Filmes por gênero

SANGUE SOBRE A INDIA (1959)

Flame over India
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Aux frontières des Indes (França)
Frontiera a Nord-Ovest (Itália)
La India en llamas (Espanha)
Kalapur (México)
Brennendes Indien (Alemanha)
Hjälten från Kalapur (Suécia)
Indien i flammer (Dinamarca)
Северо-западная граница (União Soviética)
Pais: Reino Unido
Gênero: Aventura, Drama
Direção: J. Lee Thompson
Roteiro: Robin Estridge
Produção: Marcel Hellman
Música Original: Mischa Spoliansky
Direção Musical: Muir Mathieson
Fotografia: Geoffrey Unsworth
Edição: Frederick Wilson
Direção de Arte: Alex Vetchinsky
Figurino: Yvonne Caffin
Guarda-Roupa: Julie Harris
Maquiagem: W.T. Partleton
Efeitos Sonoros: E.G. Daniels, Roy Fry, G. McCallum, Don Sharpe
Efeitos Especiais: Sydney Pearson
Efeitos Visuais: Cliff Culley
Nota: 8.3
Filme Assistido em: 1961

Elenco

Kenneth More Capitão Scott
Lauren Bacall Catherine Wyatt
Herbert Lom Jornalista Peter van Layden
Wilfrid Hyde-White Bridie
I.S. Johar Gupta
Ursula Jeans Lady Windham
Eugene Deckers Peters
Ian Hunter Sir John Wyndham
Jack Gwillim Brigadeiro Ames
Govind Raja Ross Príncipe Kishan
Basil Hoskins A.D.C.
S.M. Asgaralli Soldado indiano Havildar
S.S. Chowdhary Soldado indiano
Moultrie Kelsall Correspondente britânico
Lionel Murton Correspondente americano
Jaron Yaltan Correspondente indiano
Homi Bode Correspondente indiano
Frank Olegario Rajah
Ronald Cardew Coronel na Estação de Halapur
Howard Marion-Crawford Contacto de Peters na Estação de Kalapur

Indicações

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme Britânico (J. Lee Thompson)

Prêmio de Melhor Filme (J. Lee Thompson)

Prêmio de Melhor Roteiro Britânico (Robin Estridge)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em 1905, na fronteira noroeste da Índia britânica, um marajá hindu pede ao capitão Scott, do exército britânico, que leve seu filho, o príncipe Kishan, até a segura residência do governador, em Haserabad, face à uma revolta muçulmana em sua província. Acompanhando-os, seguirá a governanta do príncipe, uma viúva americana chamada Sra. Catherine Wyatt. Eles partem pouco antes dos rebeldes atacarem o palácio e matar o marajá.

Ao chegarem à Haserabad, o capitão Scott observa que muitos hindus locais e europeus estão saindo no último trem para Kalapur. Logo depois, rebeldes muçulmanos assumem o controle do portão ao lado do pátio ferroviário. O governador britânico comunica a Scott que ele deverá levar o jovem príncipe para Kalapur, por uma questão de segurança.

No pátio ferroviário, Scott descobre o “Empress of India”, um antigo trem que se acha sob os cuidados de um senhor chamado Gupta. Assim, no começo da manhã seguinte, ele, silenciosamente, faz embarcar no velho trem, além do príncipe Kishan e da Sra. Wyatt, um negociante de armas, Sr. Peters, o britânico Sr. Bridie, Lady Windham, esposa do governador, dois suboficiais indianos e um jornalista muçulmano, Peter van Leyden.

Mais tarde, naquela manhã, o velho trem conduzido por Gupta encontra o de refugiados que saíra no dia anterior. Todos a bordo haviam sido massacrados pelos rebeldes. Ao descer do “Empress of India”, a Sra. Wyatt encontra um sobrevivente, um pequeno bebê escondido pelo corpo de sua mãe.

Na manhã seguinte, o trem se vê obrigado a parar porque uma parte da pista havia sido explodida. A Sra. Wyatt observa flashes à distância e todos rapidamente percebem que os rebeldes encontram-se nas montanhas circundantes. Com os reparos dos trilhos mal acabados, o velho trem consegue escapar, mesmo sob rajadas de tiros rebeldes. Gupta é ferido, mas sobrevive.

Mais tarde, naquele dia, durante uma parada para abastecimento de água, Scott entra na casa da bomba e encontra Van Leyden permitindo que o Príncipe Kishan fique perigosamente perto do volante que gira a  bomba. Durante a noite, o Sr. Van Leyden novamente se aproxima do príncipe e encontra Lady Windham ao seu lado. Horas depois, quando o trem chega a uma ponte danificada por bomba, embora os trilhos permaneçam intactos, todos os passageiros são obrigados a fazer a travessia a pé. Novamente, o comportamento do Sr. Van Leyden quase resulta na morte do príncipe. Na ocasião, Scott o acusa de tentar matar o príncipe e o mantém preso. Em seguida, sob a orientação de Gupta, ele conduz cuidadosamente o trem através do trecho danificado da ponte.

Mais tarde, ao atravessar um túnel, o Sr. Van Leyden aproveita a oportunidade para dominar sua guarda. Ele usa uma metralhadora para manter os passageiros à distância e declara sua lealdade à causa muçulmana. Ele não consegue matar o príncipe porque o menino encontra-se com Scott na locomotiva. No entanto, ao observar novos sinais dos rebeldes, o capitão retorna ao vagão e, por pouco, não é atingido pelo Sr. Leyden.

Uma perseguição tem início no telhado do vagão, mas é a Sra. Wyatt que atira e mata o Sr. Leyden. Os rebeldes muçulmanos alcançam o trem, a cavalo, mas são obrigados a parar quando o mesmo entra em um túnel de duas milhas de extensão. Ao sair do túnel, o trem encontra-se em segurança ao chegar em Kalapur. Na estação, o príncipe é recebido por uma comitiva hindu, Gupta é levado para um hospital, Lady Windham é informada que seu marido, o governador, encontra-se em segurança, enquanto Scott e a Sra. Wyatt deixam o local juntos.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta J. Lee Thompson, a partir de um roteiro escrito por Robin Estridge, “Sangue Sobre a Índia” é um filme britânico produzido pela empresa “The Rank Organisation” em 1959. Sua trama, baseada numa estória de Patrick Ford e Will Price, é marcada por ótimos momentos de suspense, embora o ritmo tenha seus altos e baixos. Seus primeiros dez minutos, quase silenciosos, nos dão a impressão de um filme bem diferente do que ele realmente é. Por outro lado, em alguns momentos, ele chega a nos lembrar do magnífico “No Tempo das Diligências”, de John Ford.

Filmado em CinemaScope, a fotografia de Geoffrey Unsworth é de muito boa qualidade. Merece ainda ser citada a bela trilha sonora a cargo do compositor polonês Mischa Spoliansky.

No elenco, o grande destaque é Herbert Lom, no papel do jornalista Peter van Layden, seguido pelas boas atuações de Kenneth More e Lauren Bacall.

CAA