Filmes por gênero

O DEMÔNIO DAS ONZE HORAS (1965)

Pierrot le Fou
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Pedro, o Louco (Portugal)
The Madman (Estados Unidos, Reino Unido)
Il bandito delle undici (Itália)
Pierrot, el loco (Espanha, México)
Elf uhr nachts (Alemanha)
Tokstollen (Suécia)
Manden i månen (Dinamarca)
A bolond Pierrot (Hungria)
Pais: França, Itália
Gênero: Drama, Crime, Romance
Direção: Jean-Luc Godard
Roteiro: Jean-Luc Godard
Produção: Georges de Beauregard
Design Produção: Pierre Guffroy
Música Original: Antoine Duhamel
Fotografia: Raoul Coutard
Edição: Françoise Collin
Efeitos Sonoros: René Levert, Antoine Bonfanti
Nota: 9.5
Filme Assistido em: 1966

Elenco

Jean-Paul Belmondo Ferdinand Griffon, 'Pierrot'
Anna Karina Marianne Renoir
Graziella Galvani A mulher de Ferdinand
Henri Attal Frentista
Dominique Zardi Frentista
Roger Dutoit Gangster
Hans Meyer Gangster
Aicha Abadir Ela própria
Samuel Fuller Diretor de cinema americano
Krista Nell Mme. Staquet
Dirk Sanders Fred, irmão de Marianne
Pascal Aubier Segundo irmão
Pierre Hanin Terceiro irmão
Georges Staquet Franck
László Szabó Exilado político
Jean-Pierre Léaud Jovem no cinema
Jimmy Karoubi Anão
Raymond Devos .

Prêmios

Instituto Britânico do Cinema

Troféu Sutherland (Jean-Luc Godard)

Indicações

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Ator Estrangeiro (Jean-Paul Belmondo)

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Ouro (Jean-Luc Godard)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Ferdinand Griffon é um jovem pai de família, intelectual, casado com uma burguesa italiana, que acaba de perder seu emprego numa televisão.  Certa noite, quando se prepara para sair com a mulher para uma festa na casa dos sogros, onde vão estar presentes pessoas da alta-sociedade parisiense, ele percebe que a baby-sitter que veio ficar com os filhos é Marianne Renoir, uma jovem com quem tivera um caso cinco anos antes.

Uma vez na festa, ele se sente entediado com a conversa superficial das peruas e engravatados e decide voltar para casa.  Ao se encontrar com Marianne, toma a decisão de abandonar a mulher e os filhos e fugir com seu antigo amor.

Depois que um corpo é encontrado no apartamento dela, os dois partem de carro em direção ao sul da França.  Marianne prefere chamá-lo de Pierrot.

Logo no primeiro Posto de Gasolina, após reabastecerem o veículo, fogem sem pagar a despesa para, pouco depois, incendiarem o mesmo, a fim de confundirem a polícia que acreditam estar atrás deles por conta do cadáver deixado para trás.  Em seguida, roubam um conversível com o qual viajam até o litoral, onde o largam dentro do mar.

Assim, o casal se envolve nas mais diversas situações, como tráfico de armas e complôs políticos.  Para sobreviverem, fazem de tudo, inclusive encenam a guerra do Vietnã para marinheiros americanos.

Depois de muitas loucuras, Marianne se cansa de tudo, trai Ferdinand com o chefe de uma quadrilha e morre por isso.  Ferdinand, inconformado, pinta o rosto de azul, amarra explosivos na cabeça e acende o pavio.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado no livro "Obsession", do escritor Lionel White, "O Demônio das Onze Horas" é mais um ótimo filme do cineasta Jean-Luc Godard.  Juntamente com "Acossado", é um dos grandes marcos da "nouvelle vague" francesa.

Como na maioria de seus filmes, Godard consegue dosar com maestria arte e entretenimento.  Tendo grande parte do filme sido rodado na Riviera Francesa, o fotógrafo Raoul Coutard é feliz ao captar as belezas daquela região.  Além das diversas infrações às leis constituídas,  cometidas pelos dois principais personagens, o filme apresenta, também, momentos de terno romance, inclusive uma bela seqüência em que Marianne canta em seu apartamento.  Godard, por outro lado, nos brinda com algumas cenas surrealistas, como aquela em que Ferdinand entra com o conversível mar adentro.

No que diz respeito ao elenco, o filme pertence a Jean-Paul Belmondo e a Anna Karina, na época esposa de Godard, com magníficas interpretações.

CAA