Filmes por gênero

MARLENE DIETRICH

bio bio bio bio

Informações

Nome Batismo: Maria Magdalene Dietrich
Apelido: Lili Marlene
Nascimento: 27 Dez 1901
Local Nascimento: Berlim-Schöneberg, Alemanha
Falecimento: 06 Mai 1992
Local Falecimento: Paris, França
Causa Falecimento: Falência renal
Altura: 1.68 m

Minibiografia

Filha de um oficial prussiano, o tenente Louis Erich Otto Dietrich, Marlene ficou órfã de pai muito cedo.  Pouco tempo depois, sua mãe casou-se com o coronel Eduard von Losch, o qual foi morto durante a 1ª Guerra Mundial.

Antes de começar a trabalhar como corista e atriz para Max Reinhardt, em produções teatrais em Berlim e Vienna, nos anos 20, Marlene estudou violino.  Nesse período, atendeu a um curso de artes cênicas e iniciou sua carreira no cinema, participando de quase 20 filmes até 1930, quando foi descoberta pelo cineasta austríaco, Josef von Sternberg, que a colocou no papel principal do filme alemão, "O Anjo Azul", obtendo um estrondoso sucesso.  Marlene e Sternberg trabalharam juntos em seis outras produções, no período de 1930 a 1935, todas realizadas em Hollywood: "Marrocos", "Desonrada", "O Expresso de Shanghai", "A Vênus Loura", "A Imperatriz Galante" e "Mulher Satânica".

Promovida à rival de Greta Garbo, tornou-se uma grande estrela, embora sua carreira tenha enfrentado problemas no final dos anos 30. Convidada por Hitler a protagonizar filmes pró-nazistas, recusou o convite e se tornou cidadã americana.  Durante a 2ª Guerra, esteve com as tropas aliadas em algumas frentes de combate, onde cantava para divertir e aliviar as dores dos soldados.  Assim, descobriu um dom que poderia explorar: sua voz.

Terminada a guerra, foi condecorada com a "Medal of Freedom", em 1947.  A partir de 1951, paralelamente à sua carreira no cinema, Marlene passou a se apresentar em shows do Sahara Hotel, em Las Vegas.

Em 1961, protagonizou o filme "O Julgamento de Nuremberg", que tratava do holocausto e do tumultuado julgamento que condenou os grandes líderes nazistas.  Em 1962, voltou à Alemanha, mas não agradou a todos, chegando a ser chamada de traidora em pleno aeroporto por nazistas remanescentes.

Em 1979, atuou em seu último filme, o alemão "Apenas um Gigolô", dirigido pelo cineasta inglês, David Hemmings.  Embora com status de estrela bem-sucedida, Marlene não foi uma atriz premiada, sendo indicada apenas uma vez para o Oscar de Melhor Atriz, por seu desempenho em "Marrocos", perdendo a estatueta para a atriz canadense, Marie Dressler, por sua atuação em "Lírio do Lodo".

Marlene casou-se, em maio de 1924, com o assistente de diretor Rudolf Sieber, um católico romano que mais tarde tornou-se diretor da Paramount Pictures na França, sendo mãe de sua única filha, Maria Riva.



Filmografia Atriz (Filmes que assisti)

A MARCA DA MALDADE (1958) Touch of evil
ATIRE A PRIMEIRA PEDRA (1939) Destry rides again
A VOLTA AO MUNDO EM 80 DIAS (1956) Around the world in eighty days
DIABO FEITO MULHER (1952) Rancho Notorious
MARROCOS (1930) Morocco
O ANJO AZUL (1930) Der Blaue Engel
O EXPRESSO DE SHANGHAI (1932) Shanghai Express
O JULGAMENTO DE NUREMBERG (1961) Judgment at Nuremberg
PAVOR NOS BASTIDORES (1950) Stage Fright
QUANDO PARIS ALUCINA (1964) Paris - when it sizzles
TESTEMUNHA DE ACUSAÇÃO (1957) Witness for the prosecution

Premiações (Filmes que assisti)

O JULGAMENTO DE NUREMBERG (1961) Prêmios David di Donatello, Itália David Especial

Indicações (Filmes que assisti)

MARROCOS (1930) Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA Oscar de Melhor Atriz
TESTEMUNHA DE ACUSAÇÃO (1957) Prêmios Globo de Ouro, EUA Prêmio de Melhor Atriz em um Drama
TESTEMUNHA DE ACUSAÇÃO (1957) Prêmios Laurel, USA Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Atriz em um Drama