Filmes por gênero

DEMÉTRIO E OS GLADIADORES (1954)

Demetrius and the Gladiators
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Demétrio, o gladiador (Portugal)
Les gladiateurs (França, Bélgica)
Demetrio e i gladiatori (Itália)
Demetrius y los gladiadores (Espanha)
Demetrio el gladiador (México)
Die gladiatoren (Alemanha, Austria)
Gladiatorerna (Suécia)
Demetrius og gladiatorerne (Dinamarca)
Demetriusz i gladiatorzy (Polônia)
Деметрий и гладиаторы (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Bíblico, Histórico, Drama
Direção: Delmer Daves
Roteiro: Philip Dunne
Produção: Frank Ross
Música Original: Franz Waxman
Música Não Original: Alfred Newman
Coreografia: Stephen Papich
Fotografia: Milton Krasner
Edição: Dorothy Spencer, Robert Fritch
Direção de Arte: George W. Davis, Lyle R. Wheeler
Guarda-Roupa: Charles Le Maire
Maquiagem: Ben Nye
Efeitos Sonoros: Roger Heman Sr., Athur von Kirbach
Efeitos Especiais: Ray Kellogg
Nota: 8.2
Filme Assistido em: 1955

Elenco

Victor Mature Demétrio
Susan Hayward Messalina
Michael Rennie Pedro
Debra Paget Lucia
Anne Bancroft Paula
Jay Robinson Calígula
Barry Jones Cláudio
William Marshall Glycon
Richard Egan Dardanius
Ernest Borgnine Strabo
Charles Evans Cassius Chaerea
Selmer Jackson Senador
Woody Strode Gladiador
Ray Spiker Gladiador
Paul Stader Gladiador
Gil Perkins Gladiador
Jim Winkler Gladiador
Fred Graham O decurião
Paul Newlan Potter
Everett Glass Kaeso
John Cliff Varus
Douglas Brooks Primo
Barbara James Dançarina
Willetta Smith Dançarina
Karl Davis Macro

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em Roma, o imperador Calígula ouve falar que Pedro, conhecido como o pescador, encontra-se na cidade com o manto que teria sido usado por Cristo.  Segundo o que lhe foi dito, mesmo sendo crucificado, Cristo continuava vivo graças aos poderes milagrosos do tal manto.  Ordena então aos seus homens, que descubram e tragam para ele o referido manto, pois deseja viver para sempre.

Ao viajar para o norte, Pedro deixa o manto sagrado aos cuidados de Demétrio, um antigo escravo grego que conseguiu sua liberdade e se tornou cristão.  Este o leva para a casa de Lucia, sua namorada.  Quando os soldados romanos chegam ao local, à procura do manto, Lucia sai correndo, sendo perseguida por um decurião pretoriano.  Demétrio sai em sua defesa e termina sendo levado preso e, em seguida, condenado a ser treinado para a arena na Escola de Claudio, tio de Calígula.

Na véspera do aniversário do imperador, Claudio e sua mulher, Messalina, vão à Escola pedir que as lutas do dia seguinte sejam especiais, em homenagem a Calígula.  Na ocasião, Messalina toma conhecimento que Demétrio é cristão e, como tal, deve negar-se a matar um ser humano.  Desejosa de ver seu comportamento na arena, ordena que ele enfrente Glycon, um dos melhores gladiadores da Escola.  No dia seguinte, quando se dá o encontro entre os dois, Demétrio subjuga seu oponente, mas quando Calígula ordena-lhe que dê o golpe fatal em Glycon, ele se nega a fazê-lo, alegando ser cristão.  Messalina pede ao imperador que atenda ao pedido de Demétrio, mas que o faça lutar contra três tigres.  Calígula atende ao seu pedido e Demétrio vê-se obrigado a enfrentar as três feras, uma após outra, matando as três, embora saia ferido.

Messalina interessa-se por ele e o transforma em seu guarda pessoal.  Entretanto, quando ela tenta seduzi-lo, ele se nega a entrar em seu jogo e é mandado de volta à Escola.  Por ela perseguido, é indicado para lutar com vários gladiadores.  Na véspera das lutas, como de costume, Messalina prepara um banquete para os que vão se degladiar, ocasião em que prostitutas são admitidas para o que será a última noite de muitos.  Tentando desesperadamente ver Demétrio, Lucia se faz passar por uma delas e consegue entrar na Escola.  Ao vê-los juntos, Messalina sente que Lucia representa muito para Demétrio e faz com que eles sejam separados, prendendo-o.  Enquanto isso, Lucia é carregada à força por Dardanius e termina desmaiando em seus braços.  Assistindo a tudo de longe, Demétrio implora a Deus pela segurança de sua amada.  Quando alguém grita que a jovem havia morrido, ele se revolta contra Deus, sendo invadido por um desejo de vingança contra aqueles responsáveis pela morte de Lucia.

No dia seguinte, mesmo tendo sido retirado da programação, por ordem de Messalina, Demétrio pega uma espada e entra na arena.  Dardanius é o primeiro que ele enfrenta e mata.  Em seguida, enfrenta um 2º gladiador, que também é por ele morto.  Finalmente, enfrenta três gladiadores ao mesmo tempo e acaba com todos.  Impressionado com o seu desempenho, o chefe da Guarda, Cassius Chaerea, declara a Calígula que, na história dos jogos romanos, nunca viram algo semelhante e pede que o imperador declare Demétrio livre, para o resto de sua vida, e o indique para a Guarda Pretoriana.

Culpando Deus pela morte de Lucia, ao ser perguntado pelo imperador sobre seu Deus, ele lhe responde que o único que reconhece chama-se César.  Assim, torna-se um homem livre, sendo ainda acolhido na Guarda Pretoriana como tribuno.  Logo depois, torna-se amante de Messalina, indo com ela passar os três meses do verão no Templo de Vênus, localizado no litoral.

Pedro chega do norte e o procura.  Demétrio afirma-lhe que não acredita mais em Cristo e pede que ele se retire.  Enquanto isso, no Fórum Romano, o povo zomba de Calígula e destrói suas estátuas.  Messalina chega do litoral e informa ao imperador que Pedro está de volta à Roma.  Obcecado pelo manto, Calígula atribui a Demétrio a missão de localizá-lo e de trazê-lo à sua presença.

Demétrio vai à casa de Kaeso, onde encontra Pedro e Lucia, esta em um sono profundo, desde o episódio da Escola de Gladiadores.  Arrependido por ter perdido a fé em Cristo, ele se agarra ao manto e pede perdão a Deus por sua fraqueza.  Para seu espanto, Lucia acorda, voltando ao seu estado normal.

Pedro permite-lhe que leve o manto sagrado até o imperador.  Uma vez com o manto em suas mãos, Calígula ordena a um guarda que mate um prisioneiro e, em seguida, tenta ressuscitá-lo.  Não o conseguindo, joga o manto nos pés de Demétrio afirmando que o mesmo é uma fraude.  Este reage e é preso.  Em seguida, o imperador ordena a Macro, o melhor de seus gladiadores, que o enfrente e o mate em plena arena.

Na hora marcada, os dois contendores entram na arena onde, negando-se a lutar, Demétrio é derrubado com uma pancada em suas costas.  Macro aguarda o sinal do imperador para matá-lo.  A Guarda Pretoriana pede clemência em favor de Demétrio, mas Calígula se mantém irredutível.  De repente, um dos guardas mata Macro enquanto outro crava uma lança no peito do imperador.

Imediatamente, Claudio é aclamado novo imperador de Roma.  Messalina reconhece não ter sido fiel ao marido, mas diz que isso é coisa do passado.  Reafirma ser esposa de César e promete cumprir o seu papel.

De Claudio, Demétrio recebe sua última missão como tribuno da Guarda:  Procurar os líderes cristãos e dizer-lhes, em seu nome, que se não cometerem atos contra o Estado, não precisarão ter medo dele.  Carregando o manto sagrado, Demétrio deixa o palácio em companhia de Glycon, e uma vez lá fora, os dois se reúnem a Pedro.

imagem

Comentários

"Demétrio e os Gladiadores" é um bom filme épico, cuja história acha-se fortemente ligada à de "O Manto Sagrado", de Henry Koster, produzido no ano anterior.  Realizado pelo cineasta Delmer Daves, o filme é inferior ao de Koster, cuja ênfase achava-se relacionada ao aspecto religioso. Aqui, Daves procurou dar uma maior atenção às cenas de ação, com vários espetáculos das lutas dos gladiadores nas arenas de Roma, bem como, ao envolvimento de Demétrio com Messalina, mulher do tio do imperador Calígula.  Nos dois filmes, os personagens vividos por Victor Mature, Michael Rennie e Jay Robinson são exatamente os mesmos, respectivamente, Demétrio, Pedro e Calígula.

Um de seus pontos altos é sua magnífica trilha sonora.  Merecem ainda atenção as atuações dos atores principais, bem como, de seu bem trabalhado Figurino.

CAA