Filmes por gênero

UM LUGAR AO SOL (1951)

A place in the sun
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Une place au soleil (França, Bélgica, Canadá)
Un lugar en el sol (Espanha)
Ambiciones que matan (Argentina, Chile, México)
Un lugar bajo el sol (Venezuela)
Un posto al sole (Itália)
Ein platz an der sonne (Alemanha, Austria)
En plats i solen (Suécia)
Illusie van het geluk (Holanda)
Место под солнцем (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: George Stevens
Roteiro: Michael Wilson, Harry Brown
Produção: George Stevens
Música Original: Franz Waxman
Fotografia: William C. Mellor
Edição: William Hornbeck
Direção de Arte: Hans Dreier, Walter H. Tyler
Figurino: Edith Head
Maquiagem: Wally Westmore
Efeitos Sonoros: Gene Garvin, Gene Merritt
Efeitos Especiais: Gordon Jennings, Farciot Edouart, Loyal Griggs
Nota: 9.2
Filme Assistido em: 1953

Elenco

Montgomery Clift George Eastman
Elizabeth Taylor Angela Vickers
Shelley Winters Alice Tripp
Anne Revere Hannah Eastman
Keefe Brasselle Earl Eastman
Fred Clark Bellows
Raymond Burr Frank Marlowe
Herbert Heyes Charles Eastman
Shepperd Strudwick Anthony Vickers
Frieda Inescort Sra. Vickers
Kathryn Givney Louise Eastman
Walter Sande Art Jansen, advogado de George
Ted de Corsia Juiz R.S. Oldendorff
Lois Chartrand Marsha
John Ridgely Investigador
Paul Frees Reverendo Morrison
Charles Dayton Detetive Kelly
Ian Wolfe Dr. Wyeland
Marilyn Dialon Frances Brand
Al Ferguson Oficial de Justiça
Bess Flowers Espectadora no Forum

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Roteiro (Michael Wilson, Harry Brown)

Oscar de Melhor Direção (George Stevens)

Oscar de Melhor Fotografia em Preto e Branco (William C. Mellor)

Oscar de Melhor Figurino (Edith Head)

Oscar de Melhor Edição (William Hornbeck)

Oscar de Melhor Trilha Sonora de uma Comédia ou Drama (Franz Waxman)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Diretor de Filme Estrangeiro (George Stevens)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (George Stevens)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Drama Americano (Michael Wilson, Harry Brown)

Prêmios PGA, Los Angeles, Califórnia, USA

Prêmio PGA Hall of Fame - Cinema

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Ator (Montgomery Clift)

Oscar de Melhor Filme (George Stevens)

Oscar de Melhor Atriz (Shelley Winters)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Direção (George Stevens)

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Shelley Winters)

Prêmio de Melhor Fotografia em Preto e Branco (William C. Mellor)

Festival Internacional de Cannes, França

Grand Prix do Festival (George Stevens)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Atriz (Shelley Winters)

Prêmio de Melhor Direção (George Stevens)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio Robert Meltzer (Michael Wilson, Harry Brown)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

O jovem George Eastman deixa Chicago de carona e vai até o local onde se encontra uma das fábricas de seu tio Charles, um magnata da indústria de maiôs. À noite, ele bate à porta de seu tio, que o apresenta à sua mulher Louise, à sua filha Marsha e ao seu filho Earl.

Os Eastmans perguntam-lhe sobre sua mãe viúva, Hannah, que faz parte de uma missão religiosa em Chicago, mas ele polidamente desconversa tendo em vista sua posição social baixa. Depois que Charles insiste junto a Earl, que ocupa um cargo gerencial na fábrica, para que consiga um emprego para o primo, a jovem e rica Angela Vickers entra na sala, deixando George hipnotizado com sua beleza.

No dia seguinte, na fábrica, Earl contrata George para trabalhar na área de montagem onde os maiôs são encaixotados, ocasião em que lhe fala sobre as rígidas normas da empresa no que tange a envolvimentos entre os funcionários. George trabalha incansavelmente e, à noite em seu modesto apartamento, começa a fazer uma lista de sugestões para aumentar a produtividade nas linhas de montagem.

Certa noite, ele vai a um cinema e, casualmente, senta-se ao lado de uma colega de trabalho, Alice Tripp. Terminada a sessão, os dois caminham juntos, ocasião em que ela comenta que ele vai ser sempre uma pessoa diferente por ser um Eastman. George lhe responde que não é uma pessoa especial e, momentaneamente, sente-se perdido em seus pensamentos ao ver um garoto cantando num grupo missionário numa das calçadas. Depois, ele pede à Alice que fale um pouco sobre ela, oportunidade em que ela lhe diz que vem de uma família pobre e que, ironicamente, nunca aprendeu a nadar. Ao chegarem ao local onde ela mora, os dois se beijam e concordam em voltarem a se ver.

Quando ocorre o segundo encontro entre eles, os dois terminam passando a noite juntos no quarto de Alice. Na manhã seguinte, na fábrica, Charles procura George e o informa que decidiu promovê-lo, ocasião em que lhe convida para uma festa à noite. Ao saber do convite, Alice pede a George para voltar mais cedo, pois sendo o aniversário dele, ela já havia preparado uma festinha para os dois.

Uma vez na casa do tio, George sente-se deslocado e procura refúgio num deserto salão de bilhar. No entanto, Angela o vê e os dois iniciam uma conversa amistosa. Charles também chega ao salão onde pede que George telefone para sua mãe e lhe fale sobre sua promoção. Embora sentindo-se embaraçado, George atende ao pedido do tio. Em seguida, ele e Angela passam horas a dançar romanticamente.

Quando finalmente George chega à casa de Alice, esta se acha furiosa e lhe informa que está grávida. Embora atordoado, ele reafirma seu amor, mas horas depois aceita um convite de Angela para uma festa na casa dos pais dela. Uma vez lá, os dois confessam seu amor, mas George receia que Angela parta nos próximos dias para passar as férias de verão na casa de campo da família. Depois que Angela lhe assegura que tal fato não os impedirá de continuarem a se ver, os dois terminam se beijando apaixonadamente.

Alice procura o Dr. Wyeland para lhe falar sobre a gravidez, mas ele deixa claro que só a ajudará se ela realmente estiver decidida a ter o bebê. Embora Alice lhe diga que os dois precisam se casar o mais rapidamente possível, George lhe pede um tempo. Ela então concorda em esperar até a primeira semana de setembro, quando ele estará saindo de férias. Algum tempo depois, Angela vai ao apartamento de George e lhe informa que seus pais o convidaram para visitá-los na casa de campo quando ele sair de férias.

George começa suas férias despreocupadas ao lado de Angela. No isolado Lago Loon, a jovem traz à tona o assunto casamento, despertando o interesse de George quando ela lhe fala sobre um casal que se afogou ali no verão passado. Nesse meio tempo, Alice aguarda uma carta de George, mas termina vendo num jornal uma fotografia dele com Angela. Irritada, ela lhe telefona e lhe pede para regressar imediatamente, pois vai esperá-lo na Rodoviária.

Preocupado, George mente para Angela, dizendo-lhe que sua mãe se acha doente, e volta para se encontrar com Alice. Esta o ameaça de contar toda a verdade, a não ser que os dois se casem imediatamente. Assim, no dia seguinte eles vão ao Tribunal, mas o acham fechado por ser o Dia do Trabalho. Vendo uma oportunidade de se livrar da jovem pobre, ele a convida para um piquenique no Lago Loon. Entretanto, antes de chegarem ao alojamento onde passariam a noite, ele finge ter acabado a gasolina e aluga um barco usando um nome falso.

Ele, então, rema em direção ao lado mais afastado do lago e, ao anoitecer, ouve com agitação crescente como Alice vibra com a vida a dois que espera ter. Percebendo a insatisfação de George, Alice pergunta-lhe se ele gostaria que ela estivesse morta. Em seguida, ela se levanta, o bote balança e termina virando. Os dois caem na água, mas somente George consegue chegar à praia. Tropeçando no escuro, ele chega a um campo de escoteiros antes de localizar seu carro.

No dia seguinte, George volta à casa dos pais de Angela enquanto, no Tribunal, o promotor R. Frank Marlowe é notificado sobre a morte de Alice. Depois de ouvir o responsável pelo barco e o escoteiro que vira George, Marlowe conclui que apenas Alice se afogou. Detetives interrogam a senhoria de Alice que afirma que a jovem achava-se envolvida com George. Nesse meio tempo, este tem uma conversa franca com Anthony, pai de Angela, sobre seu passado, deixando-o impressionado com sua honestidade.

Embora Angela desconheça a investigação policial, George percebe que a polícia vai terminar chegando a ele, de modo que pede à jovem que acredite nele, não importa o que ela venha a ouvir a seu respeito. Depois que ela lhe jura seu eterno amor, George se despede e é preso por Marlowe.

Determinado a deixar o nome de sua filha longe do julgamento, Anthony decide bancar a defesa de George. Angela acompanha o processo, mas fica aturdida com a reviravolta dos acontecimentos. Durante o julgamento, várias testemunhas incriminam George e Marlowe o acusa de ter dado golpes na cabeça de Alice antes de jogá-la ao mar. Ele admite que chegou a planejar a morte de Alice, mas que mudou de idéia antes que o bote acidentalmente virasse. Apesar de seu sincero testemunho, George é condenado e sentenciado à morte.

Na prisão, ele é aconselhado pela mãe a verificar, no fundo de seu coração, se realmente fez de tudo para salvar Alice. Assombrado por uma visão de Angela, ele confessa que se acha inseguro.

Pouco antes de ser executado, Angela o visita e calmamente declara que ainda o ama. Aceitando seu destino, George é finalmente levado para a morte.

imagem

Comentários

"Um Lugar ao Sol" é um excelente filme.  Com um ótimo roteiro, baseado no livro de Theodore Dreiser, 'Uma Tragédia Americana', George Stevens realiza essa maravilha, com bons momentos de suspense que chegam a lembrar o mestre Hitchcock.

Montgomery Clift está fabuloso no papel do jovem à procura de seu lugar ao sol.  Elizabeth Taylor, além de extremamente linda, está maravilhosa como a jovem e rica Angela.   Para completar o triângulo amoroso, temos Shelley Winters numa primorosa atuação, que lhe valeu a indicação ao Oscar de melhor atriz.

Destaco, ainda, a maravilhosa fotografia de William Mellor e a bela trilha sonora de Franz Waxman.

CAA