Filmes por gênero

ANTHONY PERKINS

bio bio bio bio

Informações

Apelido: Tony
Nascimento: 04 Abr 1932
Local Nascimento: New York, New York, USA
Falecimento: 12 Set 1992
Local Falecimento: Hollywood, California, USA
Causa Falecimento: Pneumonia, em consequência de AIDS
Altura: 1.88 m

Minibiografia

Filho único do ator James Osgood Perkins e de sua mulher, Janet Rane Perkins, perdeu o pai aos cinco anos de idade.  Mais tarde, no período em que estudava no Rollins Colege, na Flórida, participou de diversos shows, como "My Sister Eileen" e "Goodbye My Fancy".

Em 1953, seguiu para Hollywood, onde conseguiu um papel coadjuvante no filme de George Cukor, "A Atriz".  A despeito das críticas favoráveis recebidas por seu desempenho, ele só voltou a receber um novo convite, para atuar no cinema, três anos depois, quando da realização do filme de William Wyler, "Sublime tentação".  Durante esse período de espera, entretanto, participou de mais de dez episódios de séries televisivas.  Por sua ótima atuação em "Sublime Tentação", Perkins foi indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, perdendo a estatueta para Anthony Quinn por seu desempenho em "Sede de Viver".

Entre 1957 e 1960, teve a oportunidade de apresentar outros aclamados desempenhos no cinema e na Broadway.  Em 1960, estrelou "Psicose", ao lado de Janet Leigh e Vera Miles.  Muitos críticos acharam na época que ele merecia ter ganho o Oscar por sua magnífica interpretação, mas não chegou nem a ser indicado ao famoso prêmio.

Entre 1962 e 1971, Perkins desenvolveu uma bela carreira na Europa, tendo oportunidade de atuar sob a direção de cineastas do porte de Claude Chabrol, André Cayate, René Clement, Anatole Litvak, Jules Dassin, Orson Welles, Edouard Molinaro, entre outros.

De volta aos Estados Unidos, continuou sua brilhante carreira.  Dando continuidade ao famoso "Psicose", de Hitchcock, Perkins estrelou em 1983, "Psicose II", de Richard Franklin; em 1986, "Psicose III", por ele próprio dirigido, e em 1990, para a televisão, "Psicose IV - O Começo", de Mick Garris.

Em 1973, co-escreveu o roteiro de "O Fim de Sheila", juntamente com Stephen Sondheim, tendo sido agraciado com o Prêmio Edgar Allan Poe.  Em 1974, apareceu na Broadway ao lado de Mia Farrow, na peça "Romantic Comedy", de Bernard Slade.

Perkins era bissexual, tendo tido casos com o ator Tab Hunter, com o bailarino Rudolf Nureyev e com o dançarino-coreógrafo Grover Dale, com quem teve um relacionamento de seis anos, antes de se casar com Berry Berenson.  De sua união com Berry, teve dois filhos: Osgood, que seguiu a carreira de ator, e Elvis Perkins, que se tornou músico.  Ele afirmou, certa vez, ter sido exclusivamente homossexual até próximo de seus 40 anos, quando conheceu a atriz Victoria Principal.

Diagnosticado com AIDS em 1989, manteve sua doença em segredo e continuou a trabalhar até o fim.  No ano de sua morte, inclusive, participou de dois filmes, sendo um para a TV.

Um dia antes do 9º aniversário de sua morte, a viúva Berry Berenson foi morta no vôo nº 11 da American Airlines, jogado por terroristas contra a Torre Norte do World Trade Centre, em Nova York.



Filmografia Ator (Filmes que assisti)

A ATRIZ (1953) The Actress
A FLOR QUE NÃO MORREU (1959) Green mansions
A HORA FINAL (1959) On the beach
ASSASSINATO NO EXPRESSO ORIENTE (1974) Murder on the Orient Express
CRIMES DE PAIXÃO (1984) Crimes of passion
O BANDOLEIRO SOLITÁRIO (1957) The lonely man
O PROCESSO (1962) Le procès
PARIS ESTÁ EM CHAMAS ? (1966) Paris brûle-t-il?
PSICOSE (1960) Psycho
RESGATE SUICIDA (1979) North Sea hijack
SUBLIME TENTAÇÃO (1956) Friendly Persuasion

Premiações (Filmes que assisti)

SUBLIME TENTAÇÃO (1956) Prêmios Globo de Ouro, EUA Prêmio de Melhor Revelação Masculina

Indicações (Filmes que assisti)

SUBLIME TENTAÇÃO (1956) Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA Oscar de Melhor Ator Coadjuvante
PSICOSE (1960) Prêmios Bambi, Alemanha Prêmio Bambi de Melhor Ator Internacional