Filmes por gênero

A LADRA (1949)

Whirlpool
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Turbilhão (Portugal)
Le mystérieux docteur Korvo (França)
Gouffre (Bélgica)
Vorágine (Espanha)
Il segreto d'una donna (Itália)
Frau am Abgrund (Austria)
Damen bedyrar (Suécia)
Malstrømmen (Dinamarca)
Wir (Polônia)
Водоворот (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Filme Noir, Drama, Crime, Suspense, Romance
Direção: Otto Preminger
Roteiro: Ben Hecht, Andrew Solt
Produção: Otto Preminger
Música Original: David Raksin
Direção Musical: Alfred Newman
Fotografia: Arthur C. Miller
Edição: Louis R. Loeffler
Direção de Arte: Leland Fuller, Lyle R. Wheeler
Figurino: Charles Le Maire
Guarda-Roupa: Charles Le Maire, Oleg Cassini
Maquiagem: Ben Nye
Efeitos Sonoros: Harry M. Leonard, Winston H. Leverett
Efeitos Especiais: Fred Sersen
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1953

Elenco

Gene Tierney Ann Sutton
Richard Conte Dr. William 'Bill' Sutton
José Ferrer David Korvo
Charles Bickford Tenente James Colton
Barbara O'Neil Theresa Randolph
Eduard Franz Martin Avery
Constance Collier Tina Cosgrove
Fortunio Bonanova Feruccio di Ravallo
Joyce Mackenzie Daisy, telefonista
Larry Keating Sr. Simms
Robert Foulk Andy
Alex Gerry Dr. Peter Duval
Lawrence Dobkin Cirurgião Wayne
Beau Anderson Soldado
Myrtle Anderson Empregada de Ann
Lovyss Bradley Enfermeira Elliott
Bruce Hamilton Sargento da Polícia Robert Jeffreys
Margaret Brayton Policial
Charles Flynn Policial
Johnny Duncan Soldado
Ted Jordan Harry
Howard Negley Gordon

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em uma loja de departamentos de Los Angeles, o terapeuta pouco ortodoxo David Korvo observa quando Ann Sutton, esposa do famoso psicanalista Dr. Bill Sutton, é apanhada ao praticar um furto. Depois de convencer o gerente de que prendê-la significaria um escândalo para a loja, ele propõe encontrar-se com ela no dia seguinte. Embora Ann pressuponha que Korvo seja um chantagista, ele lhe dá os registros da loja para que ela os destrua e, em seguida, a convida para uma festa, alguns dias mais tarde. Uma vez na festa, ele a informa que pode dizer que ela é cleptomaníaca e que está passando por pressões emocionais.

Quando Ann admite que tem dificuldades para dormir, Korvo assegura-lhe que ele pode ajudá-la e, então, a hipnotiza sem o seu conhecimento. Uma paciente de Bill, Theresa Randolph, os vê juntos e, na primeira oportunidade, avisa Ann de que Korvo deve estar atrás do dinheiro dela, ao que Ann responde agressivamente. Depois de uma noite marcada por um profundo sono, ela, por gratidão, aceita encontrar-se com ele, insistindo que deverão se encontrar no bar do seu edifício e não em seu apartamento. No bar, Ann concorda em vê-lo profissionalmente e, em seguida, ela telefona para Theresa a fim de pedir-lhe desculpas. Enquanto ela se acha ao telefone, Korvo rouba seu cachecol, quebra um copo e pede ao garçom para limpar o local.

Algumas noites depois, Ann, sob um feitiço hipnótico, recupera as gravações das sessões de terapia de Theresa com Bill e resolve escondê-las na casa de Theresa. Ao entrar na casa, ela tropeça num alarme e, em seguida, senta-se calmamente ao lado do corpo de Theresa, que tinha sido estrangulada com o seu cachecol. Ann é presa e, não podendo dizer ao Tenente James Colton o que fizera naquela noite, assume ser apaixonada por Korvo e que matou Teresa por ciúme. Bill chega à delegacia e toma conhecimento de que a polícia encontrou um copo supostamente deixado por Ann no apartamento de Korvo. Ann é, então, acusada de ter discutido com Korvo e Theresa.

Bill, então, lembra-se de uma sessão de terapia durante a qual Theresa alegou que Korvo tinha roubado a herança de sua filha, e que ela havia ameaçado denunciá-lo. Assim, Bill levanta a hipótese de que Korvo pode ter matado Theresa por causa de sua ameaça, mas o Tenente Colton logo descobre que ele está se recuperando de uma cirurgia realizada no dia do assassinato. Bill, então, se oferece para reproduzir as gravações das sessões de terapia de Theresa, mas descobre que as mesmas desapareceram. Em seguida, ele, seu advogado e o Tenente Colton voltam a questionar Ann, mas sentindo que ela está mentindo, Bill vai embora, após o que ela confessa ser cleptomaníaca.

Bill volta a procurar o tenente Colton para lhe dizer que acredita que Ann foi hipnotizada para roubar os registros e que Korvo se auto-hipnotizou para levantar-se imediatamente após a cirurgia e matar Theresa. Embora não concorde com a hipótese levantada por Bill, o tenente  consente em levar Ann de volta à casa de Theresa para refrescar sua memória. Enquanto isso, ao tomar conhecimento de que a polícia pode identificar o assassino através dos registros, Korvo volta a se auto-hipnotizar para ir, sem sentir dores, até a casa de Theresa a fim de destruir os documentos.

Uma vez lá, ele ouve quando o Tenente Colton, Bill e Ann entram e se esconde quando Bill assegura Ann que pode confiar nele para curá-la. Ao verificar que Ann está recuperando sua memória, Korvo ameaça todos com uma arma, mas em seguida morre de uma hemorragia interna. O Tenente Colton chama uma ambulância, enquanto Ann e Bill se abraçam.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Otto Preminger, a partir de um roteiro escrito por Ben Hecht e Andrew Solt, “A Ladra” é um ótimo filme ‘noir’ produzido pela Twentieth Century Fox Film Corporation em 1949.  Sua trama, baseada num livro de Guy Endore, consegue manter a atenção do espectador ao longo de toda a projeção.

Embora não se trate de uma obra premiada, a direção de Preminger é consistentemente boa, apresentando um ótimo ritmo do início ao fim. A fotografia em preto e branco e o uso da câmera são excelentes.

No elenco, destacam-se as atuações de José Ferrer e  Gene Tierney, seguidas pela de Charles Bickford. Já a de Richard Conte, no papel do Dr. Bill Sutton, deixa a desejar.

CAA