ele lhe diz que ela tem procurado economizar seu dinheiro para ajudá-lo a adquirir a garagem com que ele tanto sonha.

No dia seguinte, Diane convida Mary para almoçar e, enquanto finge querer contribuir para o fundo da garagem de Frank, faz com que ela saiba que eles passaram a noite juntos. Percebendo as táticas de Diane, Mary rejeita sua oferta, embora admita que sua fé em Frank está abalada. Naquela noite, Mary está prestes a sair com Frank quando ele mente mais uma vez sobre seu encontro com Diane. Desgostosa, ela o rejeita e sai com Bill, um admirador de longa data. Mais tarde, na lanchonete, Diane encontra Frank, que a reprime por ela ter falado com Mary. No entanto, quando ela sugere que ele dirija seu carro em sua próxima corrida, Frank a perdoa e compromete-se a falar mais sobre sua ideia.

Diane, então, convence seu pai a contratar um motorista e, ao beijá-lo ao luar, ela convence Frank a aceitar o trabalho. Logo depois, Diane informa Frank que falou com sua madrasta sobre a possibilidade dela investir em sua garagem. Assim, ele apresenta à Catherine uma proposta escrita e esta, embora desconfiada dos motivos de Diane, a aceita. No entanto, ela procura ouvir os conselhos de seu advogado, Dr. Arthur Vance, mas este se encontra fora da cidade. Mais tarde, Diane encontra-se secretamente com Frank e diz a ele que Catherine jogou sua proposta no lixo e que ela tem receio que o romance deles seja descoberto.

Frank tenta tranquilizá-la ao afirmar que Catherine não tem poder sobre ela, mas a jovem insiste que sua madrasta é capaz de fazer a cabeça de seu pai. No meio da noite, Diane, procura Frank para dizer-lhe que Catherine tentou matá-la, utilizando-se da lareira a gás. Frank se recusa a acreditar em sua história e pede para que ela volte para a cama. No dia seguinte, ele procura Mary e afirma que está deixando seu emprego e Diane. Depois de marcar um encontro com Mary para aquela noite, Frank retorna à propriedade dos Tremayne, onde começa a fazer suas malas. Ao vê-lo, Diane chora e lhe pede para fugir com ela, mostrando-lhe sua própria mala já preparada.

Admitindo que a ama, Frank concorda em ficar mais alguns dias para que ela possa pensar seriamente sobre a situação. No dia seguinte, depois que ele vai embora, Catherine se prepara para ir para Santa Barbara. Quando ela está prestes a sair, Charles pede uma carona, e depois que Catherine pisa no acelerador, o veículo se desloca para trás e cai no precipício. Catherine e Charles são mortos no acidente, e após algumas investigações, Frank e Diane são presos por assassinato. Diane, que irá herdar toda a riqueza da família, sofre um colapso nervoso e fica presa em um hospital da prisão. Para ajudá-la, o Dr. Arthur Vance contrata os serviços do Dr. Fred Barrett, um advogado de defesa de renome.

Pouco antes do julgamento ter início, o Dr. Fred convence Frank e Diane a se casarem. Em seguida, durante o julgamento, ele habilmente desmonta o testemunho dos peritos sobre a transmissão do carro, que parece ter sido adulterada, inocentando o casal. Ao deixarem a prisão, Frank comunica à Diane que vai providenciar seu divórcio.

Diane finalmente fala sobre o ciúme e a solidão que ela sentiu quando seu pai se casou com Catherine e a dor que ela sofreu ao ver seus corpos esmagados. Apesar do remorso de Diane, Frank insiste que está voltando para Mary. Em seguida, Diane visita o escritório do Dr. Barrett e insiste em confessar os assassinatos, detalhando como ela pediu ao desavisado Frank para alterar a transmissão do veículo. Ao voltar para casa, ela encontra Frank embalando seus pertences antes de partir para o México. Ela lhe pergunta se ele pode levá-la, ao que ele diz que infelizmente não, embora concorde que ela o deixe na Estação Rodoviária. No entanto, quando ele avisa que está pronto para partir e entra no carro, Diane põe o mesmo em marcha à ré e, pisando fortemente no acelerador, joga o veículo no precipício.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Otto Preminger, a partir de um roteiro escrito por Frank S. Nugent e Oscar Millard, “Alma em Pânico” é um ótimo filme ‘noir’ produzido pela RKO Radio Pictures em 1952.  Sua trama, baseada numa história de Chester Erskine, prende a atenção do espectador do início ao fim e é marcada principalmente pela presença de Jean Simmons, que se mostra uma verdadera “femme-fatale”.

Embora não se trate de uma obra premiada, a direção de Preminger é de primeira linha, assim como a fotografia de Harry Stradling e a melancólica trilha sonora assinada por Dimitri Tiomkin.

No elenco, Jean Simmons brilha no papel de Diane Tremayne Jessup, Por outro lado, com atuações bastante convincentes, destacam-se Robert Mitchum e Mona Freeman.

CAA