Filmes por gênero

O HOMEM QUE NUNCA EXISTIU (1956)

The man who never was
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: L'homme qui n'a jamais existé (França)
L'uomo che non è mai esistito (Itália)
El hombre que nunca existió (Espanha)
El espía que nunca existió (México)
Der mann, den es nie gab (Alemanha, Austria)
Mannen som inte fanns (Suécia)
Manden, der aldrig har levet (Dinamarca)
Czlowiek, którego nie bylo (Polônia)
Человек, которого никогда не было (União Soviética)
Pais: Reino Unido
Gênero: Drama, 2ª Guerra Mundial
Direção: Ronald Neame
Roteiro: Nigel Balchin
Produção: André Hakim
Música Original: Alan Rawsthorne
Direção Musical: Muir Mathieson
Fotografia: Oswald Morris
Edição: Peter Taylor
Direção de Arte: John Hawkesworth
Guarda-Roupa: Sam Benson
Maquiagem: Harold Fletcher
Efeitos Sonoros: Basil Fenton-Smith, Winston Ryder, J. B. Smith
Efeitos Visuais: Tom Howard
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1997

Elenco

Clifton Webb Tenente Comandante Ewen Montagu
Gloria Grahame Lucy Sherwood
Robert Flemyng Tenente George Acres
Josephine Griffin Pam
Stephen Boyd Patrick O'Reilly
Laurence Naismith Almirante Cross
Geoffrey Keen General Nye
Allan Cuthbertson Vice-Almirante
Michael Hordern General Coburn
André Morell Sir Bernard Spilsbury
Terence Longdon Larry
William Russell Joe
William Squire Tenente Jewell
Miles Malleson Cientista
Michael Brill Médico
Ewen Montagu Marechal do Ar
Wolf Frees Almirante Canaris
Peter Williams Almirante Mountbatten
Gerhard Puritz Coronel alemão
François Périer Funcionário da Embaixada Britânica
Ronald Adam Adams
D.A. Clarke-Smith Consul Laurence
Michael Peake Marinheiro no submarino

Prêmios

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Roteiro Britânico (Nigel Balchin)

Indicações

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme Britânico

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Revelação Masculina (Stephen Boyd)

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio Palma de Ouro (Ronald Neame)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em 1943, o Tenente Comandante da Marinha Real, Ewen Montagu, apresenta um plano para enganar os nazistas quando da iminente invasão do Sul da Europa. Isso implica na liberação de um corpo perto da costa da Espanha, onde fortes correntes certamente farão com que ele fique à deriva em uma área onde um qualificado agente secreto alemão costuma operar. O corpo vai aparecer como sendo do inexistente Major William Martin da Marinha Real, vítima de um acidente de avião, que estaria carregando cartas que descreviam uma futura invasão aliada da Grécia, ao invés do alvo óbvio, que seria a Sicília. O tempo é curto, mas o impaciente Montagu finalmente recebe aprovação para realizar tal missão.

A conselho de um médico especialista, ele adquire o corpo de um homem que havia morrido de pneumonia, a fim de parecer de alguém que teria morrido por afogamento. Depois de concluídas as preparações adequadas, ele e seu assistente, o Tenente George Acres, levam o cadáver até um submarino que se acha à sua espera. O submarino evita um ataque com carga de profundidade e, mais tarde, à noite, libera o cadáver como planejado. Como esperado, as correntes marítimas levam o corpo até a área desejada.

Após o cadáver ser localizado pelos nazistas, o assunto é levado a Hitler, que se mostra convencido de que os documentos são genuínos, embora um oficial alemão, responsável pela inteligência, se revela cético. Este envia o espião Patrick O'Reilly até Londres com a missão de investigar o assunto.  

Inicialmente, ele não descobre algo conclusivo até que procura Lucy Sherwood, a suposta noiva do inexistente Major William Martin. Lucy é, na verdade, colega de quarto de Pam, assistente do Tenente Comandante Montagu. Ele se apresenta como amigo do Major Martin. Por acaso, ela havia recebido a notícia de que seu verdadeiro namorado havia sido morto em ação. Ao vê-la exprimir sua verdadeira dor pela perda que tivera, O'Reilly se convence de que os documentos apreendidos pelos nazistas são legítimos. Mesmo assim, ele deixa seu endereço com Lucy, dizendo-lhe para contatá-lo no caso de precisar de alguma coisa.

Em seguida, ele envia uma mensagem de rádio para seus superiores, quando pede para aguardarem uma mensagem dele em uma hora, tempo que precisa para verificar se a contraespionagem britânica vai procurá-lo. O Comandante Montagu quase comete um erro, mas percebe a tempo o motivo pelo qual O'Reilly deixou seu endereço com Lucy, convencendo seu superior a não procurá-lo. Dessa forma, os alemães transferem as tropas, destinadas à defesa da Sicília, para a Grécia.

Após a guerra, Montagu deixa uma medalha com a qual foi agraciado, no túmulo do homem que nunca existiu.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Ronald Neame, a partir de um roteiro escrito por Nigel Balchin, “O Homem que Nunca Existiu” é um ótimo filme do cinema britânico de meados dos anos 1950. Sua trama, baseada em fato verídico, fala de um esquema utilizado pelos britânicos com a finalidade de enganarem os nazistas e permitirem o desembarque das forças Aliadas na Sicília entre julho e agosto de 1943.

Na direção, Neame realiza um ótimo trabalho, no que é ajudado pelo excelente e premiado roteiro escrito por Balchin. No elenco, destacam-se as atuações de Clifton Webb, Stephen Boyd e Gloria Grahame.

Enfim, “O Homem que Nunca Existiu” é um filme sobre a 2ª Guerra Mundial na Europa que recomendo firmemente.

CAA