Filmes por gênero

SABRINA (1954)

Sabrina
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Sabrina Fair (Reino Unido)
Сабрина (União Soviética)
Kaunis Sabrina (Finlândia)
Γλυκιά μου, Σαμπρίνα (Grécia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia Romântica
Direção: Billy Wilder
Roteiro: Billy Wilder, Ernest Lehman, Samuel A. Taylor
Produção: Billy Wilder
Música Original: Frederick Hollander
Coreografia: Eugene Loring
Fotografia: Charles Lang
Edição: Arthur Schmidt
Direção de Arte: Hal Pereira, Walter Tyler
Figurino: Edith Head
Guarda-Roupa: Edith Head
Maquiagem: Wally Westmore
Efeitos Sonoros: John Cope, Harold Lewis
Efeitos Especiais: Farciot Edouart, John P. Fulton
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1955

Elenco

Audrey Hepburn Sabrina Fairchild
Humphrey Bogart Linus Larrabee
William Holden David Larrabee
Walter Hampden Oliver Larrabee
John Williams Thomas Fairchild
Martha Hyer Elizabeth Tyson
Joan Vohs Gretchen Van Horn
Marcel Dalio Barão St.-Fontanel
Marcel Hillaire O Professor
Nella Walker Maude Larrabee
Francis Bushman Sr. Tyson
Ellen Corby Srta. McCardle
Emory Parnell Charles, o mordomo
Marjorie Bennett Margaret, a cozinheira
David Ahdar Tripulante do navio
Otto Forrest Ascensorista
Paul Harvey Dr. Calaway
Nancy Kulp Jenny, a criada

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Figurino em Preto e Branco (Edith Head)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Roteiro (Billy Wilder, Samuel Taylor, Ernest Lehman)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de uma Comédia Americana (Billy Wilder, Samuel Taylor, Ernest Lehman)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção (Billy Wilder)

Oscar de Melhor Atriz (Audrey Hepburn)

Oscar de Melhor Roteiro (Billy Wilder, Samuel Taylor, Ernest Lehman)

Oscar de Melhor Fotografia em Preto e Branco (Charles Lang)

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Hal Pereira, Walter Tyler, Sam Comer, Ray Moyer)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz Britânica (Audrey Hepburn)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Atriz (Audrey Hepburn)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Billy Wilder)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Numa enorme mansão em Long Island, a 50 km de Nova York, vive a bilionária família Larrabee, proprietária de um verdadeiro império industrial.  O velho Larrabee possui dois filhos: Linus, o mais velho, é  diretor executivo das empresas da família, e David que, embora tenha freqüentado as melhores faculdades, não passa de um playboy que carrega três casamentos fracassados.  No momento, ele se acha noivo de Elizabeth Tyson, filha de um outro magnata da indústria, num casamento de conveniência para as duas famílias, pois, como conseqüência, deverá ocorrer a fusão dos dois grupos.

Thomas Fairchild, motorista dos Larrabee há mais de 20 anos, mora com sua família em confortáveis aposentos localizados sobre a enorme garagem da mansão.  Sua filha, Sabrina, cresceu apaixonada por David, que nem a nota.  De longe, ela assiste às grandes festas proporcionadas pelos Larrabee.  Thomas sabe que a filha sofre com essa situação e resolve, com suas economias, enviá-la à Paris para que ela atenda à melhor escola de culinária do mundo.  Não suportando ficar longe de David, ela tenta o suicídio, mas é salva por Linus.

Em Paris, mostra-se desinteressada pelo curso, o que é notado por um dos alunos, o Barão de Saint Fontenelle, um senhor de 74 anos.  Este, preocupado com seu desempenho, aconselha-a e torna-se seu amigo.  A companhia do velho barão faz com que ela passe a olhar a vida com outros olhos.

Dois anos depois, Sabrina, agora uma jovem super-sofisticada, retorna aos Estados Unidos.  Já em Nova York, enquanto aguarda o pai para levá-la para casa, é abordada pelo incorrigível David, que não a reconhece.  Quando ela lhe diz onde mora, ele comenta que devem ser vizinhos e faz questão de levá-la até a casa dela.  Ao pedir-lhe que entre no portão da mansão, ele acha que deve haver algum engano, até que os empregados a recebem com uma enorme festa.  David não acredita que aquela bela e sofisticada jovem seja a filha do motorista Thomas.  Sentindo-se fortemente atraído por ela, ele a convida para a festa que vai ocorrer logo mais à noite na mansão.

Na hora marcada, Sabrina chega à festa, chamando a atenção de todos por sua encantadora beleza e por ser a jovem mais bem vestida da noite.  Ao vê-la, David derrama intencionalmente uma taça de vinho no vestido de Elizabeth, obrigando-a a se retirar do salão.  Aproveitando a ausência da noiva, o galanteador tira Sabrina para dançar.  Enquanto dançam, marcam um encontro numa das quadras de tênis.  Ela se retira e, antes de ir ao seu encontro, David apanha uma garrafa de champanhe e duas taças, que esconde nos bolsos traseiros de sua calça.  Linus o encontra e lhe diz que o pai o está aguardando na biblioteca.

Durante a discussão que se trava entre pai e filho, por conta da presença da filha do motorista na festa, David senta-se numa poltrona, quebrando as taças que carregava nas calças e se ferindo bastante.  Linus vai ao encontro de Sabrina, levando o champanhe e duas novas taças.  Sem notar, o inveterado workaholic se sente igualmente atraído pela bela jovem.  Com David se recuperando dos mais de 20 pontos recebidos por conta dos cortes sofridos, Linus passa a convidar Sabrina para cinemas, jantares e até mesmo para um passeio em seu iate.  Num desses jantares, ele lhe fala que deverá estar indo à França brevemente, oportunidade em que ela lhe dá algumas dicas sobre como melhor aproveitar Paris.  A essa altura, ela já não está tão segura em relação ao que sente por David.

Enquanto isso, na presença do pai, Linus pede à sua secretária que providencie: duas cabines no navio Liberté, uma para ele e a outra em nome de Sabrina;  reserva de um apartamento e de um carro em Paris;  uma carta de crédito no valor de US$ 50 mil;  e a transferência de 1.500 ações das empresas Larrabee para o nome de Thomas Fairchild.  Quando o pai lhe pergunta se ele também perdeu o juízo, ele lhe responde que não vai embarcar no navio e que, ao chegar à sua cabine, Sabrina vai encontrar um bilhete seu pedindo-lhe desculpas.  Mesmo assim, o velho Larrabee acha que ele está pagando muito caro para se livrar da filha do motorista.

Ao ser convidada para mais um jantar, Sabrina chega ao escritório de Linus disposta a lhe dizer que não vai mais poder continuar a se encontrar com ele.  Entretanto, ao ver sobre uma mesa duas passagens para a França, uma das quais em seu nome, ela fica radiante por poder voltar à Paris.  Na ocasião, entretanto, Linus conta-lhe toda a verdade:  que ela vai viajar sozinha, que as despesas com sua viagem são um investimento da empresa para facilitar o casamento por interesse de David, etc.  Desapontada, ela deixa o escritório.

Arrependido, Linus dá uma guinada de 180º em sua forma de tratar dos interesses de seu Império.  É quando chama sua secretária e lhe pede para cancelar o contrato de fusão das empresas Tyson e Larrabee, para convocar os sócios das duas empresas a fim de  discutirem o assunto, para interromper os preparativos do casamento de David e Elizabeth e, finalmente, para substituir seu nome pelo do irmão na cabine do transatlântico Liberté.  Em seguida, encontra-se com David para lhe falar de suas decisões, quando este descobre que Linus está apaixonado por Sabrina.

A reunião entre os dois Grupos Industriais é marcada para 15 minutos após a saída do Liberté.  Na hora fixada, os sócios chegam, inclusive Elizabeth, e sentem a falta de David.  Linus mostra-lhes o transatlântico, que se afasta do porto, e lhes diz que o irmão encontra-se nele rumo à Paris.  Segundos depois, David irrompe na sala de reuniões e informa a todos que a fusão e seu casamento estão confirmados e que um rebocador encontra-se no cais aguardando Linus para levá-lo até o transatlântico.  Pedindo desculpas a todos pelo incidente causado, ele se despede e corre ao encontro de Sabrina.

imagem

Comentários

Baseada numa peça de Samuel Taylor, "Sabrina" é uma deliciosa comédia romântica da era de ouro de Hollywood.  Produzido e dirigido pelo cineasta Billy Wilder, o filme conta a história de uma garota triste e insegura que, após passar dois anos em Paris, retorna aos Estados Unidos como uma jovem madura e sofisticada.  De uma certa forma, trata-se de uma encantadora variação romântica da história de Cinderela.

Partindo de um roteiro muito bem estruturado, do qual participou, Billy Wilder apresenta-nos uma direção segura em um tipo de filme onde as interpretações dos atores têm maior importância do que qualquer outro aspecto da produção.

A fotografia de Charles Lang e o figurino, assinado por Edith Head, são dignos de menção. No elenco, Audrey Hepburn, no papel-título, está como sempre maravilhosa.  Combinando beleza, elegância e charme, mais uma vez demonstra seu enorme carisma.  Tendo, no ano anterior, ganho o Oscar de Melhor Atriz  por seu trabalho em "A Princesa e o Plebeu", Audrey foi mais uma vez indicada ao famoso prêmio, por seu desempenho em "Sabrina", perdendo a estatueta para a atriz Grace Kelly, por sua atuação em "Amar é Sofrer".  Humphrey Bogart, mais conhecido por sua imagem de homem durão, está ótimo no papel do workaholic Linus.  Quanto a William Holden que, a exemplo de Audrey, havia ganho o Oscar no ano anterior, por sua atuação em "Inferno Nº 17", está perfeito como o playboy David.  Merece ainda ser destacado o trabalho de John Williams, como o motorista e pai de Sabrina.

CAA