Filmes por gênero

O CHEIRO DO PAPAIA VERDE (1993)

L'odeur de la Papaye Verte
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Mui du du xank (Vietnã)
O odor da Papaia Verde (Portugal)
Il profumo della Papaya Verde (Itália)
El olor de la papaya verde (Espanha)
El aroma de la papaya verde (Argentina, Chile)
Der Duft der grünen Papaya (Alemanha)
Doften av grön papaya (Suécia)
Duften af den grønne papaja (Dinamarca)
De geur van de groene papaya (Holanda)
Аромат зеленой папайи (Rússia)
Pais: França, Vietnã
Gênero: Drama, Música, Romance
Direção: Tran Anh Hung
Roteiro: Tran Anh Hung
Produção: Christophe Rossignon
Design Produção: Alain Nègre
Fotografia: Benoît Delhomme
Edição: Nicole Dedieu, Jean-Pierre Roques
Figurino: Jean-Philippe Abril
Guarda-Roupa: Danielle Laffargue
Maquiagem: Amélie Vinson-Rouffio
Efeitos Sonoros: Michel Guiffan, Joël Faure, Laurent Lévy, François Waledisch
Efeitos Especiais: Michel Naudin
Nota: 8.7
Filme Assistido em: 1994

Elenco

Tran Nu Yên-Khê Mùi, aos 20 anos
Man San Lu Mùi, aos 10 anos
Thi Loc Truong A mãe
Anh Hoa Nguyen A velha Ti
Hoa Hoi Vuong Khuyen
Ngoc Trung Tran O pai
Vantha Talisman Thu
Keo Souvannavong Trung
Van Oanh Nguyen Sr. Thuan
Gérard Neth Tin
Nhat Do Lam
Thi Hai Vo A avó
Thi Thanh Tra Nguyen Mai
Lam Huy Bui O médico
Xuan Thu Nguyen O antiquário
Tho Phuong O cabeleireiro
Xuan Loi Phan Músico
Xuan Dung Phan Músico
Van Chung Le Músico
Long Chau Cliente
Thi Van Khanh Truong Cliente
Hông Hanh Luguern Cliente
Ba Hang Phan .

Prêmios

Instituto Britânico do Cinema

Troféu Sutherland (Tran Anh Hung)

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio da Juventude (Tran Anh Hung)

Prêmio Camera de Ouro (Tran Anh Hung)

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor 1º Longa-Metragem (Tran Anh Hung)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira (Vietnã)

Prêmios Camerimage, Lodz, Polônia

Prêmio Golden Frog (Benoît Delhomme )

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Vietnã, 1950.  Com apenas dez anos de idade, Mùi, uma pequena camponesa, deixa sua aldeia e vai trabalhar na casa de uma família burguesa em Saigon.  Outrora abastada, a família sofre os efeitos da crise econômica por que passa o País, e das regulares ausências do dono da casa que, sem razão aparente, apanha o dinheiro e desaparece por algum tempo.

Com as ausências do marido, sua mulher é quem controla a economia doméstica, comercializando tecidos a fim de obter algum dinheiro para alimentar seus três filhos, um já adolescente e os outros mais novos, e manter alguma dignidade.  Na casa, mora ainda a avó paterna, que não abandona seu quarto no andar superior, desde a morte da neta que teria a idade de Mùi, se fosse viva.

Com a ajuda de Ti, uma empregada já idosa, Mùi se inicia nos afazeres domésticos.  Orientada por ela, a jovem aprende as tarefas tradicionais ligadas à sua condição de empregada, tais como, colher mamão verde, ralá-lo, servir as refeições e esfregar o assoalho.

À medida que Mùi cresce e a situação econômica da família cai, a rotina da casa continua a mesma, até o dia em que o marido ausente morre e a viúva não pode mais mantê-la consigo.  A essa altura, aos 20 anos, Mùi já é uma bela e sensível mulher.

Diante das dificuldades por que passa a viúva, Mùi é enviada para trabalhar na casa de Khuyen, um amigo da família.  Na realidade, Mùi e Khuyen se conheciam desde crianças, uma vez que ele era o melhor amigo do filho mais velho de sua antiga patroa.  Agora, ele é um homem sofisticado, pianista clássico, fala fluentemente francês e tem uma amante dispendiosa.

Na nova casa, Mùi continua a mesma pessoa dócil e eficiente.  Através de pequenos sinais, nota-se que ela é apaixonada pelo novo patrão, sinais que, a princípio, não são notados por ele.  Por outro lado, a amante de Khuyen é uma jovem burguesa inexpressiva, insensível, coquete, contrastando com a beleza simples e a modéstia de Mùi

imagem

Comentários

"O Cheiro do Papaya Verde" é um excelente filme franco-vietnamita.  Escrito e dirigido pelo cineasta Anh Hung Tran, o filme nos mostra uma sociedade em plena mutação cultural e econômica, antes dos terríveis conflitos armados e políticos pelos quais passaria, notadamente a Guerra do Vietnã.

Nesse cenário, Anh Hung Tran aborda, principalmente, a miserável condição feminina através da servidão, nesse País dos anos 50/60.  Mùi, adolescente ou mulher, não passará de uma serva, de uma família que a emprega ou de seu futuro esposo.  Assim, sob a aparência de um final feliz, a condição feminina é fortemente denunciada nesse filme intimista.

O trabalho de Anh Hung Tran é perfeito, no que é fortemente ajudado pela fotografia de Benoît Delhomme.  O ritmo, muitas vezes lento, pode desencorajar o espectador mais impaciente, mas essa técnica é essencial para que se possa melhor apreciar a densidade do tema abordado.  Os diálogos são mínimos.  No segmento final, há uma seqüência de quase meia-hora com muito poucas palavras.

Embora não tenha sido agraciado com um grande número de prêmios, "O Cheiro do Papaya Verde" é um filme imperdível.

CAA