Filmes por gênero

SANSÃO E DALILA (1949)

Samson and Delilah
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Samson et Dalila (França, Canadá, México)
Sansone e Dalila (Itália)
Sansón y Dalila (Espanha, Argentina, México)
Samson und Delilah (Alemanha, Austria)
Samson og Dalila (Dinamarca)
Simson och Delila (Suécia)
Sámson és Delilah (Hungria)
Самсон и Далила (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Histórico
Direção: Cecil B. DeMille
Roteiro: Fredric M. Frank, Jesse Lasky Jr.
Produção: Cecil B. DeMille
Música Original: Victor Young
Direção Musical: Victor Young
Coreografia: Theodore Kosloff
Fotografia: George Barnes, Dewey Wrigley
Edição: Anne Bauchens
Direção de Arte: Hans Dreier, Walter H. Tyler
Figurino: Edith Head, Gile Steele, Dorothy Jeakins, Eloise Jensson
Guarda-Roupa: Edith Head, Gile Steele, Eloise Jensson, Gwen Wakeling
Maquiagem: Wally Westmore
Efeitos Sonoros: John Cope, Harry Lindgren
Efeitos Especiais: Barney Wolff
Efeitos Visuais: Farciot Edouart, Devereaux Jennings, Gordon Jennings
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1952

Elenco

Victor Mature Sansão
Hedy Lamarr Dalila
George Sanders Saran de Gaza
Angela Lansbury Semadar, irmã de Dalila
Henry Wilcoxon Príncipe Ahtur
Olive Deering Miriam
Fay Holden Hazel
Russ Tamblyn Saul
Julia Faye Hisham
William Farnum Tubal
Lane Chandler Teresh
Moroni Olsen Targil
William Davis Garmiskar
Victor Varconi Senhor de Ashdod
John Parrish Senhor de Gath
Fritz Leiber Senhor Sharif
Frank Wilcox Senhor de Ekron
Russell Hicks Senhor de Ashkelon
Boyd Davis Sacerdote de Dagon
Mike Mazurki Líder dos soldados filisteus
Pedro de Cordoba Bar Simon
Colin Tapley Príncipe
Nils Asther Príncipe
Harry Cording Príncipe
James Craven Príncipe
John Halloran Coletor de impostos
Joe Dominguez Padre
Crauford Kent Astrólogo da Corte
Cecil B. DeMille Narrador

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Hans Dreier, Walter Tyler, Sam Comer, Ray Moyer)

Oscar de Melhor Figurino a cores (Edith Head, Dorothy Jeakins, Elois Jenssen, Gile Steele, Gwen Wakeling)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Fotografia a Cores (George Barnes)

Oscar de Melhores Efeitos Especiais

Oscar de Melhor Trilha Sonora de uma Comédia ou Drama (Victor Young)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Fotografia a Cores (George Barnes)

Prêmios Picturegoer, Reino Unido

Prêmio Medalha de Ouro de Melhor Atriz (Hedy Lamarr)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

A região de Gaza, na Palestina, por volta de 1.200 a.C, era dominada pelos filisteus.

Ao conhecer Semadar, uma filistéia, Sansão se apaixona por ela.  Mas é Dalila, irmã mais nova de Semadar, quem realmente o deseja.  No banquete do casamento, Semadar não é honesta com Sansão, o que provoca sua ira e sua volta para a casa dos pais.  Por outro lado, Semadar é dada por seu pai a outro homem.

Quando Dalila o procura, ele a despreza e se torna um guerrilheiro cuja força é capaz de destruir exércitos, já que Javé o escolhera para libertar seu povo.

Algum tempo depois, por conta de prejuízos causados por Sansão a suas plantações, um grupo de filisteus vai até a casa de Semadar e a mata, incendiando tudo.  Ao tomar conhecimento do ocorrido, Sansão avisa aos filisteus que vai se vingar e, a seguir, cai sobre eles, massacrando-os.

Cerca de 3.000 habitantes de Judá, cada vez mais oprimidos pelos filisteus, decidem procurar Sansão, quando lhe dizem não ser justo que eles sejam prejudicados por conta dos atos praticados por ele, Sansão.  Este se deixa amarrar e ser levado até os filisteus.  Entretanto, quando estes vão por as mãos em Sansão, o mesmo se liberta das cordas e mata mil homens.

Quando Sansão volta à Gaza, dorme com uma prostituta e, ao saber que os filisteus aguardam o amanhecer para tentar matá-lo, ele se levanta à meia-noite, arranca as portas da cidade, com tranca e tudo, coloca-as no ombro e as carrega até o alto da montanha que dá para Hebron.

Depois disso tudo, apaixona-se por Dalila.  Os chefes dos filisteus a procuram e lhe propõem uma recompensa se ela conseguir descobrir onde reside a força dele.  Esta, por vingança, aceita a idéia.

Depois de várias tentativas frustradas, Dalila consegue finalmente saber que sua força está em seus longos cabelos.  Ela então avisa ao chefe dos filisteus.  Enquanto estes se deslocam para o local onde os dois se encontram, ela faz Sansão dormir em seu colo, chama um homem e este corta as sete tranças do cabelo de Sansão.  Os filisteus chegam, o agarram, furam-lhe os olhos e o levam para Gaza.

Lá, o prendem com duas correntes de bronze e o colocam para girar a pedra do moinho.  Na prisão, seus cabelos voltam a crescer.  Um dia, os filisteus se reúnem para oferecer um grande sacrifício ao deus Dagon.  Na ocasião, mandam trazer Sansão para que se divirtam com ele.

Quando o colocam entre duas colunas que sustentam o templo onde se acham cerca de 3.000 homens e mulheres, ele invoca a Javé pedindo-lhe forças para que se vingue dos filisteus com um só golpe, por causa dos seus olhos.

Sansão, então, toca as duas colunas centrais e grita: "Que eu morra com os filisteus".  Em seguida, empurra as colunas com toda a força e o templo desaba, matando a todos.

imagem

Comentários

"Sansão e Dalila" é um ótimo clássico bíblico.  Realizado pelo genial cineasta Cecil B. DeMille, o filme conta a dramática história de Sansão, um homem escolhido por Javé para libertar seu povo, oprimido pelos filisteus, grupo provindo do Mediterrâneo e que se estabeleceu na região de Gaza por volta de 1.200 a.C.

Além do cuidadoso trabalho de DeMille, o filme conta com uma direção de arte primorosa, uma trilha sonora espetacular, assinada por Victor Young, e um figurino fiel à época.  A talentosa atriz austríaca, Hedy Lamarr, no auge de sua carreira, é um dos grandes destaques do filme.

O filme apresenta, ainda, grandes momentos, como a antológica seqüência final, quando Sansão destrói o templo do deus Dagon.

CAA