Filmes por gênero

ANDROCLES E O LEÃO (1952)

Androcles and the lion
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Androclès et le lion (França)
Androclo e il leone (Itália)
Androcles y el león (Espanha, Argentina, Chile)
Androkles und der Löwe (Alemanha, Austria)
Androcles och lejonet (Suécia)
Androkles ja leijona (Finlândia)
Androkles og løven (Dinamarca)
Androkles i lew (Polônia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia
Direção: Chester Erskine
Roteiro: Ken Englund, Chester Erskine
Produção: Gabriel Pascal
Design Produção: Harry Horner
Música Original: Friedrich Hollaender
Direção Musical: C. Bakaleinikoff
Fotografia: Harry Stradling Sr.
Edição: Roland Gross
Direção de Arte: Albert S. D'Agostino, Charles F. Pyke
Guarda-Roupa: Emile Santiago
Maquiagem: Mel Berns, Larry Germain
Efeitos Sonoros: Clem Portman, John L. Cass
Efeitos Especiais: Linwood G. Dunn
Nota: 7.3
Filme Assistido em: 1954

Elenco

Jean Simmons Lavinia
Victor Mature Capitão
Alan Young Androcles
Elsa Lanchester Megaera
Maurice Evans César
Robert Newton Ferrovius
Reginald Gardiner Lentulus
Noel Willman Spintho
John Hoyt Cato
Jim Backus Centurião
Woody Strode O Leão
Lowell Gilmore Metellus
Lillian Clayes Mulher cristã
Midge Ware Mulher cristã
Millard Sherwood Cristão
Richard Reeves Gladiador
Shep Houghton Gladiador
Jackson Halliday Soldado
Robert Foulk Soldado
Harry Cording Soldado

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em Roma, durante o reinado de Antonino, conhecido como César, Cato, o chefe da polícia secreta, transmite as ordens ao exército para capturar cem cristãos por semana para serem sacrificados  no Circo Imperial. Quando os soldados chegam à Siracusa, Androcles, um humilde alfaiate cristão, e sua esposa Megaera, abandonam sua casa para evitarem a prisão. Enquanto fogem através de uma floresta, eles encontram um leão, cujo rugido faz Megaera desmaiar. Ao verificar que o animal está sofrendo com um grande espinho preso em sua pata, Androcles gentilmente o retira.

Androcles e o agradecido leão, a quem ele dá o nome de Tommy, estão brincando quando os soldados se aproximam e reconhecem o alfaiate. Recuperada do desmaio, Megaera escapa através da floresta, enquanto Androcles é capturado e rotulado de feiticeiro por causa de seu relacionamento aparentemente natural com o leão. Mais tarde, quando o capitão vê a bela Lavinia cuidando dos ferimentos de um de seus soldados, ele a repreende, embora se sinta atraído por ela. Lavinia, que se tornou amiga de Androcles, ri das ameaças do capitão por achar que, de qualquer forma, ela já se acha condenada.

Logo depois, quando uma carroça tomba sobre um soldado, o prisioneiro Ferrovius, sem hesitar, usa sua grande força para levantar a carroça. Em gratidão, o capitão ordena que as correntes de Ferrovius sejam removidas, ignorando os avisos sobre seu forte temperamento e sua capacidade de converter as pessoas. À noite, ao acamparem, o capitão flerta com Lavinia prometendo salvá-la, mas ela resiste aos seus avanços.

Ao chegarem à Roma, Lentulus, um dos partidários de César, decide testar a filosofia cristã dando um tapa no rosto de Ferrovius, para ver se ele vai dar a outra face. Embora controlando sua raiva, Ferrovius insiste em fazer o mesmo teste em Lentulus, que termina desmaiado.

Os prisioneiros são, então, levados para o Coliseu, onde os homens vão enfrentar os gladiadores romanos, enquanto as mulheres serão devoradas por leões. No palácio de César, o imperador discute o problema cristão com o supervisor do Circo Imperial. Na ocasião, César informa o traidor Spintho, um amigo que se convertera ao cristianismo, que sua “doença” em breve vai ser curada. Em seguida, depois de ser preso, Spintho é preso e jogado com outros cristãos no Coliseu. Na véspera de ter que enfrentar os gladiadores, Ferrovius deseja saber se pode ser “fiel até o fim”, enquanto Lavinia reafirma sua fé e, mais uma vez, recusa a ajuda do capitão.

Confiantes na promessa de outra vida, Lavinia e Androcles recusam-se a queimar o incenso no templo da Deusa Diana, um ato simbólico que salvaria suas vidas. O covarde Spintho, por outro lado, corre para o templo a fim de renegar o cristianismo, porém é comido por um leão. Quando, finalmente, os enfrentamentos no Circo têm início, Ferrovius pega uma espada e, na frente da multidão sedenta de sangue, vai derrotando os gladiadores, um após outro. Enquanto isso, o capitão faz um último apelo à Lavinia, implorando-lhe para que se case com ele. Notando que ela não está a enfrentar a morte apenas por sua religião, mas por algo maior, Lavinia recusa mais uma vez sua proposta.

Fortemente impressionado com a coragem de Ferrovius, César declara que todos os seus súditos devem se converter ao cristianismo e ordena que apenas um prisioneiro seja atirado aos leões. Por causa de sua reputação como feiticeiro, Androcles é selecionado, mas para surpresa da multidão, o leão, Tommy, o reconhece e começa a dançar com ele. Em seguida, ele mostra ao imperador como se tornar amigo do leão. Assim, ao abraçar o animal, César, eufórico, anuncia que “domesticou” o animal. Como consequência, Ferrovius se torna um guarda imperial, enquanto Lavinia e o capitão anseiam por um futuro feliz juntos. Concedida a liberdade, Androcles e Tommy passeiam alegremente.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Chester Erskine, a partir de um roteiro escrito por Ken Englund e Chester Erskine, “Androcles e o Leão” é um razoável filme produzido pela RKO Radio Pictures em 1952. Sua trama, baseada numa peça de Bernard Shaw, embora não seja brilhante, consegue prender a atenção do espectador.

A direção de Erskine se mostra apenas razoável, embora consiga manter um bom ritmo ao longo de toda a projeção. No elenco, Jean Simmons brilha no papel de Lavinia. Com atuações bastante convincentes, destacam-se Victor Mature e Alan Young em seus respectivos papéis.

CAA