Filmes por gênero

JOANA D'ARC (1999)

Jeanne d'Arc
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: The Messenger: The Story of Joan of Arc (USA)
Joan of Arc (UK)
Juana de Arco (Espanha, Argentina)
Giovanna d'Arco (Itália)
Johanna von Orleans (Alemanha)
Pais: França
Gênero: Biográfico, Histórico, Drama
Direção: Luc Besson
Roteiro: Luc Besson, Andrew Birkin
Produção: Patrice Ledoux
Design Produção: Hugues Tissandier
Música Original: Eric Serra
Fotografia: Thierry Arbogast
Edição: Sylvie Landra
Direção de Arte: Alain Paroutaud
Figurino: Catherine Leterrier
Guarda-Roupa: Olivier Bériot, Anne David, Thierry Delettre e outros
Maquiagem: Magali Ceyrat, Marianne Collette, Barbara Kichi e outros
Efeitos Sonoros: François Groult, Yunus Acar, Vincent Tulli e outros
Efeitos Especiais: Georges Demétrau, Delphine Le Roch, Alain Couty e outros
Efeitos Visuais: Alain Carsoux, Benoit Philippon
Nota: 6.5
Filme Assistido em: 2000

Elenco

Milla Jovovich Jeanne D'Arc
John Malkovich Charles VII
Faye Dunaway Yolande D'Aragon
Vincent Cassel Gilles de Rais
Dustin Hoffman A Consciência
Tchéky Karyo Dunois
Pascal Greggory Duque d'Alençon
Desmond Harringtona Aulon
Timothy West Pierre Cauchon
Edwin Apps Bispo
Paul Brooke Padre de Domrémy
Charles Cork Padre de Vaucouleur
David Bailie Juiz inglês
Timothy Bateson Juiz inglês
Christian Barbier Capitão
David Gant Duque de Bedford
Jessica Goldman Duquesa de Bedford
David Begg Nobre - Castelo de Rouen
Andrew Birkin Talbot
Patrice Cossoneau Capitão
Sylviane Duparc Marie D'Anjou
Framboise Gommendy Mãe de Jeanne
Bruce Byron Pai de Jeanne

Prêmios

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Figurino

César de Melhor Som

Indicações

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Fotografia

César de Melhor Edição

César de Melhor Direção (Luc Besson)

César de Melhor Design de Produção

César de Melhor Música escrita para um Filme

César de Melhor Filme

Sinopse

Em 1412, nasce em Domrémy, França, uma menina chamada Jeanne.  Ainda jovem, ela mostra uma religiosidade tão intensa que a fazia se confessar algumas vezes por dia.  Eram tempos árduos, pois a Guerra dos Cem Anos com a Inglaterra se prolongava desde 1337.  

Em 1420, Henrique V e Carlos VI assinam o Tratado de Troyes, declarando que após a morte de seu rei, a França pertenceria à Inglaterra.  Porém, ambos os reis morrem e Henrique VI é o novo rei dos dois países, mas tem poucos meses de idade e Carlos, o delfim da França, não deseja entregar seu reino para uma criança.  Assim, os ingleses invadem o país e ocupam Compiègne, Reims e Paris, com o rio Loire detendo o avanço dos invasores.

Carlos foge para Chinon, mas ele deseja realmente ir para Reims onde, por tradição, os soberanos franceses são coroados, mas como os ingleses dominam a região, isso se torna um problema.  Até que surge Jeanne que, além de se intitular a "Donzela de Lorraine" tinha uma determinação inabalável e dizia que estava em uma missão divina, para libertar a França dos ingleses.

Desesperado por uma solução, o delfim decide entregar-lhe um exército. Assim, à frente do mesmo, a corajosa garota usando roupas de homem, o que é mal interpretado pela igreja, recupera Reims, onde o delfim é coroado Carlos VII.  Mas se para ele os problemas tinham acabado, para Jeanne seria o começo do fim, pois ela passa a ser alvo dos inquisidores que a acusam de heresia e bruxaria e, através de um tribunal da Igreja, ela é condenada e queimada viva em Rouen em 30 de maio de 1431.

imagem imagem imagem

Comentários

Embora inferior à versão de Victor Fleming, de 1948, com Ingrid Bergman no papel principal, este 'remake' do francês Luc Besson pode ser considerado como um bom filme.

Como um dos roteiristas, Besson não conseguiu desenvolver bem a personagem da heroína, de modo que seu roteiro apresenta uma série de falhas.  Por outro lado, são pontos fortes do filme, seu design de produção, sua magnífica fotografia e sua trilha sonora.

As cenas das batalhas poderiam ter sido melhor dirigidas.  Às vezes, chegam a ser monótonas.  Entre os melhores momentos, estão as seqüências em que Jeanne D'Arc conversa com sua consciência, encarnada por Dustin Hoffman, permitindo uma reflexão sobre a utilização da violência como meio de conseguir a paz.

O elenco, repleto de grandes nomes, não consegue um maior destaque.

CAA