Filmes por gênero

A BELA MOLEIRA (1955)

La bella mugnaia
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Par-dessus les moulins (França, Bélgica)
La bella campesina (Espanha)
La bella molinera (Argentina)
The Miller's wife (Reino Unido)
The Miller's beautiful wife (Estados Unidos)
Eine Frau für schwache Stunden (Alemanha)
Den syndfulla mjölnerskan (Suécia)
Galante eventyr (Dinamarca, Noruega)
Piekna mlynarka (Polônia)
Прекрасна мельничиха (Ucrânia)
Pais: Itália
Gênero: Comédia
Direção: Mario Camerini
Roteiro: Mario Camerini, Augusto Camerini, Sandro Continenza, Ennio De Concini, Ivo Perilli
Produção: Dino De Laurentiis, Carlo Ponti
Música Original: Angelo Francesco Lavagnino
Fotografia: Enzo Serafin
Edição: Gisa Radicchi Levi
Figurino: Maria Baroni, Dario Cecchi
Maquiagem: Goffredo Rocchetti, Maria Angelini
Efeitos Sonoros: Mario Morigi
Nota: 7.4
Filme Assistido em: 1956

Elenco

Vittorio De Sica Don Teofilo, o Governador
Sophia Loren Carmela
Marcello Mastroianni Luca, marido de Carmela
Yvonne Sanson Donna Dolores
Paolo Stoppa Gardunia
Mario Passante Capitão da Guarda
Carlo Sposito Pasqualino
Virgilio Riento Salvatore
Elsa Vazzoler Concettina
Angela Lavagna Assunta
Amalia Pellegrini Ama-de-leite
Silvio Bagolini Ajudante do Bispo
Emilio Petacci Don Gennaro
Nino Marchesini O Barão
Michele Riccardini Advogado
Pietro Tordi Sargento embriagado
Vittorio Braschi Nicoletto
Giancarlo Cobelli Don Luca
Maria Grazia Monaci Filha do Governador
Umberto Monaci Filho do Governador

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

No final do século XVII, a cidade italiana de Nápoles encontra-se sob o jugo espanhol. Todos os cidadãos são obrigados a pagar imposto até sobre a chuva, mesmo que ela não caia. A exceção é o moleiro Luca, casado com Carmela, a mulher mais bonita e desejada da região. Só por isso, Luca é favorecido com total isenção de impostos pelo poderoso governador Teófilo, que não vê a hora de levar a mulher do moleiro para a cama, embora ele mesmo tenha em casa uma bela e sábia esposa.

Luca e Carmela costumam receber Dom Teófilo, as autoridades eclesiásticas e o advogado da cidade para deliciosos almoços ao ar livre, regados a bom vinho. Ao final da refeição, a moleira canta para entreter os convidados. O casal se acha muito esperto por agradar os poderosos em troca de favorecimentos. O novo projeto da bela moleira é conseguir, para seu primo, o posto de coletor de impostos, o que lhe granjeia a inimizade do atual detentor do cargo e de sua senhora.

Certo dia, Luca se envolve em uma revolta popular e termina preso no Castelo. Tal fato faz com que Dom Teófilo chantageie Carmela ao lhe propor a soltura de seu marido em troca de ver satisfeita sua paixão. No entanto, ela o embriaga e o põe em sua cama. Por outro lado, Luca consegue escapar e corre para casa, cego pelo ciúme. 
Quando Luca vê Don Teófilo em sua cama, acredita que a traição foi consumada e se prepara para fazer vingança. Na ocasião, ele se lembra de uma história ouvida de um menestrel, alguns dias antes da festa da padroeira, segundo a qual um marido traído, que decapitou sua esposa, terminou na forca. O moleiro pensa, em seguida, na vingança de olho por olho, dente por dente, e retorna ao castelo disfarçado de governador, com a intenção de seduzir a esposa de Don Teófilo, Donna Dolores.
O verdadeiro Dom Teófilo acorda, lê a mensagem em que Lucas anuncia suas intenções de vingança, e corre para o Castelo. No final, Luca chega à conclusão que tudo na vida tem o seu preço e que é melhor pagar impostos do que procurar favores.

imagem

Comentários

Realizada pelo cineasta Mario Camerini, “A Bela Moleira” é uma interessante comédia italiana produzida pelas empresas Titanus e Ponti-De Laurentiis Cinematográfica em 1955. Sua trama, baseada numa obra de Pedro Antonio Alarcón, conta a estória de um astuto moleiro que se aproveita da beleza de sua mulher para obter favores da administração do local onde mora.

A direção de Camerini se mostra apenas razoável, embora consiga manter um bom ritmo, principalmente em sua segunda metade. Por outro lado, a fotografia em CinemaScope/Technicolor é de primeira qualidade, assim como a bela trilha sonora assinada por Angelo Francesco Lavagnino.

No elenco, destacam-se as atuações de Vittorio De Sica e Marcello Mastroianni, seguidas pelas de Sophia Loren e Yvonne Sanson.

CAA