Filmes por gênero

SUEZ (1938)

Suez
imagem

Ficha Técnica

Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Histórico, Romance
Direção: Allan Dwan
Roteiro: Philip Dunne, Julien Josephson
Produção: Gene Markey
Música Original: Charles Maxwell, Cyril Mockridge, David Raksin, Ernst Toch
Direção Musical: Louis Silvers
Fotografia: J. Peverell Marley
Edição: Barbara McLean
Direção de Arte: Bernard Herzbrun, Rudolph Sternad
Figurino: Royer
Guarda-Roupa: Sam Benson, Eddie Armand, Carrie O'Neil
Maquiagem: Ben Nye, Carl Axzelle
Efeitos Sonoros: Arthur von Kirbach, Roger Heman Sr., Edmund H. Hansen
Efeitos Especiais: Fred Sersen
Nota: 7.8
Filme Assistido em: 1950

Elenco

Tyrone Power Ferdinand de Lesseps
Loretta Young Condessa Eugenie de Montijo
Annabella Toni Pellerin
J. Edward Bromberg Príncipe Said
Joseph Schildkraut Visconde René De Latour
Henry Stephenson Conde Mathieu de Lesseps
Sidney Blackmer Marquês Du Brey
Maurice Moscovitch Mohammed Ali
Sig Ruman Sargento Pellerin
Nigel Bruce Sir Malcolm Cameron
Miles Mander Benjamin Disraeli
George Zucco Primeiro Ministro
Leon Ames Napoléon III - Imperador da França
Rafaela Ottiano Maria De Teba
Victor Varconi Victor Hugo
Georges Renavent Presidente do Banco
Frank Reicher General Changarnier
Carlos De Valdez Conde Hatzfeldt
Jacques Lory Millet
Brandon Hurst Franz Liszt
Marcelle Corday Mme. Paquineau
Alphonse Martell General St. Arnaud
Egon Brecher Médico
Odette Myrtil Duquesa
Nita Pike Julia

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Fotografia (J. Peverell Marley)

Oscar de Melhor Gravação de Som (Edmund H. Hansen)

Oscar de Melhor Trilha Sonora (Louis Silvers)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em 1850, durante uma recepção dada em Paris por Louis Napoleon, sobrinho de Napoleão Bonaparte e Presidente da República francesa, uma cartomante prevê que a Condessa Eugenie De Montijo de Madrid, por quem Louis se interessou, levará uma vida perturbada e usará uma coroa. A cartomante, em seguida, prevê que o acompanhante de Eugenie, Ferdinand de Lesseps, filho do cônsul-geral para o Egito e um dos diplomatas mais jovens e promissores vai cavar fossos. Depois que Louis vê Ferdinand tirando sarro de seu desejo pelo trono, ele envia o jovem diplomata para o Consulado do Egito.

Eugenie, satisfeita por Louis ter demonstrado interesse por ela, recusa uma proposta de casamento de Ferdinand, mas chora depois que ele vai embora. No Egito, que é uma província do Império Turco, Toni Pellerin, neta de um sargento baseado no Consulado, apaixona-se por Ferdinand, que tem a tarefa de cuidar do jovem príncipe Said, filho mimado de vice-rei Mohammed Ali.

Durante a inspeção anual do vice-rei ao istmo de Suez, Toni passeia com Ferdinand pelo deserto, onde se protegem de uma tempestade em umas ruínas, ocasião em que ela confessa seu amor por ele que, no entanto, continua apaixonado pela Condessa Eugenie. Quando eles veem um arco-íris, Ferdinand imagina um canal ligando o Mediterrâneo ao Mar Vermelho, que beneficiaria todo o mundo e percebe o significado da profecia da cartomante. Tendo Toni como sua secretária, Ferdinand vai à Paris a fim de conseguir fundos para a construção.

Louis Napoleon, no entanto, se recusa a dar seu apoio. Quando tumultos irrompem nas ruas, membros da assembleia, incluindo o pai de Ferdinand, passam a temer que Louis tenha provocado os tumultos com o intuito de declarar-se imperador face ao caos resultante. A Condessa Eugenie, agora amante de Louis, procura a ajuda de um desanimado Ferdinand para convencer seu pai a exortar a dissolução da Assembleia.  

Depois que o pai de Ferdinand morre de um derrame, Bonaparte o compensa aprovando a construção do canal, mas manda prender os opositores. Isso faz com que todos os seus amigos se sintam traídos por ele. Apesar de se sentir enganado e desonrado, Ferdinand resolve iniciar a construção do canal, atendendo ao desejo de seu amigo e agora Vice-Rei do Egito, Said, além de ser incentivado por Toni, que não esconde continuar apaixonada por ele.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Allan Dwan, a partir de um roteiro escrito por Philip Dunne e Julien Josephson, “Suez” é um bom filme produzido pela 20th Century Fox em 1938. Sua trama, baseada numa obra fictícia de Sam Duncan, fala sobre a vida do diplomata francês, Ferdinand de Lesseps, e nos seus esforços para construir o Canal de Suez no período de 1859 a 1869.

A direção de Dwan se mostra apenas razoável. Por outro lado, são excelentes a fotografia de J. Peverell Marley, e a trilha sonora assinada por Louis Silvers.

No elenco, Tyrone Power brilha no papel do diplomata Ferdinand de Lesseps, seguido pelas ótimas atuações de Loretta Young e Annabella.

CAA