Filmes por gênero

ESPELHOS D´ALMA (1946)

The dark mirror
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O espelho da alma (Portugal)
La double énigme (França)
La maison des ténèbres (Bélgica)
Lo specchio scuro (Itália)
A través del espejo (Espanha)
El espejo oscuro (Argentina)
Der schwarze Spiegel (Alemanha, Austria)
Den mörka spegeln (Suécia)
De zwarte spiegel (Holanda)
Темное зеркало (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Filme Noir, Suspense, Crime, Drama
Direção: Robert Siodmak
Roteiro: Nunnally Johnson
Produção: Nunnally Johnson
Design Produção: Duncan Cramer
Música Original: Dimitri Tiomkin
Fotografia: Milton R. Krasner
Edição: Ernest J. Nims
Figurino: Irene Sharaff
Guarda-Roupa: Eugene Joseff
Maquiagem: Norbert Miles
Efeitos Sonoros: Arthur Johns, Fred Lau
Efeitos Visuais: Eugen Schüfftan, Devereaux Jennings, Paul K. Lerpae
Nota: 8.3
Filme Assistido em: 1951

Elenco

Olivia de Havilland Terry Collins / Ruth Collins
Lew Ayres Dr. Scott Elliott
Thomas Mitchell Tenente da Polícia Stevenson
Richard Long Rusty
Charles Evans Promotor Girard
Garry Owen Franklin
Lela Bliss Sra. Didriksen
Lester Allen George Benson
Jean Andren Secretária do Promotor
Ben Erway Tenente da Polícia
William Halligan Sargento da Polícia Temple
Charles McAvoy Sr. O'Brien, o porteiro
Ida Moore Sra. O'Brien
Marta Mitrovich Srta. Beade
Jack Cheatham Policial
Ralph Peters Policial na rua
Lane Watson Mike
Lane Chandler Interno
Bess Flowers Mulher no Clube Noturno
Jack Gargan Garçom
Rodney Bell .

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor História Original (Vladimir Pozner)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Quando um famoso médico é encontrado morto, após ter sido esfaqueado, a investigação de um detetive da polícia, tenente Stevenson, o leva diretamente a uma empregada de uma banca de revistas, Terry Collins, que trabalha no mesmo edifício do consultório do médico e é conhecida por colegas como sendo a namorada dele. No entanto, o tenente se mostra intrigado com as descrições conflitantes sobre o comportamento da jovem mulher.

Quando Stevenson vai ao apartamento dela, ele é apresentado à sua irmã gêmea, Ruth, e entende as razões das discrepâncias encontradas entre os relatos das testemunhas. As irmãs admitem, por exemplo, que muitas vezes, uma substitui a outra em determinados compromissos, inclusive na banca de revistas. Assim, quando as testemunhas oculares não conseguem distinguir uma da outra, elas são soltas com base no artigo 5º da Constituição.

Incapaz de aceitar o “crime perfeito”, Stevenson pede a ajuda do Dr. Scott Elliott, um especialista no estudo do comportamento de gêmeos. O médico comenta que rotineiramente encontra as gêmeas no prédio de seu consultório, mas que não sabe quem é quem. De qualquer forma, ele se mostra disponível a cooperar com a polícia e está disposto a estudar o comportamento das gêmeas.

Nesse sentido, ele as procura para dizer-lhes que gostaria de contar com a ajuda delas, individualmente, em uma pesquisa rotineira que está desenvolvendo. As gêmeas aceitam sua proposta, embora uma delas se mostre preocupada e a outra interessada em se envolver com o psiquiatra.

Em seus testes psicológicos, o Dr. Scott descobre que Ruth é gentil e amorosa, enquanto Terry se mostra altamente inteligente, insana e que vem manipulando a irmã ao longo de suas vidas.

O médico relata suas descobertas a Stevenson, que o aconselha a avisar Ruth imediatamente. À noite, o Dr. Scott se programa para se encontrar com Ruth em seu apartamento, mas Terry intercepta a mensagem e vai no lugar da irmã,  deixando um aparelho de som escondido com a intenção de levar Ruth à loucura. Ao se encontrarem, no entanto, o Dr. Scott a reconhece e lhe fala sobre tudo o que descobriu a respeito da rivalidade dela em relação à irmã. O psiquiatra acredita que o médico assassinado, não sabendo que elas eram gêmeas, cortejava Terry, mas estava realmente apaixonado por Ruth, o que levou a primeira a matá-lo. Quando Terry se prepara para assassinar o Dr. Scott, este recebe um telefonema de Stevenson, no qual o policial comunica que se acha no apartamento das gêmeas, onde encontrou Ruth morta.

O psiquiatra e Terry vão até o apartamento das irmãs, onde ela confessa a Stevenson que sua irmã matou o médico e se suicidou por se sentir culpada. Ela confirma todos os resultados dos testes psicológicos realizados pelo Dr. Scott, mas insiste em afirmar ser Ruth e se achar aliviada com a morte da irmã. Nesse momento, Ruth entra na sala, viva, o que faz Terry, desesperada, lançar um copo contra um espelho. Na realidade, ao chegar ao apartamento das gêmeas, Stevenson encontrou apenas Ruth em perigo. Seu telefonema para o Dr. Scott foi apenas uma armadilha para prender Terry. Esta é, finalmente, levada presa enquanto o médico conforta Ruth.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Robert Siodmak, a partir de um roteiro escrito por Nunnally Johnson, “Espelhos d’Alma”” é um ótimo filme norte-americano produzido pela International Pictures em 1946. Sua trama, baseada num livro de Vladimir Pozner, apresenta algumas reviravoltas e consegue prender a atenção do espectador do início ao fim.

Na direção, Siodmak realiza mais um belo trabalho, provando mais uma vez que seus melhores filmes ocorreram durante a década de 1940. Merecem ainda ser citadas a ótima fotografia a cargo de Milton R. Krasner e a bela música de Dimitri Tiomkin.

No elenco, Olivia de Havilland prova, mais uma vez, ser uma das mais talentosas e versáteis atrizes da época. Entre os coadjuvantes, Thomas Mitchell e Lew Ayres são os maiores destaques.

CAA