Filmes por gênero

A SEDUTORA MADAME BOVARY (1949)

Madame Bovary
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Madame Bovary (Portugal, França, Itália)
La seductora (Chile)
Pani Bovary (Polônia)
Madame Bovary und ihre liebhaber (Alemanha)
Мадам Бовари (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Romance
Direção: Vincente Minnelli
Roteiro: Robert Ardrey
Produção: Pandro S. Berman
Música Original: Miklós Rózsa
Coreografia: Jack Donohue
Fotografia: Robert H. Planck
Edição: Ferris Webster
Direção de Arte: Cedric Gibbons, Jack Martin Smith
Figurino: Valles, Walter Plunkett
Maquiagem: Jack Dawn, Sydney Guilaroff, Larry Germain
Efeitos Sonoros: Douglas Shearer, Standish J. Lambert
Efeitos Especiais: Warren Newcombe
Nota: 8.3
Filme Assistido em: 1952

Elenco

Jennifer Jones Emma Bovary
James Mason Gustave Flaubert
Van Heflin Charles Bovary
Louis Jourdan Rodolphe Boulanger
Paul Cavanagh Marquês d'Andervilliers
Dawn Kinney Berthe Bovary
Alf Kjellin Leon Dupuis
Frank Allenby Sr. Lheureux
Gene Lockhart J. Homais
Gladys Cooper Madame Dupuis
John Abbott Prefeito Tuvache
Harry Morgan Hyppolite
George Zucco Dubocage
Ellen Corby Félicité
Eduard Franz Rouault
Henri Letondal Guillaumin
Esther Somers Madame Lefrançois
Frederic Tozere Pinard
Larry Simms Justin
Vernon Steele Padre
Edith Evanson Madre Superiora
Constance Purdy Mme. Foulard
Florence Auer Mme. Petrée

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Cedric Gibbons, Jack Martin Smith, Edwin Willis, Richard Pefferle )

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em 1857, o escritor francês Gustave Flaubert vai a julgamento para defender as acusações de que seu romance, “Madame Bovary”, é uma afronta contra a moral pública e os costumes estabelecidos. Durante o julgamento, os procuradores argumentam que o tema do livro é uma desgraça para a França e um insulto à idade adulta, e que o livro deve ser banido por sua indecência. Em resposta, Flaubert alega que sua história é sobre o perdão e que muitas mulheres como Emma existem no mundo real.

Em seguida, ele conta a história de Emma, começando quando ela tinha vinte anos e vivia uma vida solitária na fazenda de seu pai: Certa noite, um médico chamado Charles Bovary chega à fazenda para examinar o pai de Emma, que tem uma perna ferida. Ela, que passou anos vivendo em um convento, fantasiando sobre o amor, apaixona-se instantaneamente por Charles. Pouco tempo depois, os dois se casam e se estabelecem em uma modesta casa na pequena cidade de Yonville, na Normandia.

Enquanto Charles exerce sua profissão, Emma prepara-se para decorar sua nova casa como ela sempre tinha sonhado. No entanto, ela se mostra extremamente desapontada quando suas expectativas de ascensão social não são atendidas. Determinada a realizar mais um dos seus sonhos, Emma diz a Charles que quer uma criança, especificamente um menino. No entanto, ela se decepciona mais uma vez quando, meses depois, dá à luz uma menina. Deprimida, ela dificilmente participa da educação de sua filha, Berthe. Ela também tem um breve romance com um jovem chamado Leon Dupuis, que vive com sua mãe.

Certo dia, no entanto, Emma se mostra muito feliz quando ela e o marido são convidados para participarem de um baile na casa do aristocrata Marquês d'Andervilliers. Embora Charles se mostre preocupado por acreditar que estarão completamente deslocados num ambiente social que não é o deles, Emma usa um requintado vestido escolhido pelo Sr. Lheureux, um negociante de linho, e causa uma ótima impressão no baile, onde dança ao longo de toda a noite, enquanto ele se afunda na bebida. Quando, completamente embriagado, ele vai à pista de dança, envergonhada, Emma lhe pede para levá-la para casa.

Dias depois, Leon visita Emma e tenta retomar seu breve romance, mas seu desejo é prejudicado quando sua mãe lhe comunica que conseguiu fazer com que ele estude direito em Paris. Logo depois que ele viaja para a França, o aristocrata Rodolphe Boulanger tenta conquistá-la. No entanto, embora seu casamento continue a se deteriorar, Emma acredita que ela pode salvá-lo encorajando Charles a se tornar o homem rico e famoso que ela sempre quis. Como o marido não age segundo os métodos sugeridos por ela, Emma mergulha em um caso com Rodolphe e, juntos, planejam fugir para a Itália. Entretanto, ao sentir algumas das atitudes dela como uma verdadeira invasão de privacidade, ele viaja sozinho, deixando Emma com o coração partido.

A rejeição sofrida faz com que ela passe alguns meses de cama, com uma forte depressão. Ao se recuperar, ela acompanha Charles e, juntos, assistem a ópera em Rouen, onde encontram Leon, que voltou de Paris. Emma fica sozinha na cidade por uma noite, mas rejeita as tentativas de Leon, que deseja retomar seu antigo caso. No dia seguinte, ao voltar para Yonville, ela descobre que o marido viajou para assistir ao funeral de seu pai.

Durante a ausência de Charles, o Sr. Lhereux exige que Emma pague suas dívidas para com ele. Ela procura Leon para pedir-lhe dinheiro, mas não tem êxito. Em seguida, vai ao encontro de Rodolphe, que se recusa a ajudá-la. Desesperada, Emma decide suicidar-se e, após roubar arsênico de uma farmácia, o ingere. Apesar das tentativas de Charles para salvá-la, Emma termina morrendo.

Após concluir sua narrativa sobre a história de Emma, Flaubert é absolvido de todas as acusações contra ele.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Vincente Minnelli, a partir de um roteiro escrito por Robert Ardrey, “A Sedutora Madame Bovary” é um filme norte-americano produzido pela Metro-Goldwyn-Mayer em 1949. Sua trama, baseada no romance “Madame Bovary” de Gustave Flaubert, consegue prender a atenção do espectador do início ao fim.

Embora não seja extraordinária, a direção de Minnelli se mostra bastante segura, bastante clássica, além de beneficiada pela bela fotografia em preto e branco assinada por Robert H. Planck.

No elenco, Jennifer Jones brilha no papel de Emma Bovary, seguida pelas ótimas atuações de Van Heflin, James Mason e Louis Jourdan.

CAA