Filmes por gênero

DE TANGA E SARONGUE (1952)

Road to Bali
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A caminho de Bali (Portugal)
En route pour Bali (França, Bélgica)
Camino a Bali (Espanha)
La principessa di Bali (Itália)
Der weg nach Bali (Alemanha, Austria)
Två glada sjömän på Bali (Suécia)
Droga do Bali (Polônia)
Eventyr på Bali (Dinamarca)
Дорога на Бали (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia, Música, Fantasia
Direção: Hal Walker
Roteiro: Frank Butler, William Morrow, Hal Kanter
Produção: Daniel Dare, Harry Tugend
Música Original: Joseph J. Lilley
Coreografia: Charles O'Curran
Fotografia: George Barnes
Edição: Archie Marshek
Direção de Arte: Hal Pereira, J. McMillan Johnson
Figurino: Edith Head
Guarda-Roupa: Joan Joseff
Maquiagem: Wally Westmore
Efeitos Sonoros: Jim Miller, John Cope, Gene Merritt, L. Hoagland
Efeitos Especiais: Farciot Edouart, Paul K. Lerpae, Gordon Jennings
Nota: 7.4
Filme Assistido em: 1954

Elenco

Bing Crosby George Cochran
Bob Hope Harold Gridley
Dorothy Lamour Princesa Lalah MacTavish
Murvyn Vye Príncipe Ken Arok
Peter Coe Gung
Ralph Moody Bhoma Da
Leon Askin Chefe Ramayana
Jack Claus Dançarino
Bernie Gozier Bo Kassar
Herman Cantor Sacerdote
Shela Fritz Esposa do Chefe
Ethel K. Reiman Esposa do Chefe
Irene K. Silva Esposa do Chefe
Charles Mauu Guerreiro
Al Kikume Guerreiro
Warrior Satini Puailoa Guerreiro
Kuka L. Tuitama Guerreiro
Bunny Lewbel Lalah, aos 7 anos
Jan Kayne Verna
Harry Cording Pai de Verna
Douglas Yorke Irmão de Verna
Carolyn Jones Eunice
Roy Gordon Pai de Eunice
Allan Nixon Irmão de Eunice
Jerry Lewis Ele próprio
Dean Martin Ele próprio
Jane Russell Ela própria
Bob Crosby Ele próprio

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em Melbourne, Austrália, na virada do século XX, dois músicos americanos que se apresentavam na cidade, George Cochran e Harold Gridley, são obrigados a fugir quando se sentem ameaçados pelos pais de duas garotas que eles haviam seduzido. Depois de passarem por um pasto de ovelhas, eles chegam à Darwin, onde conseguem emprego como mergulhadores em busca de tesouros submersos do Príncipe Ken Arok, trabalho que já ceifou a vida de quatro homens.

Na manhã seguinte, a dupla embarca para as idílicas ilhas dos mares do sul, de propriedade de Ken Arok, onde conhecem sua prima, a Princesa Lalah MacTavish, cuja mãe era vatu e o pai escocês. Apesar de terem feito votos para evitarem mulheres e ficarem longe de problemas, os dois músicos se apaixonam pela princesa. Depois de discutirem com Ken Arok sobre o uso de americanos desavisados para mergulharem em águas infestadas por uma lula gigante, chamada Boga Ten, eles são convidados por Lalah para jantarem no palácio. Os dois são entretidos por um grupo de bailarinos e, por sua vez, entretêm a princesa com músicas e danças escocesas. Em seguida, Lalah mostra aos americanos um truque com uma corda, durante o qual todos eles sobem em uma corda e persuadem uma bela dançarina a sair de um pequeno cesto com uma flauta mágica. Logo depois, George e Lalah desfrutam de um passeio romântico, durante o qual ela o adverte sobre a lula gigante e a perseguição implacável de Ken Arok ao tesouro que afundou anos atrás com o barco do pai dela.

Ansioso para ficar com Lalah, George convence Harold a se apresentar voluntariamente para o mergulho do dia seguinte. Ao mergulhar, ele encontra a caixa do tesouro, mas é imediatamente abordado pela Boga Ten. Harold ilude a lula gigante, ao se desfazer de seu traje de mergulho, e consegue voltar ao barco carregando o tesouro, enquanto o animal arranca Ken Arok da embarcação com um de seus tentáculos.

Depois que a agora milionária Lalah, George e Harold partem para Bali, ela admite estar apaixonada por ambos. Por conta de um descuido de Harold, o barco em que viajam bate em um recife e começa a afundar. Os três procuram refúgio em uma ilha próxima, onde Harold quase é comido por um crocodilo. Naquela noite, enquanto George dorme em uma cabana abandonada, Harold propõe à Lalah. Esta, indecisa, não lhe dá uma resposta de imediato, preferindo continuar a ser cortejada pelos dois.

No dia seguinte, guerreiros locais os atacam com dardos e decidem levá-los para fora da aldeia a fim de matá-los. No entanto, Bhoma Da, um curandeiro, reconhece Lalah como sendo a filha de um velho amigo e decide hospedá-los. George e Harold tomam conhecimento, separadamente, de que estão para se casar com Lalah, fazendo com que cada um se sinta o vitorioso em relação ao outro. Ela, por sua vez, ao tomar conhecimento, através de nativos locais, que uma mulher pode ter vários maridos, declara que vai se casar com os dois. No entanto, os planos mudam quando o Chefe Ramayana chega e alega que fez um negócio com Ken Arok e, como recompensa, recebeu em troca a mão de Lalah em casamento.

Descontente com o arranjo, um deus do vulcão inicia uma grande erupção, fazendo com que os nativos fujam aterrorizados. Na confusão que se forma, George e Harold escapam, resgatam Lalah e pegam a caixa com o tesouro. Ao chegarem à praia, os dois pedem que Lalah escolha com qual deles ela deseja ficar. Quando ela escolhe George, o rejeitado Harold pega a flauta mágica e faz com que Jane Russell saia do pequeno cesto. Russell, no entanto, prefere George e sai com ele e Lalah, deixando um solitário Harold na praia.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Hal Walker, a partir de um roteiro escrito por Frank Butler, William Morrow e Hal Kanter, “De Tanga e Sarong” é um razoável filme produzido pelas empresas Paramount Pictures, Bing Crosby Enterprises e Hope Enterprises em 1952. Baseado numa estória assinada por Frank Butler e Harry Tugend, trata-se do quarto “road movie” que assisti com esse trio formado por Bing Crosby, Bob Hope e Dorothy Lamour, depois de “A Sereia das Ilhas”, de 1940, “A Sedução do Marrocos”, de 1942 e “A Caminho do Rio”, de 1947.

A direção de Walker se mostra apenas razoável e a trama, em si, cai em qualidade em sua última metade. Por outro lado, sua trilha sonora apresenta uma meia-dúzia de canções, com maior destaque para as interpretações a cargo de Bing Crosby.

CAA