Filmes por gênero

DUAS GAROTAS E UM MARUJO (1944)

Two girls and a sailor
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Um Marinheiro para duas (Portugal)
Deux jeunes filles et un marin (França)
Due ragazze e un marinaio (Itália)
Dos chicas y un marinero (Argentina, Espanha, Venezuela)
Mein schatz ist ein matrose (Alemanha)
Tre hjärtan i otakt (Suécia)
To piger og en sømand (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Musical, Comédia Romântica
Direção: Richard Thorpe
Roteiro: Richard Connell, Gladys Lehman
Produção: Joe Pasternak
Música Original: Calvin Jackson
Direção Musical: George Stoll
Fotografia: Robert Surtees
Edição: George Boemler
Direção de Arte: Cedric Gibbons
Figurino: Irene
Guarda-Roupa: Kay Dean
Efeitos Sonoros: Douglas Shearer, James Burbridge
Nota: 8.3
Filme Assistido em: 1946

Elenco

June Allyson Patsy Deyo
Gloria DeHaven Jean Deyo
Van Johnson John Dyckman Brown III
Tom Drake Sgt. Frank Miller
Henry Stephenson John Dyckman Brown I
Henry O'Neill John Dychman Brown II
Ben Blue Ben
Carlos Ramírez Ele próprio
Lena Horne Ela própria
Jimmy Durante Billy Kipp
Ava Gardner Rockette
Gigi Perreau Jean, aos 2,5 anos
Sandra Lee Jean, com 1 ano
José Iturbi Ele próprio
Gracie Allen Ela própria
Donald Meek Sr. Nizby
Helen Forrest Ela própria
Harry James Ele próprio
Xavier Cugat Ele próprio
Virginia O'Brien Ela própria
Lee Wilde Ela própria
Frank Holiday Jr. Ele próprio
Frank Jenks Dick Deyo

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Roteiro Original (Richard Connell, Gladys Lehman)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

As irmãs Patsy e Jean Deyo cresceram assistindo seus pais cantarem e dançarem juntos no circuito de Vaudevile, e assim que atingem idade suficiente, iniciam suas próprias carreiras. Como adultas, a sóbria e responsável Patsy constantemente chama a atenção de sua irmã mais nova, mais despreocupada em relação a flertes casuais, sobre a necessidade e importância de se guardar para um homem bom e companheiro.

Depois que Jean, que deseja se casar com um homem rico, recebe umas orquídeas de um admirador que se assina apenas como "Alguém", ela e Patsy tentam, sem sucesso, identificá-lo durante uma de suas apresentações numa Casa Noturna. Mais tarde naquela noite, Jean e Patsy convidam dezenas de marinheiros e soldados para seu apartamento, ocasião em que ambas sentem-se atraídas pelo mesmo marinheiro chamado Johnny. Este, no entanto,  sente-se atraído por Jean, que também é objeto da afeição do Sgt. Frank Miller, o qual, por sua vez, tem um bate-papo agradável com Patsy. Durante a noite, Jean aponta para um armazém abandonado, próximo de seu apartamento, comentando com Johnny que ela e a irmã gostariam de converter o tal armazém em uma Cantina.

No dia seguinte, através do Sr. Nizby, Jean e Patsy tomam conhecimento que “Alguém” comprou o armazém para elas. Quando as duas irmãs vão inspecionar o local, verificam que o mesmo está passando por uma reforma que o transformará em um teatro-cantina. Elas descobrem ainda que Billy Kipp, um popular artista do vaudevile que elas conheciam desde crianças, tem vivido ali secretamente como um eremita, desde que sua mulher e filho o deixaram anos atrás. Elas o convencem a permanecer no armazém e, quando termina a restauração do edifício, produzem um show pago por “Alguém” e freqüentado por centenas de militares, incluindo Johnny e Frank.

Certa noite, enquanto Jean e Patsy dançam com Johnny, Billy Kipp ouve o bailarino Ben fazer uma encomenda de orquídeas por telefone, assumindo então ser ele “Alguém”. Em seguida, corre para contar às irmãs suas suspeitas, mas logo percebe que Ben estava mandando flores para sua esposa. Quando Johnny pergunta à Patsy quem ela gostaria que fosse “Alguém”, ela lhe responde que gostaria que ele fosse uma pessoa muito boa para se casar com sua irmã Jean. Naquela noite, Patsy tem um sonho perturbador, no qual ela é cortejada por Johnny, mas acaba por perdê-lo para Jean.

Na manhã seguinte, Billy Kipp ouve o Sr. Nizby colocar uma ordem para a cantina e mandar debitar o custo na conta de John Dyckman Brown. Descoberta, finalmente, a identidade de “Alguém”, Billy corre para contar a boa notícia para Jean e Patsy. Enquanto Jean fica feliz ao saber que o famoso milionário é seu admirador, Patsy sente-se perturbada e vai até a mansão dos Brown para confrontá-lo. Depois de acusar o idoso John Dyckman Brown I e seu filho de meia-idade, John Dyckman Brown II, de estarem brincando com as afeições de sua irmã, Patsy toma conhecimento que "Alguém" é John Dyckman Brown III, e que este é nada mais nada menos que Johnny.

A jovem sente-se devastada, mas finge estar feliz por conta de sua irmã. Depois que ela vai embora, Johnny confessa ao pai e ao avô que realmente está apaixonado por ela, mas que tem medo de ferir Jean. Mais tarde, em Nova York, uma Patsy deprimida chega atrasada ao show e, relutantemente, fala à Jean sobre Johnny. A excitação de Jean por conta do dinheiro de Johnny coloca Patsy ainda mais pra baixo, que termina deixando o local em lágrimas.

Sem que Patsy e Jean saibam, o pai e o avô de Johnny chegam ao teatro-cantina para assistir ao show, sendo surpreendidos quando Billy Kipp sobe ao palco para atuar no lugar das duas irmãs. Jean, por sua vez, percebe que a irmã se acha apaixonada por Johnny e pergunta a Frank, por quem ela sempre se sentiu atraída, se ele é apaixonado por ela. Quando ele lhe responde que sim, ela o beija e, no dia seguinte, anuncia à Patsy e aos Browns, que ela e Frank, um fazendeiro produtor de cebolas, estão se casando. Logo a seguir, Johnny propõe casamento à Patsy e, à noite, na Cantina, Billy Kipp reencontra seu filho, Junior, que há muitos anos havia ido embora com a mãe.

imagem

Comentários

Roteirizado por Richard Connell e Gladys Lehman, “Duas Garotas e um Marujo” é uma deliciosa comédia musical da Hollywood de meados dos anos 40. Realizado pelo cineasta Richard Thorpe, sua trama gira em torno de duas irmãs que, a exemplo de seus pais, desejam ter seu próprio teatro-cantina para entreterem principalmente os militares das três armas, durante a 2ª Guerra Mundial.

Partindo de um ótimo roteiro, Thorpe faz maravilhas com o material e os astros que lhe são colocados à disposição, resultando nessa comédia repleta de grandes canções interpretadas pelos próprios músicos e cantores da época. Assim, passam pela tela, ao vivo, além de June Allyson, Gloria DeHaven e Van Johnson, nomes como os de Lena Horne, Helen Forrest, Harry James e sua Orquestra, Xavier Cugat e sua Orquestra, José Iturbi, Gracie Allen, Carlos Ramirez, entre outros. Ao assistir esse filme pela primeira vez em 1946, aos 12 anos de idade, Lena Horne, Helen Forrest e Harry James eram verdadeiros ídolos da música americana.

Enfim, “Duas Garotas e um Marujo” é um filme imperdível para os amantes do gênero.

CAA