Filmes por gênero

A NOIVA DA PRIMAVERA (1948)

June bride
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: La mariée du dimanche (França)
Vorrei sposare (Itália)
La novia de junio (Venezuela, Espanha)
Die braut des Monats (Alemanha)
Junibruden (Suécia, Dinamarca)
Czerwcowa narzeczona (Polônia)
Kesäkuumorsian (Finlândia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia Romântica
Direção: Bretaigne Windust
Roteiro: Ranald MacDougall
Produção: Henry Blanke
Música Original: David Buttolph
Direção Musical: David Buttolph
Fotografia: Ted McCord
Edição: Owen Marks
Direção de Arte: Anton Grot
Figurino: Edith Head
Maquiagem: Perc Westmore, Eddie Voight
Efeitos Sonoros: Robert B. Lee
Efeitos Especiais: Hans F. Koenekamp, William C. McGann
Nota: 8.3
Filme Assistido em: 1949

Elenco

Bette Davis Linda Gilman
Robert Montgomery Carey Jackson
Fay Bainter Paula Winthrop
Betty Lynn Barbara 'Boo' Brinker
Barbara Bates Jeanne Brinker
Tom Tully Sr. Whitman Brinker
Jerome Cowan Carleton Towne
Raymond Roe Bud Mitchell
Ray Montgomery Jim Mitchell
Marjorie Bennett Sra. Nellie Brinker
Mary Wickes Rosemary McNally
Debbie Reynolds Amiga de 'Boo'
James Burke Luke Potter
George O'Hanlon Scott Davis
Sandra Gould Secretária de Towne
Esther Howard Sra. Mitchell
Jessie Adams Sra. Lace
Raymond Bond Reverendo
John Vosper Stafford
Alice Kelley Amiga de Boo
Patricia Northrop Amiga do Boo
Jack Mower Joe
Lottie Williams Woody

Indicações

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Comédia Escrita Diretamente Para O Cinema (Ranald MacDougall)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Quando o correspondente estrangeiro Carey Jackson retorna para Nova York, ele toma conhecimento de que o escritório de Viena do seu jornal está sendo fechado e que ele está sem emprego. No entanto, Carleton Towne, editor-chefe da revista Home Life, pertencente ao mesmo grupo, oferece-lhe um cargo na mesma. Inicialmente, Carey não se mostra interessado, mas muda de ideia ao descobrir que ele estaria trabalhando para a editora Linda Gilman, por quem fora apaixonado no passado.

Linda, no entanto, recusa-se a contratá-lo, porque ainda se acha zangada com ele por tê-la deixado há três anos. De qualquer forma, eles concordam em discutir o assunto durante o jantar, ocasião em que ele tenta, sem sucesso, reacender seu antigo romance. Linda, finalmente, concorda em contratá-lo na condição dele manter um relacionamento em nível estritamente profissional.

Na manhã seguinte, Carey e Linda vão à mansão dos Brinker, em Indiana, onde deverá ocorrer o casamento da filha mais velha, Jeanne Brinker, com Bud Mitchell. Linda quer que ele escreva uma simples história de amor entre os jovens, mas ele procura por algo maior. A oportunidade que espera ocorre ao falar com Barbara, a filha mais nova conhecida como Boo. Esta revela que sempre foi apaixonada por Bud, mas quando o ex-namorado de Jeanne, Jim Mitchell, irmão mais velho de Bud, entrou para o exército, ela se aproximou de Bud e agora vai-se casar com ele.

Carey sugere que eles procurem o oficial do exército, a quem Jim se acha subordinado, para pedir-lhe uma licença que permita a realização do casamento dele com Jeanne. Logo depois, no entanto, Carey pensa melhor ao deduzir que será demitido se esse casamento não se realizar.

Secretamente, Boo telefona para um amigo de Carey que consegue fazer com que Jim seja liberado. Enquanto isso, Carey fica embriagado com a sidra do Sr. Brinker e, durante um passeio de trenó, reconcilia-se com Linda.

No dia seguinte, quando Jim chega à mansão, um atônito Carey tenta se livrar dele, mas, sem estar a par das manipulações de Boo, Linda intervém. Ao se reencontrarem, Jim e Jeanne decidem fugir. Diante da nova situação, Carey tenta convencer Linda que ela agora tem uma história ainda melhor, mas antes que ele possa falar algo sobre Boo e Bud, ela o demite e afirma que o relacionamento entre eles está igualmente terminado.

Quando Boo reclama para Carey que Bud ainda pensa nela como uma menina pequena, ele a aconselha a procurar Paula Winthrop, editora de moda da revista, a fim de que um dos vestidos de Jeanne seja ajustado para ser por ela usado. Carey ainda finge estar interessado em Boo a fim de fazer ciúmes em Bud, levando-o a propor casamento à jovem.

Tendo escrito sua história, Carey retorna à Nova York. A agitação do novo casamento faz com que Linda não perceba sua partida, e quando mais tarde, ela lê a história por ele escrita, entende que ele sempre soube a verdade sobre os dois casais.

No final, Linda e Carey se reconciliam e o casal parte para a Europa carregando suas malas.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Bretaigne Windust, a partir de um roteiro escrito por Ranald MacDougall, “A Noiva da Primavera” é uma interessante comédia produzida pelos estúdios da Warner Bros em 1948.

A direção de Windust se mostra consistentemente boa, apresentando um ótimo ritmo do início ao fim. Os diálogos são inteligentes, dentro de um roteiro muito bem estruturado. Merece ainda ser destacada a bela fotografia a cargo de Ted McCord.

No elenco, embora prefira ver Bette Davis atuando em seus magníficos dramas, ela se sai bem nessa comédia romântica. Robert Montgomery, por outro lado, está ótimo, principalmente na cena em que aparece embriagado.

Enfim, “A Noiva da Primavera” é mais uma comédia que recomendo.

CAA